Imagem da matéria: Criadores da 3AC rompem silêncio e explicam motivos da falência da empresa
(Foto: Shutterstock)

Os dois cofundadores do Three Arrows Capital (ou 3AC, na sigla em inglês), Su Zhu and Kyle Davies — a gestora de fundos de investimentos cripto que, recentemente, entrou com um pedido de recuperação judicial — romperam um período de silêncio superior a um mês em uma entrevista à agência de notícias Bloomberg, publicada nesta sexta-feira (22).

Zhu e Davies atribuíram o rápido colapso do 3AC a especulações otimistas demais por parte deles, pois Zhu afirmou que se “posicionaram por um tipo de mercado que acabou não acontecendo”. Davis reiterou: “Acreditamos em absolutamente tudo”.

Publicidade

Em seu longo “post-mortem”, Zhu disse que “não era surpresa” que o 3AC desistiu e entrou com um pedido de recuperação judicial, junto com Celsius e Voyager.

Eles não foram os únicos a sentir o frio do inverno cripto. Credoras, como Vauld e BlockFi, estão tendo problemas de liquidez, enquanto alguns grandes nomes — como Coinbase, Gemini, OpenSea e Blockchain.com — estão anunciando demissões em massa.

“Temos nosso próprio capital, temos nosso próprio balanço patrimonial, mas também recebemos depósitos dessas credoras e geramos retornos para esses depósitos. Então se estamos no negócio de receber depósitos e gerar retornos, então isso significa que acabamos realizando negociações similares”, disse Zhu.

Por que a 3AC quebrou

Em sua entrevista, Su Zhu e Kyle Davies atribuíram o colapso do 3AC à exposição excessiva aos tokens terra (LUNA) e staked ether (stETH), bem como ao fundo Bitcoin Trust (GBTC) da Grayscale.

Publicidade

Zhu disse que, no caso do Terra, ele não havia notado os sinais de alerta no início:

O que deixamos de perceber era que Luna foi capaz de chegar a praticamente zero em uma questão de dias e que isso geraria um ‘squeeze’ de crédito [redução nos empréstimos disponíveis] pela indústria, o que iria pôr uma pressão significativa em todas as nossas posições ilíquidas.

Começamos a conhecer Do Kwon de um jeito mais pessoal quando ele se mudou para Singapura. E sentimos que o projeto seria capaz de fazer coisas fenomenais e já tinha feito coisas fenomenais. Se pudéssemos ver que isso agora seria possivelmente “atacável”, de algumas forma, e que teria crescido demais e rápido demais…

Outra negociação popular entre as afligidas empresas cripto foi staked ether. Em teoria, cada token stETH poderá ser trocado por 1 ETH após a rede Ethereum migrar para um mecanismo de consenso proof of stake (ou PoS) em setembro.

Porém, um dos efeitos dominós do colapso do Terra foi que o stETH começou a perder sua paridade.

Segundo Zhu, isso fez com que traders oportunistas apostassem contra o token:

Já que [o colapso do] Luna acabou de acontecer, foi uma espécie de contágio, em que as pessoas disseram: “OK, existem pessoas que também estão com posições de compra alavancadas em staked ether vs. ether que vão ser liquidadas conforme o mercado cai?”. Então toda a indústria meio que foi atrás dessas posições, pensando que é algo que pode ser obtido.

Publicidade

Zhu também atribuiu o colapso do 3AC à exposição ao Bitcoin Trust (GBTC) da Grayscale, um investimento de produto para investidores institucionais que querem exposição ao bitcoin sem os riscos de armazená-lo diretamente. O GBTC está sendo negociado a um desconto de 30% em relação ao BTC.

Fundadores da 3AC estão sumidos?

Su Zhu alegou que o motivo de os fundadores do 3AC terem sumido das redes sociais nas últimas cinco semanas não tem a ver com a fuga com o capital, e sim porque sentiram que estavam sendo ameaçados.

“Para Kyle e eu, existem tantas pessoas malucas em cripto que fizeram ameaças de morte e todo esse tipo de coisa”, explicou Zhu. “Sentimos que é apenas do interesse de todos se pudermos estar fisicamente seguros e sermos discretos.”

Na terça-feira passada (12), Zhu quebrou seu silêncio de um mês no Twitter para publicar capturas de tela de um e-mail recente do Advocatus Legal LLP, a empresa contratada pelo 3AC, enviado a representantes jurídicos dos liquidadores da empresa, Teneo.

Na carta, os advogados do 3AC perguntaram à Teneo se haviam mencionado, em seu documento enviado ao Tribunal de Falências dos EUA no dia 8 de julho, as “ameaças de violência física” que os fundadores do 3AC e suas famílias estavam recebendo.

Publicidade

Então o 3AC pode estar se escondendo de investidores furiosos, mas não do público.

Não há dúvidas que este é o fim da linha para o fundo de hedge. Porém, por enquanto, a dupla está focada em cumprir com suas obrigações com os credores e, no futuro, se mudar para Dubai, provavelmente por conta da abordagem regulatória favorável a cripto da região.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

VOCÊ PODE GOSTAR
Presidente do Banco Central Roberto Campos Neto falando diante de um microfone

Presidente do Banco Central se reúne com MB um dia após anunciar agenda da regulação do mercado cripto

O Banco Central divulgou ontem os próximos passos para a regulação do setor cripto e espera concluir o processo até o final de 2024
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

Memecoin da rede Solana com tema GameStop sobe 1.900% e desperta febre do GME

A memecoin GME decolou na segunda-feira (13), entregando retornos consideráveis, superando os das ações da GameStop
Imagem da matéria: Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

Merge Madrid: encontro Web3 promete unir Europa e América Latina em outubro

De 8 a 10 de outubro, pontos chave da cidade de Madri atrairão o ecossistema Web3 sob uma perspectiva de negócios, legal e técnica