Imagem da matéria: Coinbase destaca Brasil em lista de países com “regras claras” em que planeja expandir operações
Shutterstock

A Coinbase, maior corretora de criptomoedas dos EUA, anunciou a segunda fase do seu plano de expansão global, focado em países que possuem “regras claras” para o mercado cripto. O Brasil faz parte desta lista, ao lado de Singapura, Austrália, Canadá, Reino Unido e países-membros da União Europeia.

“Onde acreditamos que as regulamentações são claras e sensatas, podemos trabalhar mais de perto com os reguladores para obter as autorizações necessárias para oferecer nossos produtos e serviços e atualizar o sistema”, afirma a corretora em publicação no seu blog

Publicidade

Na visão da Coinbase, esse cenário de regras bem estabelecidas permite a construção de produtos e serviços mais eficientes, e resultam em um crescimento de longo prazo. A fórmula de expansão tem gerado progresso significativo e está sendo um importante foco de trabalho da corretora ao longo do último ano.

A Coinbase diz que trabalhou por seis meses na segunda fase da sua estratégia de expansão apelidada de “Go Broad, Go Deep”. Esse plano consiste em obter licenças e fortalecer as operações nos mercados de “expansão profunda” que estão promulgando regras claras. “Os mercados de prioridade de curto prazo incluem a Europa (UE e Reino Unido), Canadá, Brasil, Singapura e Austrália”, informa a corretora.

Também está na visão da empresa expandir produtos de derivativos com o apoio de reguladores progressistas, bem como estabelecer parcerias e iniciativas com bancos, provedores de pagamento e outras instituições locais nos países foco de expansão.

Além disso, a Coinbase planeja trabalhar com membros do G20 e principais centros financeiros para ajudar a criar padrões globais para a indústria cripto. A corretora diz ser positivo o fato de o Brasil assumir a presidência do G20 em dezembro de 2023, o que “apresenta uma oportunidade significativa para manter e direcionar esse momentum” positivo para o setor cripto. 

Publicidade

“A Coinbase foi lançada recentemente no Brasil, assim como no Canadá, e nosso cofundador e CEO Brian Armstrong visitará ambos os países no final deste ano para se envolver com os principais tomadores de decisão e partes interessadas, enquanto participamos da agenda do G20 e fortalecemos nossa presença nas Américas”, garante a corretora.

VOCÊ PODE GOSTAR
criptomoedas caindo no fogo

Manhã Cripto: onda vendedora em mercados globais pressiona criptos; OKX lança rede de segunda camada

Expectativa por realização de lucros com a proximidade do halving puxa o Bitcoin, que acaba pressionando as outras criptomoedas
Imagem da matéria: OKX corta taxas de negociação e introduz taxa negativa no Brasil; entenda

OKX corta taxas de negociação e introduz taxa negativa no Brasil; entenda

Segundo a OKX, haverá um modelo de níveis em que usuários poderão ter taxas de maker negativas ou zeradas dependendo do saldo na exchange
Uniswap, venture, criptomoedas, investimentos, web3

Manhã Cripto: Token da Uniswap despenca 17% após alerta de processo da SEC e Bitcoin recupera os US$ 70 mil

CEO da Uniswap, Hayden Adams, disse não estar surpreso, “apenas irritado, desapontado e pronto para lutar”
Imagem da matéria: Sistema de pagamentos do governo sofre invasão e hackers tentam roubar R$ 3,5 milhões, diz jornal

Sistema de pagamentos do governo sofre invasão e hackers tentam roubar R$ 3,5 milhões, diz jornal

Invasores teriam acessado o sistema de pagamentos do governo federal através do roubo de dados de funcionários