Uma pistola, munições e moeda de bitcoin sobre uma mesa
Foto: Shutetrstock

Uma americana que tentou pagar um assassino na dark web com Bitcoin para matar seu ex-marido recebeu uma sentença de prisão de cinco anos na sexta-feira da semana passada.

Kristy Lynn Felkins, 38, se declarou culpada em março pelo uso de “serviços interestaduais que facilitam a prática de assassinato por aluguel”, de acordo com o Departamento de Justiça dos EUA. Ela enfrentava uma sentença máxima de 10 anos de prisão.

Publicidade

Em 2016, ela enviou 12 bitcoins, então no valor de US$ 5 mil, para o administrador de um site na rede Tor chamado Besa Mafia, que alegou oferecer serviços de assassinato por aluguel. O Bitcoin que ela enviou valeria quase US$ 360 mil hoje, de acordo com o CoinGecko.

Durante quatro meses em 2016, Felkins trocou mensagens com o administrador do Besa Mafia. Ela forneceu informações específicas sobre como seu ex-marido poderia ser encontrado, incluindo seu endereço residencial, veículo, e a que horas ele saiu para o trabalho, de acordo com uma queixa-crime enviada em 2020.

Felkins queria que o assassinato do ex-marido parecesse um acidente, mas não concordou com um aumento de US$ 4 mil no preço pelo “serviço”. Depois que seu pagamento foi enviado, o administrador do site disse que um assassino foi designado e que seu marido desapareceria dentro de uma semana. 

No entanto, nenhum assassinato ocorreu. Besa Mafia era um site fraudulento que não está mais em operação, segundo o Departamento de Justiça em um comunicado de imprensa, e Felkins nunca teve seu Bitcoin reembolsado. O Departamento de Justiça não revelou como tomou conhecimento das ações de Felkins.

Publicidade

“Grande surpresa”

O ex-marido de Felkins, Gabriel Scott, da Carolina do Norte disse que ficou “muito, muito surpreso” quando soube da conspiração fracassada para assassiná-lo, descrevendo Felkins como “uma mãe maravilhosa”, segundo o artigo do The Sacramento Bee.

O divórcio foi “tão amigável quanto você poderia esperar”, disse Scott ao Juiz Distrital dos EUA, Troy L. Nunley, que o convocou para ouvi-lo. Ainda assim, Scott acreditava que Felkins merecia algum tipo de sentença.

Felkins disse ao administrador do Besa Mafia em 2016 que ela podia se beneficiar com a morte do seu ex-marido. “Espero conseguir sua aposentadoria, nossa casa e possivelmente um grande pagamento do seguro de vida”, disse ela, de acordo com a queixa crime do caso.

No entanto, Felkins disse estar grata pela pessoa encarregada do Besa Mafia não ter cumprido o acordo que havia estabelecido.

Publicidade

“Estou muito feliz que nenhum mal tenha acontecido a Gabe”, disse ela. “Agradeço a Deus todos os dias que a pessoa com quem conversei era um artista fraudulento.”

Um caso semelhante levou à prisão de uma mulher do Mississippi ano passado, depois dela ter desembolsado US$ 10 mil em Bitcoin a um suposto assassino que acabou se revelando um agente federal dos EUA disfarçado.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Os ETFs de Bitcoin à vista negociados nos EUA captaram US$ 654,3 milhões entre os dias 5 e 9 de julho
Imagem da matéria: Andrew Tate diz que não suporta a cultura cripto - mesmo lucrando com ela

Andrew Tate diz que não suporta a cultura cripto – mesmo lucrando com ela

O polêmico provocador das redes sociais diz que, agora que provou que pode usar criptomoedas, ele vai “consertá-las”
Imagem da matéria: Mt. Gox: relembre a ascensão e queda da exchange que vai distribuir bilhões em Bitcoin

Mt. Gox: relembre a ascensão e queda da exchange que vai distribuir bilhões em Bitcoin

Mais de uma década após a maior exchange de Bitcoin do mundo ser hackeada, os credores da Mt. Gox finalmente receberão seus reembolsos; aqui está o que aconteceu
Imagem da matéria: Guilherme Haddad Nazar se torna vice-presidente da Binance na América Latina

Guilherme Haddad Nazar se torna vice-presidente da Binance na América Latina

Com mudança, Guilherme Nazar, sobrinho do ministro Fernando Haddad, passa a acumular a função de diretor geral da Binance no Brasil