Bitcoin e bandeira da coreia do sul
Shutterstock

Um novo relatório criado pelo Instituto de Finanças da Coreia do Sul (KIF) indica que a crescente adoção de criptomoedas no país pode tornar o sistema financeiro tradicional “instável”.

O pesquisador sênior da KIF, Lee Dai-gi, sugeriu que empresas que investem em criptomoedas voláteis podem perder reservas financeiras, o que pode levar a uma “deterioração da qualidade dos ativos” e arriscar a reputação das companhias.

Publicidade

O país foi palco da implosão da criptomoeda LUNA e da stablecoin USDT em maio. A Coreia do Sul foi o lar do projeto Terra Labs, que criou os ativos, e do fundador da empresa, o infame Do Kwon.

Embora o impacto das criptomoedas na economia da Coreia do Sul “ainda seja insignificante”, o pesquisador disse que o crescimento da indústria no país desde 2019 indica que “a influência dos ativos virtuais deve continuar a se expandir”.

“Considerando o número crescente de crimes relacionados, os ativos virtuais podem surgir como uma enorme ameaça à estabilidade financeira”, acrescentou o relatório.

As criptomoedas na Coreia do Sul

Em 2019, havia 914 mil usuários de criptomoedas na Coreia do Sul, de acordo com a KIF. Em 2020, esse número subiu para 1,21 milhão e, em 2021, já haviam 5,58 milhões de usuários.

Publicidade

As agências reguladoras coreanas há muito consideram como aplicar a regulamentação sem afetar o crescente mercado de criptomoedas. Na terça-feira (6), a Comissão de Serviços Financeiros (FSC) anunciou planos para lançar um mercado de títulos digitais operado pela Korea Exchange (KRX), uma das três bolsas de valores do país.

A incorporação desses ativos é necessária “para apoiar o desenvolvimento sólido do mercado e da indústria com base nas [proteções] do investidor e na estabilidade financeira”, diz o anúncio.

Juntamente com o crescimento volátil da criptomoeda na Coreia do Sul e no exterior, o país tem discutido a melhor forma de aproveitar essa nova indústria.

Até agora, a população deixou clara sua preferência sobre o assunto, elegendo o presidente pró-cripto Yoon Suk-yeol em março. “Para realizar o potencial ilimitado do mercado de ativos virtuais, devemos revisar as regulamentações que estão longe da realidade e não são razoáveis”, disse ele em janeiro.

Publicidade

A tarefa agora parece ser equilibrar a inovação no setor e limitar as perdas do consumidor semelhantes ao colapso do Terra.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.co.

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis!

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda de Ethereum na frente de gráfico

Ethereum pode surpreender positivamente nos próximos meses, diz Coinbase

Subindo menos que outras criptomoedas em 2024, o Ethereum pode se recuperar e superar seus pares nos próximos meses, avalia a Coinbase
Moedas de ethereum à frente de ilustração de cadeado

A SEC vai finalmente aprovar os ETFs de Ethereum? Entenda

Vence no fim desta semana o prazo para a SEC aprovar ou não alguns pedidos de ETFs de Ethereum e a expectativa agora é mais positiva do que nunca
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Imagem da matéria: O que é o Notcoin? Conheça o jogo baseado em Telegram, o token NOT e os planos futuros

O que é o Notcoin? Conheça o jogo baseado em Telegram, o token NOT e os planos futuros

Notcoin é um jogo baseado no Telegram que nos últimos meses acumulou um total de 35 milhões de jogadores