Imagem da matéria: STJ volta a negar pedido de soltura do corretor das celebridades e líder na GAS Consultoria
Michael de Souza Magno era um dos líderes da GAS Consultoria. Foto: Reprodução

O Superior Tribunal de Justiça negou mais um pedido de soltura por meio de Habeas Corpus feito por Michael Magno de Souza, conhecido como “corretor das celebridades” e braço direito de Glaidson Acácio dos Santos na GAS Consultoria. A decisão do ministro Jesuíno Rissato foi publicada na quarta-feira (2) no HC 709379.

O magistrado disse que recentemente o ministro Gilmar Mendes, do Supremo Tribunal Federal, negou o pedido de soltura de Michael ressaltando perigo de fuga.

Publicidade

Michael está preso desde outubro do ano passado e é acusado de crime contra o sistema financeiro nacional por conta de sua atuação no esquema da GAS – ele era considerado o braço direito do “Faraó do Bitcoin”.

Rissato relembrou os argumentos que já apontado na decisão que manteve o empresário preso:

“Na véspera da deflagração da Operação Kryptos, mais precisamente às 11:51:41h, ou seja, depois do protocolo dos pedidos de prisão preventiva direcionados a outros agentes do grupo, pressionado pela matéria veiculada pelo programa televisivo Fantástico, [Michael] indica sua firme intenção de, após o nascimento de sua filha, emigrar para os Estados Unidos da América, conforme trecho decotado da interceptação telefônica ocorrida no dia 24/08/2021”.

Foragido da Justiça

A Polícia Federal prendeu Michael no dia 12 de outubro em São Paulo, após ele ser considerado foragido da Justiça. O réu foi localizado e detido por agentes da Delegacia de Repressão a Crimes Fazendários da Superintendência da PF na Rodovia Castelo Branco, a bordo de um Jaguar, na altura do município de Araçariguama.

Celular suspeito

Um episódio chamou a atenção da Polícia Federal no dia em que cumpriu mandado de busca e apreensão em uma casa onde estava Michael, no condomínio de Alphaville, na Grande São Paulo.

Publicidade

Conforme aponta relatório da PF, a equipe foi até a residência de Álvaro Caetano da Silva Junior, onde também estava o casal Michael e sua esposa. Logo após chegar à residência, os policiais pediram um celular que estava em posse de Michael.

Nesse momento a esposa de Michael, a atriz Juliana Kelling, começou a gritar, pegou celular e tentou impedir que os policiais o confiscassem. Os policiais tiveram que puxar das mãos de Juliana o celular.

A busca continuou e as autoridades perceberam que Michael não desgrudava de um outro celular, este prateado. Suspeitando que o celular poderia ser do alvo, mas, apenas, estar em nome de Juliana, o chefe de equipe ligou para o coordenador da operação explicando a situação e perguntando se apreendia ou não o aparelho.

A chefia da PF deu sinal verde: era para apreender o celular. Foi aí que começou um “verdadeiro caos” nas palavras dos presentes. Juliana disse que o celular era dela e que não iria entregar. Começou a empurrar os policiais e se negou firmemente a dar o smartphone.

Publicidade

O chefe da equipe da PF então sacou sua arma, apontou para o chão e disse: “Eu vou apreender este celular de uma maneira ou de outra”.

Mas Juliana ainda não tinha desistido. Saiu em disparada em direção à piscina, tendo sido alcançada por dois policiais. Novamente, ela não entregou: os policiais tiveram que arrancar das mãos dela.

GAS Consultoria

O negócio da GAS Consultoria consistia em oferta de investimentos em supostas operações com criptomoedas cujo rendimento prometido era na casa dos 10% ao mês. A CVM viu indícios de crime contra a economia popular e denunciou a empresa ao Ministério Público que deu andamento no processo.

A GAS Consultoria parou de pagar seus clientes, alegando impossibilidade pelo fato de a Justiça ter ordenado o bloqueio de R$ 38 bilhões em ativos da empresa. No dia 15 de setembro, o Ministério Público Federal (MPF) anunciou que autorizou a venda de R$ 150 milhões em bitcoin apreendidos de Glaidson.

Operação Kryptos foi deflagrada em decorrência de denúncias da CVM e Ministério Público. Em sua primeira batida, encontrou na casa de Glaidson várias malas de dinheiro, carros de luxo, joias e 591 bitcoins. No mês passado, a Justiça negou pela segunda vez o pedido de habeas corpus do ex-garçom.

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração mostra sinal triangular de alerta vermelho e anzol simulando golpe de phishing

Compound, um dos maiores serviços DeFi, tem site invadido por hackers

O site da Compound Finance foi substituído por uma página de phishing que tenta roubar criptomoedas dos clientes
Tigran Gambaryan, chefe de compliance da Binance, posa para foto

Deputados pedem que EUA tratem diretor da Binance preso na Nigéria como refém

Numa resolução apresentada ao Congresso, os deputados French Hill e Rich McCormack apelaram à libertação de Tigran Gambaryan
Imagem da matéria: Hamster Kombat: Veja o Daily Combo e Cipher Code desta quarta (17)

Hamster Kombat: Veja o Daily Combo e Cipher Code desta quarta (17)

Procurando o combo diário e o código cifrado de quarta-feira, 17 de julho? Aqui está o que você precisa para ganhar moedas no jogo Hamster Kombat do Telegram
Fachada da Braiscompany em Campina Grande PB- Portal do Bitcoin

Justiça irá leiloar imóveis de operador financeiro da pirâmide Braiscompany

Imóveis são de  Joel Ferreira de Souza, que segundo o MPF auxiliava a Braiscompany a trocar criptomoedas por dinheiro fiduciário