Imagem da matéria: Carteira de criptomoedas Ledger Nano S Plus: você está realmente protegido? | Review
Ledger Nano S Plus (Foto: Decrypt)

Desde que a Ledger Nano S foi lançada em 2016, muito aconteceu no mundo das criptomoedas.

O preço do bitcoin (BTC) passou de US$ 700 para um recorde de quase US$ 70 mil — e voltou a recuar nas últimas semanas, para a faixa dos US$ 30 mil.

Publicidade

Ether (ETH) que, na época, havia acabado de ser lançado, agora é um pilar do setor cripto, servindo de alicerce para ofertas iniciais de moeda (ou ICOs, na sigla em inglês), tokens não fungíveis (ou NFTs) e organizações autônomas descentralizadas (ou DAOs) e outras siglas de três letras que definem criptomoedas na cultura popular.

Em meio a tudo isso, o potente produto da Ledger sobreviveu, com milhões de usuários confiando na carteira de hardware para garantir a segurança de suas chaves privadas, olhando para sua pequena tela enquanto enviam cripto para lá e para cá.

Recentemente, a carteira de hardware mais vendida da Ledger passou por uma reformulação. O que tem de novo e como ela pode competir em 2022?

O que existe na Ledger Nano S Plus?

A Ledger Nano S Plus é uma versão atualizada da principal carteira de hardware Ledger Nano S da empresa francesa, mas com um design renovado que possui uma tela maior e componentes internos reformulados.

A Nano S Plus custa US$ 79. Seu preço pode ser considerado médio quando comparada aos modelos Nano S (US$ 59) e a “top de linha” Nano X (US$ 149).

Publicidade

Ledger Nano S Plus: Design e criação

Se você já viu uma carteira Ledger Nano antes, então sabe o que esperar. A carteira de hardware lembra um pen drive, com uma proteção de alumínio que rotaciona para revelar o corpo do dispositivo.

Nano S Plus (Imagem: Decrypt)

Embora não seja um grande design, é discreta e bem mais bonita do que outros produtos da concorrência. Na proteção de alumínio está o logo da Ledger, que passou por uma reformulação no fim de 2021. Ficou um pouco mais simples do que o logo antigo e mais “cripto”.

A Nano S Plus possui um design mais curvo, com botões mais arredondados. Também possui uma entrada USB-C, assim como a Nano X, em vez da antiga entrada micro-USB da Nano S.

A Nano S Plus possui bordas mais arredondadas e uma tela maior (Imagem: Decrypt)

O aspecto mais importante: A Nano S Plus possui uma tela bem maior do que o modelo-base Nano S. Em vez da tela de 128 x 32 pixels, o modelo Nano S Plus, assim como o Nano S, possui uma tela de 128 x 64 pixels. Agora ficou mais fácil descer a página para encontrar endereços ao enviar criptomoedas.

Publicidade
Nano S Plus (acima) e a Nano S (abaixo) (Imagem: Decrypt)

A Nano X é bem mais nítida que o pequeno e complicado visor da Nano S, com gráficos e textos renderizados em preto e branco em vez de azul e branco.

O que vem na caixa da Ledger Nano S Plus? 

Por conta da reformulação da Ledger, sua apresentação é elegante, nas cores cinza e preta. A Ledger não usa um selo antiviolação, argumentando que este pode ser facilmente falsificado e é enganoso. Em vez disso, a caixa é embalada.

Caixa da Ledger Nano S Plus (Imagem: Decrypt)

Ao abrir a caixa, existe um guia de inicialização rápida (que explica como baixar o aplicativo Ledger Live), um envelope que contém cartões para registrar a frase de recuperação, um cabo USB-C, um chaveiro e os famosos adesivos que vêm em todas as caixas de produtos de tecnologia.

Conteúdo da caixa da Ledger Nano S Plus (Imagem: Decrypt)

Tudo parece ser de extrema qualidade — o USB-C é trançado, o design do pacote é benfeito e existem cores chamativas em todos os lugares. Não há como confundir o envelope laranja da frase de recuperação com outro papel — a menos que você o jogue fora.

Como configurar sua Ledger Nano S Plus

Para configurar a Ledger Nano S Plus, será necessário navegar pelo site da Ledger em seu computador, baixar o aplicativo Ledger Live e criar uma senha.

