Participantes do hackaton da Educar+ no Rio de Janeiro
Participantes do hackaton da Educar+ no Rio de Janeiro (Divulgação)

O Complexo do Chapadão, no Rio de Janeiro, é a sede oficial do Hacking for Trust no Brasil. O evento está acontecendo na Tech House da Polygon, recém inaugurada na ONG Educar+, o Hackathon Internacional de Impacto Social, tem como objetivo desenvolver soluções inovadoras para problemas locais com base nas 17 ODS da ONU.

O Hacking For Trust começa nesta sexta-feira (28) e vai até o domingo (30) quando serão anunciados os projetos vencedores e os hackers que receberão os mais de US$ 20 mil em prêmios..

Publicidade

Desenvolvido pela Impact Plus, a responsável por toda vertente social da Rede Polygon e a Universidade de Georgetown, o Hacking for Trust é um Hackathon híbrido que reúne estudantes e desenvolvedores do Quênia, Nigéria e Brasil sob as mesmas regras e premiação.

Cada país tem entre 25 e 30 participantes, divididos entre seis e oito times cada, todos os times terão de um a dois integrantes da universidade de Georgetown para auxiliar nas atividades.

Serão distribuídos pela Polygon três prêmios de US$ 3 mil, US$ 1.500 e US$ 750 e US$ 18.500 pelo Protocolo DeFi 1inch Network, patrocinadora oficial do Hacking For Trust.

Divulgação

Durante o Hackathon, cada time de cada país competirá entre si.O esperado é que as equipes trabalhem para encontrar soluções tecnológicas, sociais e ambientais dentro das suas realidades, como a melhoria do acesso à educação e serviços de saúde, o combate à violência, o incentivo ao empreendedorismo local e a preservação ambiental.

Publicidade

Com inscrições limitadas, o Hacking For Trust trouxe até o final a missão de priorizar a participação de grupos minoritários e de projetos sociais, e de promover uma diversidade que não é vista na maioria das maratonas.

Henrique Aragon, Country Officer Brasil da Impact Plus, diz que “Todos os grupos inscritos no Hackathon receberão um desenvolvedor de Georgetown para que qualquer pessoa tenha condição de colocar a sua ideia em jogo. Nossa meta é conseguir mostrar como a tecnologia web3 pode ser uma ferramenta de mudança de vida.”

Mudança social

O Complexo do Chapadão, onde o evento acontece no Brasil, é um aglomerado de favelas do Rio de Janeiro com mais de 200 mil habitantes e que enfrenta todos os desafios corriqueiros de uma região periférica: violência, pobreza, falta de acesso a serviços básicos, condições de moradia precária, exclusão social, marginalização e a lista é extensa.

O Complexo do Chapadão fica longe das favelas midiáticas do Rio de Janeiro e mais longe ainda do olhar do poder público. Movidos por suprir essa necessidade, desde 2017, o Educar+ leva educação, cultura e tecnologia para mais de 100 crianças todos os dias.

Publicidade

O hackathon visa mobilizar a comunidade local para enfrentar esses desafios e colocar suas soluções em ação. Além do valor do prêmio, os projetos criados durante o evento receberão uma verba para investir no marketing do projeto e serão apresentados a investidores e patrocinadores em potencial, com o objetivo de atrair recursos para implementá-los.

“O Pilar de tecnologia do Educar+ em 2023, carrega como missão impactar o máximo de vidas possíveis utilizando a Blockchain. O convite para sediar o Hacking For Trust no Brasil me deixa muito feliz por ser um sinal claro de que o nosso trabalho mais do que reconhecido, é valorizado”, diz Carol Santos, CEO e Fundadora da ONG, indicada a categoria Mulher na Web3 pelo prêmio Women in Tech Awards 2022, por suas ações junto ao Educar+.

O Educar+ oferece aulas gratuitas de Introdução a Blockchain, Informática Básica além de outras referentes à alfabetização e cultura, recentemente realizando um desejo antigo de expandir sua atuação para outras favelas do Rio de Janeiro, em parceria com a universidade privada UNISUAN, oferece aulas de Blockchain na a sede de Bonsucesso para jovens da Maré, Alemão e Manguinhos.

VOCÊ PODE GOSTAR
piramide financeira criptomoedas

MP denuncia quatro envolvidos na pirâmide financeira do “Príncipe do Bitcoin” 

Por meio da A.C. Consultoria, os golpistas causaram prejuízo de R$ 234.600 a vários investidores de Campos dos Goytacazes
moedas de bitcoin, ethereum e litecoin à frente de quadro negor, sob mesa de sala de aula

Itaú promove curso online gratuito sobre criptomoedas

O lançamento será na quinta-feira (25), com uma live especial no Youtube
Close na mão de candidato preenche gabarito com lápis preto

Novo concurso do BNDES pede conhecimento em criptomoedas e blockchain; Salário é de R$ 20,9 mil

São 900 vagas para vários cargos, incluindo cadastro de reserva e cotas para candidatos negros e pessoas com deficiência
mão segura celular com logo do whatsapp

WhatsApp pirata pode estar minerando criptomoedas no seu celular sem você saber

Conhecidos como WhatsApp GB, Aero e Plus, as cópias não autorizadas do app oficial da Meta podem abrir portas para vazamento de mensagens, fotos e áudios, dizem especialistas