Imagem da matéria: Mixer de Bitcoin sancionado nos EUA relança com novo nome — só para ser bloqueado outra vez
Foto: Shutterstock

No início deste ano, surgiu a notícia de que o mixer de criptomoedas Blender, sancionado pelo governo dos EUA, foi relançado como um aplicativo diferente chamado Sinbad.

Agora, as autoridades federais estão indo atrás do controverso sucessor.

Publicidade

Em um anúncio na quarta-feira (29), o Escritório de Controle de Ativos Estrangeiros (OFAC) do Departamento do Tesouro dos EUA afirmou que sancionou o aplicativo Sinbad porque o grupo de hackers norte-coreano Lazarus Group o utilizou para lavar milhões de dólares em fundos de origem suspeita.

“O Sinbad também é utilizado por criminosos cibernéticos para obscurecer transações vinculadas a atividades malignas, como evasão de sanções, tráfico de drogas, compra de materiais de abuso sexual infantil e vendas ilícitas adicionais em mercados clandestinos na darknet”, diz o comunicado.

O site do Sinbad agora exibe uma mensagem informando que o serviço foi sancionado.

As sanções ao Blender

As autoridades sancionaram o Blender em maio de 2022. A empresa de análise de blockchain Elliptic afirmou na época que acreditava que o misturador de moedas havia sido relançado como Sinbad e continuava a lavar dinheiro roubado de ataques cibernéticos.

Blender e Sinbad são mixers de criptomoedas — ferramentas que permitem aos usuários enviar e receber anonimamente criptomoedas como Bitcoin ou Ethereum. Eles funcionam combinando transações para obscurecer sua origem e destino.

Criminosos, como o grupo patrocinado pelo estado Lazarus Group, vinculado a centenas de milhões de dólares em criptomoedas roubadas, usam misturadores de moedas para encobrir seus rastros.

Publicidade

As autoridades disseram na quarta-feira que hackers usaram o Sinbad para lavar fundos do roubo de US$ 620 milhões no jogo play-to-earn Axie Infinity e no ataque à Horizon Bridge, onde US$ 100 milhões em criptomoedas foram roubados.

As autoridades dos EUA também proibiram no ano passado que cidadãos dos EUA usassem o Tornado Cash, um misturador de moedas da rede Ethereum e suposto favorito do Lazarus.

A medida recebeu críticas de políticos e alguns na comunidade cripto, que afirmaram que a privacidade é um direito e que criminosos não são os únicos usuários desses aplicativos.

Em agosto, um tribunal afirmou a decisão do Departamento do Tesouro de sancionar o projeto e rejeitou objeções alegando que a medida constituía uma violação dos direitos de liberdade de expressão dos usuários da Primeira Emenda dos EUA.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Novo ETF lançado nos EUA permite apostar contra as ações da Coinbase

Novo ETF lançado nos EUA permite apostar contra as ações da Coinbase

O novo fundo sobe quando a Coinbase cai e também gera renda passiva para os investidores
Ilustração de moeda NOT dourada com logotipo do jogo Notcoin do Telegram

Notcoin cai 14% após novo projeto desagradar comunidade

Jogo viral do Telegram, Notcoin sofre um grande golpe à medida que o “recomeço” anunciado pelos criadores não surtiu efeito na comunidade
Jerome Powell, presidente do Fed, mostrado em tela de computador

O que o discurso do presidente do Federal Reserve hoje significa para o Bitcoin?

“Acreditamos que o fundo do poço ficou para trás ou muito próximo e recomendamos aumentar a exposição à medida que o Bitcoin ganha impulso”, disse um analista
Carteira de couro aberta mostra várias criptomoedas físicas

As 9 criptomoedas que podem disparar em julho

Analistas ouvidos pelo Portal do Bitcoin indicam quais criptomoedas têm potencial de alta para o mês de julho