Imagem da matéria: Criadores da 3AC rompem silêncio e explicam motivos da falência da empresa
(Foto: Shutterstock)

Os dois cofundadores do Three Arrows Capital (ou 3AC, na sigla em inglês), Su Zhu and Kyle Davies — a gestora de fundos de investimentos cripto que, recentemente, entrou com um pedido de recuperação judicial — romperam um período de silêncio superior a um mês em uma entrevista à agência de notícias Bloomberg, publicada nesta sexta-feira (22).

Zhu e Davies atribuíram o rápido colapso do 3AC a especulações otimistas demais por parte deles, pois Zhu afirmou que se “posicionaram por um tipo de mercado que acabou não acontecendo”. Davis reiterou: “Acreditamos em absolutamente tudo”.

Publicidade

Em seu longo “post-mortem”, Zhu disse que “não era surpresa” que o 3AC desistiu e entrou com um pedido de recuperação judicial, junto com Celsius e Voyager.

Eles não foram os únicos a sentir o frio do inverno cripto. Credoras, como Vauld e BlockFi, estão tendo problemas de liquidez, enquanto alguns grandes nomes — como Coinbase, Gemini, OpenSea e Blockchain.com — estão anunciando demissões em massa.

“Temos nosso próprio capital, temos nosso próprio balanço patrimonial, mas também recebemos depósitos dessas credoras e geramos retornos para esses depósitos. Então se estamos no negócio de receber depósitos e gerar retornos, então isso significa que acabamos realizando negociações similares”, disse Zhu.

Por que a 3AC quebrou

Em sua entrevista, Su Zhu e Kyle Davies atribuíram o colapso do 3AC à exposição excessiva aos tokens terra (LUNA) e staked ether (stETH), bem como ao fundo Bitcoin Trust (GBTC) da Grayscale.

Publicidade

Zhu disse que, no caso do Terra, ele não havia notado os sinais de alerta no início:

O que deixamos de perceber era que Luna foi capaz de chegar a praticamente zero em uma questão de dias e que isso geraria um ‘squeeze’ de crédito [redução nos empréstimos disponíveis] pela indústria, o que iria pôr uma pressão significativa em todas as nossas posições ilíquidas.

Começamos a conhecer Do Kwon de um jeito mais pessoal quando ele se mudou para Singapura. E sentimos que o projeto seria capaz de fazer coisas fenomenais e já tinha feito coisas fenomenais. Se pudéssemos ver que isso agora seria possivelmente “atacável”, de algumas forma, e que teria crescido demais e rápido demais…

Outra negociação popular entre as afligidas empresas cripto foi staked ether. Em teoria, cada token stETH poderá ser trocado por 1 ETH após a rede Ethereum migrar para um mecanismo de consenso proof of stake (ou PoS) em setembro.

Porém, um dos efeitos dominós do colapso do Terra foi que o stETH começou a perder sua paridade.

Segundo Zhu, isso fez com que traders oportunistas apostassem contra o token:

Já que [o colapso do] Luna acabou de acontecer, foi uma espécie de contágio, em que as pessoas disseram: “OK, existem pessoas que também estão com posições de compra alavancadas em staked ether vs. ether que vão ser liquidadas conforme o mercado cai?”. Então toda a indústria meio que foi atrás dessas posições, pensando que é algo que pode ser obtido.

Publicidade

Zhu também atribuiu o colapso do 3AC à exposição ao Bitcoin Trust (GBTC) da Grayscale, um investimento de produto para investidores institucionais que querem exposição ao bitcoin sem os riscos de armazená-lo diretamente. O GBTC está sendo negociado a um desconto de 30% em relação ao BTC.

Fundadores da 3AC estão sumidos?

Su Zhu alegou que o motivo de os fundadores do 3AC terem sumido das redes sociais nas últimas cinco semanas não tem a ver com a fuga com o capital, e sim porque sentiram que estavam sendo ameaçados.

“Para Kyle e eu, existem tantas pessoas malucas em cripto que fizeram ameaças de morte e todo esse tipo de coisa”, explicou Zhu. “Sentimos que é apenas do interesse de todos se pudermos estar fisicamente seguros e sermos discretos.”

Na terça-feira passada (12), Zhu quebrou seu silêncio de um mês no Twitter para publicar capturas de tela de um e-mail recente do Advocatus Legal LLP, a empresa contratada pelo 3AC, enviado a representantes jurídicos dos liquidadores da empresa, Teneo.

Na carta, os advogados do 3AC perguntaram à Teneo se haviam mencionado, em seu documento enviado ao Tribunal de Falências dos EUA no dia 8 de julho, as “ameaças de violência física” que os fundadores do 3AC e suas famílias estavam recebendo.

Publicidade

Então o 3AC pode estar se escondendo de investidores furiosos, mas não do público.

Não há dúvidas que este é o fim da linha para o fundo de hedge. Porém, por enquanto, a dupla está focada em cumprir com suas obrigações com os credores e, no futuro, se mudar para Dubai, provavelmente por conta da abordagem regulatória favorável a cripto da região.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

Talvez você queira ler
Imagem da matéria: Investidor que colocou milhões na Blast diz que "passou dos limites"; projeto já travou meio bilhão de dólares

Investidor que colocou milhões na Blast diz que “passou dos limites”; projeto já travou meio bilhão de dólares

“Nós da Paradigm achamos que o anúncio desta semana ultrapassou limites tanto na mensagem quanto na execução”, disse executivo
Imagem da matéria: Chainalysis faz webinar sobre o cenário das criptomoedas no Brasil em 2024

Chainalysis faz webinar sobre o cenário das criptomoedas no Brasil em 2024

Evento contará com a participação do diretor de novos negócios do Mercado Bitcoin, diretor jurídico da ABcripto e integrante da Chainalysis
Moeda de dogeoin

Endereços de Dogecoin superam 5 milhões pela primeira vez, mas concentração de tokens preocupa

O número de transações confirmadas na blockchain também saltou para o maior volume desde junho
Simulação de holografias saindo de um livro físico com tema criptomoedas blockchain metaverso

FGV revela vencedores do Datathon de Moedas Digitais; conheça os projetos

Evento teve um recorde de 18 equipes inscritas, oriundas de departamentos como engenharia, economia, estatística e ciência da computação