Pirâmide montada com notas de dólar
Shutterstock

O FBI prendeu na quarta-feira (1º) um homem de Manhattan chamado Idin Dalpour, por supostamente orquestrar um esquema Ponzi de US$ 43 milhões (cerca de R$ 220 milhões) envolvendo um negócio fictício de hotelaria em Las Vegas e uma operação de trade de criptomoedas.

“Por quatro anos, Idin Dalpour supostamente usou falsas promessas de altos retornos para atrair as vítimas a investir em suas supostas empresas de hotelaria e trade de criptomoedas, mas, na realidade, usou esses pagamentos para saldar outras dívidas ou despesas pessoais”, disse o Diretor Assistente Responsável do FBI, James Smith, disse em um comunicado à imprensa.

Publicidade

“Enganar milhões de investidores prejudica a confiança dos clientes e a credibilidade dos potenciais consultores, sendo que ambos são vitais para o sucesso do mercado de investimento”, acrescentou.

A empresa de Dalpour, Maxben Group, menciona imóveis, hotelaria, locais de entretenimento e equipes esportivas profissionais — mas não parece mencionar trades em criptomoedas. Em vez disso, o negócio foi administrado por uma empresa separada, de acordo com o FBI.

“Dalpour declarou falsamente aos investidores que comprou criptomoeda no atacado e a vendeu com lucro para investidores de varejo”, escreveram os promotores na acusação.

“Tal como aconteceu com a empresa de hotelaria de Las Vegas, Dalpour prometeu aos investidores retornos anuais lucrativos e que o seu dinheiro estava segurado. Estas declarações eram falsas”, acrescentou.

Publicidade

O residente de Manhattan também supostamente gastou US$ 1,7 milhão do dinheiro dos investidores para cobrir suas perdas pessoais com jogos, mais de US$ 400 mil em lojas da Art Direct e mensalidades de escolas particulares para seus filhos.

Dalpour, 39 anos, enfrenta uma acusação de fraude eletrônica, que pode resultar em até 20 anos de prisão se for condenado.

Homem se confessa ao FBI

A acusação revela que, de 2020 a 2024, Dalpour atraiu investidores para o seu esquema com contratos forjados e demonstrações financeiras falsas, incluindo alegações de parcerias com um hotel de Las Vegas e estádios desportivos. Quando confrontado por investidores, Dalpour admitiu o engano, disse o FBI.

Esta não é a primeira vez que Dalpour é processado em conexão com seus negócios, o Grupo Maxben. No mês passado, dois credores apresentaram uma queixa contra Dalpour e sua empresa por quebra de contrato depois de tomarem emprestado US$ 2,5 milhões em 2023 e não reembolsá-los.

Publicidade

Em setembro de 2023, três investidores entraram com uma ação judicial alegando que ele os havia fraudado e violado contratos depois de terem investido um total de US$ 5 milhões em sua empresa ao longo de vários anos.

“Este é um caso de profundo abuso de confiança”, afirma o processo de 2023 em nome de três investidores de Dalpour.

“Ele começou como um contato comercial, construiu amizades com os três homens e acabou se encontrando em uma posição de tal confiança que o Sr. Saleem, o Sr. Russ e o Sr. Schroeder investiram mais de US$ 5 milhões do dinheiro deles e de seus investidores nos negócios do Sr. Dalpour.”

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

GameStop e AMC desabam com fim da euforia do retorno de Roaring Kitty

As ações memes da GameStop e AMC caíram drasticamente após a abertura dos mercados dos EUA na quinta-feira, recuando pelo menos 15%
Bitcoin e grafico de mercado

Traders de Bitcoin miram US$ 74 mil já na próxima semana com nova onda de fluxo positivo para ETFs

Com ETFs registrando quatro dias seguidos de entradas e dados de inflação nos EUA abaixo do esperado, o Bitcoin já começou a retomar a alta e superou os US$ 66 mil
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Os maiores tokens de jogos lançados em 2024 – até agora

O Notcoin aparece na lista dos maiores tokens de jogos deste ano, ao lado de Pixels, Portal, Saga e muito mais
Imagem da matéria: Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Brasileiros importam R$ 8,9 bilhões em criptomoedas em abril apesar da queda do Bitcoin

Volume importado de criptomoedas mais que dobrou em abril em comparação com o mesmo período de 2023