Imagem da matéria: Coinbase faz reunião com diretor do Banco Central do Brasil
Foto: Shutterstock

Renato Dias de Brito Gomes, o diretor de Organização do Sistema Financeiro e Resolução do Banco Central do Brasil, se reuniu na manhã desta sexta-feira (20) com integrantes da Coinbase, a maior exchange de criptomoedas dos EUA.

Também estiveram presentes representantes da XVV Advogados no encontro que aconteceu por videoconferência. Na agenda do BC, a única informação sobre a reunião, que foi fechada à imprensa, diz que a pauta era discutir a organização do sistema financeiro.

Publicidade

Por parte da Coinbase, a reunião contou com as presenças de Faryar Shirzad, diretor de relações institucionais, Fabio Plein, diretor executivo na América, e John Medel, gerente de relações institucionais. Do lado do BC, Gomes foi o único participante.

Coinbase de olho no Brasil

O encontro de hoje com o diretor do Banco Central pode ser mais um sinal dos esforços da Coinbase em expandir suas operações de criptomoedas para o Brasil.

No início de setembro, a empresa anunciou a segunda fase do seu plano de expansão global, focado em países que possuem “regras claras” para o mercado cripto, incluindo o Brasil na lista, ao lado de Singapura, Austrália, Canadá, Reino Unido e países membros da União Europeia.

“Onde acreditamos que as regulamentações são claras e sensatas, podemos trabalhar mais de perto com os reguladores para obter as autorizações necessárias para oferecer nossos produtos e serviços e atualizar o sistema”, disse a corretora na ocasião.

Publicidade

Enquanto isso, o BC tem feito diversas reuniões com integrantes do setor cripto. Em julho, Gomes se encontrou com o presidente da Associação Brasileira de Criptoeconomia (ABCripto), Bernardo Srur, e com representantes da Associação Brasileira de Fintechs (ABFintechs).

Na época, o Portal do Bitcoin apurou que o objetivo da reunião era apresentar o mercado de criptomoedas — números, características e infraestrutura — ao departamento de organização do sistema financeiro do BC.

Depois que o governo estabeleceu o Banco Central como regulador do mercado de criptomoedas no Brasil, essa unidade do BC ficou encarregada de itens como fiscalização, licenças e autorizações junto a serviços de ativos digitais, sendo importante para ela entender melhor o funcionamento do mercado.

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de vários hamsters lado a lado vestidos de paletó e gravata

Hamster Kombat: Veja o Daily Combo e Cipher Code desta segunda-feira (22)

Procurando o combo diário e o código cifrado desta segunda-feira, 22 de julho? Aqui está o que você precisa para ganhar moedas no jogo Hamster Kombat do Telegram
mão segura celular com logo do whatsapp

WhatsApp pirata pode estar minerando criptomoedas no seu celular sem você saber

Conhecidos como WhatsApp GB, Aero e Plus, as cópias não autorizadas do app oficial da Meta podem abrir portas para vazamento de mensagens, fotos e áudios, dizem especialistas
Pessoa segura smartphone com logo BUSD com as mãos apoiado em uma mesa

SEC encerra investigação sobre stablecoin da Binance sem ações de penalidade

A SEC alegou que a stablecoin BUSD era um valor mobiliário em um processo movido contra a Binance no ano passado
Sheik das criptomoedas Francisley Valdevino

Cúmplices de pirâmide do “Sheik das Criptomoedas” se declaram culpados nos EUA

Nestor Nunez e Ramon Perez atuaram na Forcount, uma pirâmide liderada por Francisley da Silva para fraudar falantes da língua espanhola