Imagem da matéria: Corretora Crypto.com demite 260 funcionários devido à crise no mercado de criptomoedas
(Foto: Shutterstock)

A Crypto.com irá demitir 260 pessoas, cerca de 5% de seus funcionários corporativos, à medida que os mercados continuam caindo, de acordo com o CEO da empresa, Kris Marszalek.

Em uma série de tuítes publicados na sexta-feira (10), Marszalek descreveu as demissões como uma decisão “difícil e necessária” para “garantir o crescimento contínuo e sustentável no longo prazo”.

Publicidade

O CEO também fez referência à atual “queda do mercado”, fazendo alusão ao bear market de 2018 e o “foco no desenvolvimento” da empresa durante o inverno cripto entre 2018 e 2019.

Durante esse período, o preço do bitcoin (BTC) havia despencado cerca de 65%, caindo de sua alta recorde de quase US$ 20 mil, registrada em dezembro de 2017, para abaixo de US$ 7 mil em fevereiro de 2018.

“Iremos continuar avaliando a melhor maneira de otimizar nossos recursos para nos posicionarmos como os mais fortes desenvolvedores durante o ciclo de queda para nos tornarmos os maiores vencedores durante o próximo ciclo de alta”, afirmou Marszalek. 

Nesta segunda-feira (13), a Crypto.com é a 16ª maior corretora de criptomoedas em termos de volume “spot” (ou de negociação à vista), tendo processado US$ 1,3 bilhão em negociações no último dia.

Publicidade

Os gastos da Crypto.com

Nos últimos seis meses, a corretora esteve gastando bastante com marketing. A Crypto.com, com sede em Singapura, gastou cerca de US$ 700 milhões para se tornar a patrocinadora exclusiva dentre as corretoras de criptomoedas da Copa do Mundo FIFA de 2022.

Também pagou US$ 100 milhões para que Matt Damon estrelasse um comercial no Super Bowl e gastou US$ 700 milhões para renomear o estádio Staples Center, em Los Angeles — agora conhecido como Crypto.com Arena.

Mas os dias de glória de 2021 ficaram para trás.

Nesta segunda-feira, o bitcoin (BTC) está sendo negociado em US$ 22,9 mil, registrando uma queda de 66% desde sua alta recorde de US$ 68,7 mil em novembro de 2021.

A capitalização total do mercado de todas as criptomoedas caiu abaixo de US$ 1 trilhão após ter atingido US$ 3 trilhões em novembro, segundo o CoinMarketCap.

Publicidade

A Crypto.com não é a única grande empresa de criptomoedas a demitir seus funcionários para se preparar para o inverno cripto.

A Gemini demitiu 10% da sua equipe e a Coinbase implementou um “congelamento” de contratações e rescindiu ofertas de contratação. Na América Latina, a Bitso, a maior corretora cripto do México, demitiu 10% de seus funcionários e, na Argentina, a corretora Buenbit dispensou 45% de seus colaboradores.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: MB estreia no ranking de Exchange Benchmark em 1º lugar no Brasil

MB estreia no ranking de Exchange Benchmark em 1º lugar no Brasil

O relatório semestral, realizado pela CCData, é considerado uma estrutura robusta para classificar a atuação de exchanges do Brasil e do mundo
Imagem da matéria: Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin sobe mais de 3% após dado de inflação dos EUA cair em abril

Bitcoin, Ethereum e outras criptomoedas sobem nesta quarta-feira após o relatório do CPI dos EUA mostrar que os preços subiram mais lentamente que o esperado
Vitalik Buterin na ETH Taipei 2024. Foto: Rug Radio

Como o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, mantém suas criptomoedas seguras

“Descentralize sua própria segurança”, diz Buterin – mas ele não usa uma cold wallet para suas próprias criptomoedas
solana, criptomoedas,

Este evento vai fazer a Solana atingir US$ 400 este ano, projeta analista

Para analista da Merkle tree, a Solana pode disparar 170% este ano puxado por memecoins ligadas aos candidatos na eleição dos Estados Unidos