Imagem da matéria: Dono da DD Corporation mostra bitcoins travados mas usuários percebem fraude em vídeo
Leonardo Araújo em novo vídeo (Foto: Reprodução/Youtube)

O criador da DD Corporation, Leonardo Araújo, reapareceu em novo vídeo publicado na quinta-feira (05). Ele mostrou um novo plano de pagamentos, supostos R$ 100 milhões bloqueados nas exchanges, e pediu apoio e paciências aos clientes — diga-se das vítimas ele chamou de “família DD Corporation”.

O problema, no entanto, é que usuários denunciaram uma suposta fraude no vídeo. No minuto 16:07, ele mostra uma tela com 2.036 BTC bloquedos na exchange Poloniex, equivalente a R$ 86 milhões. O erro é percebido quando ele clica no botão “Max ammount”, que seleciona todo o saldo da conta. Ao clicar nesse botão, é mostrado um saldo de 114,6585 BTC, pouco mais de US$ 4,8 milhões.

Publicidade
Imagem tirada do vídeo mostrando o saldo total da conta

Usuários acusam Araújo de utilizar de uma ferramenta chamada Inspecionar Elemento, disponível no Google Chrome, onde é possível alterar caracteres em sites da internet de maneira que apenas no computador local seja visto os novos valores.

O que a DD Corporation diz

Segundo Araújo, que supostamente ainda se encontra em Portugal se deleitando com a fortuna que fez com a Dreams Digger e posteriormente com a DD, ele devia essa explicação desde o dia 10 de fevereiro.

Na ocasião, disse, “por ouvir conselhos externos eu acabei por não falar. Fui mal entendido”.

“Não existe um culpado se não o administrador da empresa”, disse, assumindo a culpa do caos que se instalou na empresa.

Desta vez, Araújo tentou explicar “a lógica de tudo que passamos e tudo que vivemos”, e detalhar as supostas falhas de saques duplos. Isso, segundo ele, é o que teria levado a empresa à falência, além de explicar seu novo plano de pagamentos.

Publicidade

Conforme explicou, o criador da DD não vai mais citar nenhum nome envolvido com a empresa para preservá-los.

“Se vocês querem encontrar um culpado, por favor, me culpem, porque mais uma vez eu afirmo: eu sou o único culpado da minha história”.

Saques e bônus duplicados na DD Corporation

Segundo Araújo, detalhando o funcionamento do suposto robô de arbitragem ‘Next’, houve falha no sistema. Com isso, vários bônus teriam sido pagos duplicados ou triplicados. O mesmo, disse, aconteceu com saques.

De acordo com ele, as falhas, cuja a causa foi o ‘fator graff’ (Graff Tecnologia é uma empresa de TI, parceira da DD), foram o que nos últimos meses lhe deram dor de cabeça e que mais prejudicam a sustentabilidade do negócio.

“Foi o fator mais predominante para tirar minha cabeça do lugar”, disse, citando também perdas devido a ações de hackers.

Publicidade

E apelou:

“É esse fator que eu gostaria que vocês entendessem de uma vez por todas pra pararem de criticar,  pararem de dizer “ah mas será que ele deu o golpe?, será que ele fugiu? Pelo amor de Deus gente, se fosse para ter dado um golpe, se fosse pra ter fugido, eu não estaria aqui pra apresentar tudo isso pra vocês em vão. Eu estou aqui para a gente poder tentar resolver tudo isso junto”.

Araújo também explicou sobre os fundos bloqueados pelas exchanges por conta da falta de documentação — KYC, por exemplo, que é uma apuração específica da área de Compliance de uma empresa cujo objetivo é prevenir fraudes.

O discurso, no entanto, se tornou comum nos casos de pirâmides financeiras com bitcoin.

R$ 100 milhões bloqueados

De acordo com ele, existe um montante de R$ 100 milhões bloqueados em duas exchanges — Poloniex e Bitfinex (no vídeo, duas telas são mostradas rapidamente). Ele diz que o valor é o suficiente para seguir com os plano de pagamentos.

Sobre o plano, detalhado em uma lousa de papel, ele pediu apoio:

“Para resolver dessa forma, eu preciso da ajuda, da colaboração e da paciência de vocês para que novamente eu possa ter a mente saudável de seguir operando alavancado e seguir honrando com todas as pessoas. É a única coisa que eu peço”.

Falência da DD Corporation

Em live no dia 11 de fevereiro, Leonardo Araújo tentou se corrigir depois de ter admitido a falência da DD Corporation. Na ocasião, ele havia estipulado o prazo de 1 ano para pagar os clientes.

Publicidade

Relatando que recebeu ameaças que incluíam seu país, ele disse que não quis dizer que a empresa não tinha mais dinheiro para pagar investidores.

“Em momento nenhum eu disse ‘vamos fugir, deixar de pagar as pessoas’. Dei a cara a tapa para dizer que vamos pagar conforme nós pudermos. Vou honrar até o último investidor.”

DD Corporation e bitcoin

A DD Corporation alegava ser uma plataforma de educação sobre o mercado de criptomoedas. No entanto, usava um suposto robô de arbitragem com bitcoin como principal chamariz.

Em dezembro passado, a DD sacramentou o calote e anunciou que encerraria as atividades no marketing multinível no último dia de 2019. 


BitcoinTrade: Depósitos aprovados em minutos!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. Segurança, Liquidez e Agilidade. Não perca mais tempo, complete seu cadastro em menos de 5 minutos! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Bernstein reitera previsão de Bitcoin em US$ 200 mil até final de 2025

Previsão já havia sido feito em junho e os analistas apontam que a tendência recente de queda do Bitcoin não mudou esse cenário
Moedas de bitcoin empilhadas em formato de torre

Alta do Bitcoin vai além de Trump e fundamentos mostram possível forte recuperação, diz analista

Beto Fernandes, analista da Foxbit, afirma que os próprios fundamentos do Bitcoin explicam a valorização e ressalta relação oferta e demanda
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Manhã Cripto: Bitcoin sobe acima de US$ 58 mil à medida que ETFs voltam a atrair investidores

Os ETFs de Bitcoin à vista negociados nos EUA captaram US$ 654,3 milhões entre os dias 5 e 9 de julho
Imagem da matéria: Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Também foram potencialmente expostos dados como nome do usuário, CPF com máscara, instituição de relacionamento, agência e número da conta