Imagem da matéria: GAS Consultoria: MP autoriza venda de R$ 150 milhões em bitcoin apreendidos na casa de Glaidson
Foto: Shutterstock

O Ministério Público Federal (MPF) anunciou na quarta-feira (16) que autorizou a venda imediata de R$ 150 milhões em bitcoin apreendidos de Glaidson Acácio dos Santos, líder da GAS Consultoria preso na Operação Kryptos deflagrada no final de agosto

Acusado de enganar milhares de clientes através de uma fraude bilionária envolvendo criptomoedas, Glaidson escondia em sua casa várias malas de dinheiro, carros de luxo, joias, e 591 bitcoins que agora serão convertidos em reais.

Publicidade

Considerado a maior apreensão de criptomoedas já feita pela Polícia Federal, os ativos foram transferido para uma conta aberta pelo MPF numa exchange brasileira cujo nome não foi divulgado. 

Durante uma sessão da Câmara Criminal do Ministério Público Federal realizada na segunda (13), o colegiado seguiu o voto do subprocurador-geral da República, Carlos Frederico Santos, e aprovou a proposta apresentada pelo Gaeco/RJ de liquidação imediata das criptomoedas.

A operação deve ser realizada em uma corretora brasileira e sem gerar custos ao Poder Público. O dinheiro obtido com a venda deve ser transferido para uma conta judicial e o seu uso será definido no futuro pela Justiça.

O órgão explicou em nota que os procuradores que acompanham a investigação entenderam que o melhor seria converter o bitcoin em moeda soberana, como forma de garantir a segurança do montante e evitar a volatilidade da moeda.

Publicidade

O MP disse que a medida seguiu um roteiro de boas práticas elaborado pela Estratégia Nacional de Combate à Corrupção e à Lavagem de Dinheiro (Enccla), que alertou que “as criptomoedas, armazenadas em corretoras ou carteiras frias, poderiam ser movimentadas pela organização criminosa, já que as transações são feitas sem intermediários, por meio de chaves privadas que podem ser recuperadas à distância”.

Ao tomar a decisão, o órgão consultou ainda a Câmara de Coordenação e Revisão da área criminal do MPF para ter uma orientação de quais procedimentos práticos deveriam ser adotados. O caso também motivou o MPF a criar um grupo de trabalho para elaborar manuais que orientem os procuradores em outros casos futuros que envolvam criptomoedas. 

As criptomoedas da Gas Consultoria

Não está claro se as criptomoedas apreendidas representam a quantia total de bitcoin em posse de Glaidson. O delegado responsável pelo caso, Leonardo Borges, descobriu durante as investigações que o ex-garçom fez um aporte superior a R$ 1,2 bilhão em bitcoin na sua conta pessoal na maior exchange do mundo — uma possível referência a Binance.

Glaidson continua preso após ter sua prisão preventiva decretada no mês passado por suspeita de liderar um esquema de captação de investimentos em criptomoedas em forma de pirâmide financeira. Ele e seus aliados podem responder por crime contra o Sistema Financeiro Nacional, lavagem de capitais e organização criminosa.

Publicidade

No início da semana, o STJ negou um pedido de liberdade apresentado pela defesa de Glaidson. Na sua decisão, o desembargador Jesuíno Rissato citou o potencial risco de fuga e apontou indícios de movimentações financeiras atípicas que chegariam a bilhões de reais, que estariam sendo enviados ao exterior em uma possível ocultação de patrimônio investigado.

VOCÊ PODE GOSTAR
homem segura com duas mãos uma piramide de dinheiro

Polícia do RJ investiga grupo acusado de roubar R$ 30 milhões com pirâmide financeira

Para ganhar a confiança dos investidores, a empresa fraudulenta fazia convites para assistir jogos de futebol em camarote do Maracanã
Imagem da matéria: Bitcoin ganha estátua no Brasil com Satoshi domando touro, símbolo de otimismo do mercado

Bitcoin ganha estátua no Brasil com Satoshi domando touro, símbolo de otimismo do mercado

O MB inaugurou uma estátua que simboliza a relevância do mercado cripto em 2024, marcado pela adoção institucional e o recorde de preço do BTC
Logotipo do token CorgiAI

Mercado Bitcoin lista token CorgiAI

O ativo é ligado a projeto que usa utiliza inteligência artificial para criar uma comunidade de entusiastas no ecossistema cripto
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo