Imagem da matéria: Mulher pega dez anos de prisão por tentar encomendar morte do marido usando bitcoin
(Foto: Shutterstock)

O Departamento de Justiça dos EUA (ou DOJ, na sigla em inglês) anunciou, na segunda-feira (1º), a sentença de Jessica Leeann Sledge, da cidade de Pelahatchie, no Mississippi, a dez anos de prisão por ter supostamente tentado contratar um assassino por um site na darkweb usando bitcoin (BTC). O alvo dela seria o marido.

Sledge foi sentenciada à prisão máxima prevista em lei de 120 meses de prisão por “usar serviços comerciais interestatais de assassinato por encomenda”, de acordo com o promotor Darren J. LaMarca e o agente Jermicha Fomby da agência local (em Jackson, no Mississippi) do Departamento Federal de Investigações (ou FBI).

Publicidade

A propositura do DOJ alega que Sledge tentou contatar um assassino on-line entre setembro e novembro de 2021 e enviou três pagamentos via WhatsApp que totalizaram US$ 10 mil em bitcoin nos dias 4, 9 e 10 de outubro de 2021.

Sem o conhecimento de Sledge, o “assassino” com o qual ela havia entrado em contato era um agente federal que se encontrou com Sledge na cidade de Brandon, no Mississipi, no dia 1º de novembro de 2021, onde ela foi presa e confessou seu papel no plano de assassinato por encomenda.

Além da sentença de dez anos de prisão, Sledge foi multada em US$ 1 mil e passará três anos em liberdade condicional após cumprir com sua pena de prisão.

Em outubro de 2021, na época dos pagamentos feitos por Sledge, o bitcoin estava precificado em cerca de US$ 54.771. Com a atual queda do mercado cripto, os bitcoins valeriam cerca de US$ 5,8 mil se as autoridades tivessem sob a posse das criptomoedas.

Publicidade

Assassinato com bitcoin

O uso do bitcoin continua sendo um motivo utilizado por reguladores para justificar uma proibição às criptomoedas. Em 2021, Nelson Replogle, do Tennessee, supostamente pagou um assassino que encontrou em um site de assassinatos por encomenda para matar sua esposa usando bitcoin de sua carteira da Coinbase.

De acordo com o documento do FBI, Replogle enviou bitcoin ao suposto assassino, uma descrição do carro de sua esposa e o horário em que ela levaria seu animal de estimação à clínica veterinária.

O FBI obteve os detalhes da transação pela Coinbase e, por meio de uma intimação enviada à AT&T, a fornecedora de internet de Replogle, foi confirmado que a conexão havia vindo da casa de Replogle. Quando o mandado de prisão foi emitido, a esposa de Replogle saiu ilesa.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

Quer investir em ativos digitais, mas não sabe por onde começar? O Mercado Bitcoin oferece a melhor e mais segura experiência de negociação para quem está dando os primeiros passos na economia digital. Conheça o MB!

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Correlação entre Bitcoin e Ether está prestes a passar por "cruz da morte"; entenda os efeitos

Correlação entre Bitcoin e Ether está prestes a passar por “cruz da morte”; entenda os efeitos

A “cruz da morte” poderá frear os avanços do Ethereum e demais altcoins
Imagem da matéria: STF autoriza extradição de belga preso no Brasil por operar pirâmide com criptomoedas

STF autoriza extradição de belga preso no Brasil por operar pirâmide com criptomoedas

De acordo com as investigações, a pirâmide criada pelo belga prejudicou milhares de investidores em diversos países europeus
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de forex e criptomoedas de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Kaarat
Mão sugere bater mertelo da justiça- em um fundo escuro o logo Google

Google processa criadores de apps de criptomoedas que enganaram mais de 100 mil usuários

Segundo o Google, os réus contaram várias mentiras para conseguir disponibilizar os aplicativos enganosos no Google Play