Imagem da matéria: Inverno cripto faz mais uma vítima: Banxa anuncia demissão de 30% dos funcionários
Foto: Shutterstock

A operadora de pagamentos com criptomoedas Banxa anunciou que irá reduzir 30% de seus funcionários para reduzir custos operacionais, em meio ao atual mercado de baixa.

“Banxa deve tomar ações decisivas para reduzir custos agora, senão nossa empresa não será capaz de ter êxito no longo prazo”, escreveu Holger Arians, CEO da companhia, em carta a funcionários, conforme noticiado pelo Australian Financial Review.

Publicidade

A empresa australiana é uma solução global “on” e “off-ramp”, pois facilita conversões entre ativos digitais, incluindo criptomoedas e tokens não fungíveis (ou NFTs, na sigla em inglês), e moedas fiduciárias.

“Assim como muitas outras pessoas na nossa indústria, estamos antecipando outro inverno cripto, pois volumes de negociação caíram drasticamente”, explicou o CEO. “Vimos a capitalização de mercado da Banxa cair quase que pela metade em uma questão de dias e a previsão é que essas condições provavelmente continuem assim por outros 12 meses.”

Jan Lorenc, diretor-geral europeu da Banxa, também deixará a empresa, indicando a queda de interesse no mercado europeu.

De acordo com dados do LinkedIn, a Banxa tem funcionários em diferentes países, incluindo Austrália, Lituânia, Países Baixos, Filipinas, Estados Unidos, Reino Unido e Canadá. Mais especificamente, Banxa irá diminuir seu quadro de 230 funcionários para 160.

Outras grandes empresas de criptomoedas, incluindo Coinbase, Crypto.com, Gemini, BlockFi e Robinhood, também reduziram seu número de funcionários para lidarem melhor com o iminente inverno cripto.

Publicidade

Queda nas receitas fomenta demissões em empresas cripto

Grande parte das plataformas cripto gera receita pelas taxas de negociação diretamente associadas ao seu volume negociado.

Porém, devido à queda no volume negociado recentemente, essas receitas caíram drasticamente.

O volume de criptomoedas negociadas nas últimas 24 horas em todas as corretoras cripto foi de US$ 50 bilhões no domingo (26) — uma queda de 60% de seu auge de US$ 124,5 bilhões registrado em 11 de novembro de 2021, de acordo com dados do CoinMarketCap.

“Nossa equipe cresceu muito rapidamente (mais de quatro vezes nos últimos 18 meses) e nossos custos de funcionários são muito altos para gerenciar, de maneira efetiva, esse mercado incerto”, afirmou Brian Armstrong, CEO da Coinbase.

Nesta segunda-feira (27), o bitcoin (BTC) está sendo negociado a US$ 21,4 mil, em uma queda de 68% da alta recorde de US$ 68.789 registrada em novembro de 2021.

A capitalização total de mercado de todas as criptomoedas agora caiu abaixo de US$ 1 trilhão após ter registrado US$ 3 trilhões em novembro.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Sam Bankman-Fried da FTX falando em vídeo

Criador da FTX vai mudar de presídio nos Estados Unidos

Transferência de presídio pode durar até um mês nos EUA, com o detento sendo levado para várias penitenciárias até chegar ao destino final
Imagem da matéria: Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Fundador do Telegram diz que manterá seus tokens do Notcoin até multiplicarem por 100

Pavel Durov detém 1% do maior token de jogo deste ano, doado pelos jogadores. E ele não está vendendo seus Notcoin – não agora, pelo menos
Cartão de crédito com moeda de bitcoin

Mastercard lança sistema para transações com criptomoedas em parceria com MB e outras corretoras

Sistema simplifica transações de criptomoedas ao permitir que os usuários enviem e recebam fundos usando pseudônimos