Imagem da matéria: Mercado de criptomoedas perde quase US$ 100 bilhões da noite para o dia
Foto: Shutterstock

A capitalização total de mercado da indústria de criptomoedas caiu quase 4% em meio à contínua invasão da Rússia à Ucrânia.

O Bitcoin (BTC) também caiu 4,5% nas últimas 24 horas, caindo de quase US$ 44 mil para US$ 41,1 mil na manhã desta sexta-feira (4). A principal criptomoeda do mercado recuperou parte dessa queda e, agora, está negociada a US$ 41,6 mil, de acordo com dados obtidos do site CoinGecko.

Publicidade

Ethereum (ETH) caiu 6% após ter quase ultrapassado o importante nível psicológico de US$ 3 mil na tarde de quinta-feira (3). Desde então, a plataforma de contratos autônomos perdeu pontos ao longo da madrugada e, neste momento, está sendo negociado a US$ 2,7 mil.

Essas perdas surgem após ambos os ativos terem se recuperado de quedas ainda mais drásticas no fim do mês passado. Em 24 de fevereiro, o bitcoin havia despencado para US$ 34 mil; ether, US$ 2,3 mil.

Outras criptomoedas também não tiveram sorte. Dentre as dez principais criptomoedas, solana (SOL) foi o ativo mais afetado, pois seu token nativo caiu quase 8% no último dia e, agora, está sendo negociado a US$ 92.

Polkadot (DOT) e Avalanche (AVAX), dois ativos de populares blockchains adversárias do Ethereum, também caíram. Ambas as criptomoedas despencaram 5,9% e 2%, respectivamente.

Publicidade

Populares ações de empresas envolvidas com cripto, como Coinbase, PayPal e Block, também não estão favorecendo seus investidores. Coinbase (COIN) caiu mais de 8%; Block (SQ), 8%; PayPal (PYPL), 5%.

Mercado cripto reage à invasão da Rússia

A invasão da Rússia à Ucrânia causou estragos no mercado cripto.

Além da baixa ação de preço, os acontecimentos também geraram pedidos para que corretoras cripto auxiliassem nas amplas sanções financeiras à Rússia.

Esta semana, a ex-candidata à presidência dos EUA Hillary Clinton, por exemplo, disse estar “decepcionada” que corretoras cripto não estavam fazendo muito para bloquear o acesso de seus usuários russos.

“Fiquei decepcionada em ver que algumas das chamadas corretoras de criptomoedas (não todas, mas algumas) estão se recusando a finalizar transações com a Rússia”, disse Clinton em uma entrevista recente ao The Rachel Maddow Show na MSNBC.

Publicidade

Em meio a esses pedidos, Coinbase, Binance e Kraken decidiram não banir usuários russos completamente, afirmando que não possuem bases jurídicas para fazê-lo.

No entanto, a Binance baniu cidadãos individuais de usarem a plataforma. Em entrevista à BBC na quarta-feira (2), Changpeng Zhao (ou CZ), CEO da Binance, disse não saber quantas contas foram banidas em sua plataforma.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Justiça torna sócios da gestora cripto Titanium réus por crimes financeiros

Justiça torna sócios da gestora cripto Titanium réus por crimes financeiros

Juiz aceitou a denúncia do Ministério Público contra os sócios da Titanium e da Sbaraini, além de mais sete pessoas, por investigações da Operação Ouranós
Imagem da matéria: Vasco oferece experiências especiais para detentores de fan token na apresentação de Philippe Coutinho

Vasco oferece experiências especiais para detentores de fan token na apresentação de Philippe Coutinho

Coutinho será apresentado em São Januário neste sábado em evento exclusivo
Ilustração de moeda NOT dourada com logotipo do jogo Notcoin do Telegram

Usuários do Notcoin agora recebem benefícios nos jogos Pixelverse e Musk Empire

O jogo cripto original do Telegram se uniu ao Pixelverse e Musk Empire para oferecer benefícios especiais aos jogadores
Imagem da matéria: Sinais mistos deixarão Bitcoin "instável" nos próximos meses, diz Coinbase

Sinais mistos deixarão Bitcoin “instável” nos próximos meses, diz Coinbase

O terceiro trimestre de 2024 começou com um “tom amargo” graças às vendas de Bitcoin da Alemanha e da Mt. Gox, diz a Coinbase Research