Imagem da matéria: Unick Forex: Danter Silva desaparece, e Justiça cogita pedir prisão preventiva
Danter Silva, um dos diretores da Unick Forex. Na foto, ele supostamente estava em Belize (Foto: Reprodução/Youtube)

A Justiça do Rio Grande do Sul avalia decretar prisão preventiva de Danter Silva, ex-diretor de marketing da Unick Forex, por ele não ter sido localizado após liberdade provisória.

Danter chegou a ser preso em outubro passado, mas foi solto meses depois, em março, diante da crise do coronavírus.

Publicidade

Segundo publicação do Jornal NH desta quarta-feira (24), Danter foi intimado para ser notificado da necessidade de constituir novo advogado de defesa, visto que a banca de defensores renunciou à causa.

No entanto, ele não foi localizado no endereço informado à Justiça e não atendeu a ligações telefônicas. Há suspeita de tentativa de fuga.

Diante do sumiço, a juíza substituta da 7ª Vara Federal de Porto Alegre, Karine da Silva Cordeiro, considera decretar sua prisão.

Agora, as autoridades devem entrar em contato com familiares de Danter nos municípios de Sapiranga e Parobé, já que nem por telefone o oficial de Justiça conseguiu localizar Danter.

Publicidade

Na última sexta-feira (19), segundo o NH, o oficial Adão da Silva emitiu relatório sobre as várias tentativas frustradas de encontrar o réu.

Danter é um dos 15 réus no processo que investiga um golpe cujo formato foi caracterizado pela Polícia Federal como pirâmide financeira.

Unick Forex sem defesa

Como aconteceu com o grande chefão do esquema Unick, Leidimar Lopes, se Danter não resolver logo o problema, a juíza deve nomear um defensor público para defender o réu.

No início de junho, Cordeiro nomeou o defensor público Fabio Carboni Ceccon para defender Leidimar Lopes, antes defendido pelo escritório Nelson Wilians Fratoni Rodrigues.

Publicidade

O motivo para o abandono da empresa de Leidimar e Danter por parte do escritório foi o não pagamento de honorários e de despesas contratuais.

Pirâmide bilionária

Com a promessa de lucro de 100% sobre o valor investido em até seis meses, a empresa deixou um prejuízo bilionário. Denúncia do Ministério Público Federal feita em janeiro passado revelou que a Unick Forex captou R$ 29 bilhões de 1,5 milhão de pessoas.

Ofertas como essa chamaram a atenção das autoridades, levando a a Unick Forex a ser proibida de operar pela CVM (Comissão de Valores Mobiliários).

A empresa, contudo, desafiou o órgão regulador e seguiu oferecendo seus produtos. Mudou até de nome, para Unick Academy, para tentar enganar as autoridades.

Contudo, após denúncias e investigações, a Polícia Federal deflagrou em outubro de 2019 a Operação Lamanai, que teve a Unick Forex como alvo. Nove pessoas foram presas, dentre elas Danter Silva e Leidimar Lopes.

Publicidade
  • Leia também: “Proceda o despejo do Bitcoin Banco”, diz decisão de juíza da 18ª Vara de Curitiba

Compre Bitcoin na Coinext 

Compre Bitcoin e outras criptomoedas na corretora mais segura do Brasil. Cadastre-se e veja como é simples, acesse: https://coinext.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”
miniatura de homem sob pulpito e moeda gigante de bitcoin ao lado

Brasileiros não podem usar criptomoedas para fazer doações nas eleições municipais

A Procuradoria-Geral da República explicou as regras de doações para as eleições municipais de 2024
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns
Ilustração mostra mapa do Brasil com pontos ligados em blockchain

Banco Central, UFRJ, Polkadot e Ripple se unem para aprofundar pesquisas sobre interoperabilidade entre blockchains e DREX

A Federação Nacional de Associações dos Servidores do Banco Central (Fenasbac) antecipa…