Publicidade

Depois, é preciso conectar a carteira Ledger ao computador.

O aplicativo Ledger Live fornece um guia simples de configuração para iniciantes (Imagem: Decrypt)

Embora Ledger Live forneça um passo a passo útil para iniciantes, a parte mais trabalhosa é feita pelo próprio dispositivo. Primeiro, é preciso escolher se a carteira está sendo configurada como um novo dispositivo ou se você deseja restaurar uma frase de recuperação. Em seguida, é preciso criar um número PIN.

Primeiro, insira um número PIN (Imagem: Decrypt)

Para navegar pelos menus, use os dois botões acima do dispositivo. Ao clicar nos dois botões ao mesmo tempo, a opção atual é selecionada.

Se a Nano S Plus está sendo configurada como um novo dispositivo, você terá de anotar uma frase de recuperação com 24 palavras e verificar uma palavra de cada vez. Esse processo é trabalhoso, mas é necessário. Tecnicamente falando, essas 24 palavras são sua carteira. O dispositivo da Ledger é apenas um meio de acessar seus fundos.

A Ledger sempre faz questão de lembrar: Se você perder sua frase de recuperação, você perde o acesso aos fundos em sua carteira. A Ledger não terá como te ajudar.

Pelo mesmo motivo, você nunca deve compartilhar sua frase de recuperação com alguém, digitá-la em aplicativos ou sites, tirar uma foto dela ou armazená-la na nuvem. Qualquer pessoa que tiver acesso às 24 palavras terá acesso à sua carteira e aos fundos contidos nela.

Quando seu dispositivo estiver configurado, conecte-se à Ledger Live para que o programa verifique se o seu dispositivo é original.

Publicidade
Tela de verificação da Ledger Live (Imagem: Decrypt)

Resenha da Ledger Nano S Plus: Ledger Live

O principal ponto de interação com a Ledger Nano S Plus será o programa para desktop Ledger Live, que possui um design simples.

Assim como a Nano S, a Nano S Plus não tem conectividade Bluetooth e a bateria interna da Nano X, ou seja, será necessário usar um cabo USB-C. O cabo que vem na caixa é bem melhor do que o minicabo USB que vem com a Nano S, mas é um pouco curto — claramente feito para usuários de notebooks, e não de desktops.

Também é possível comprar um kit Ledger OTG (ou usar um cabo adequado) para conectar seu dispositivo a um smartphone Android usando o aplicativo Ledger Live. Porém, essa não é uma possibilidade para usuários de iOS.

Para acrescentar aplicativos à sua Ledger recém-instalada, você vai precisar clicar em “Manager” (ou “Gerenciador”) na barra lateral esquerda da Ledger Live. Em seguida, clique em “Allow Ledger Manager” na carteira de hardware para conceder a permissão. Verifique se seu dispositivo está atualizado (atualize-o se necessário) e acrescente ou atualize aplicativos.

“Aplicativos” representam criptomoedas, como bitcoin e ether. Instalar um aplicativo permite que você acrescente uma conta, que aparece na seção “Portfolio” da Ledger Live.

Ledger Live é a principal interface para gerenciar a carteira Ledger Nano S Plus (Imagem: Decrypt)

Com seus aplicativos instalados, é possível comprar cripto diretamente pela opção “buy/sell” no aplicativo Ledger Live usando os fornecedores compatíveis ou enviar e receber cripto. Inclui navegar pela seção “accounts” da Ledger Live e clicar na conta específica ou usar os botões “send” e “receive” na barra lateral.

Também será necessário abrir o aplicativo para a criptomoeda em questão em sua Nano S Plus.

Para enviar ou receber cripto, é preciso confirmar o endereço de envio ou recebimento no seu dispositivo Nano S Plus. Mesmo com uma tela maior, pode ser algo complicado, mas não é mais necessário clicar diversas vezes para visualizar o endereço completo.

Esta resenha, feita pelo Decrypt, executou o firmware 1.0.0-rc5, durante o pré-lançamento da Nano S Plus.

Ledger Nano S Plus: Recursos e ativos

Além da Ledger Live, é possível usar a Nano S Plus com mais de 50 carteiras web, como MetaMask, MyEtherWallet e MyCrypto.

A Nano S Plus é compatível com as mesmas 5,5 mil moedas e tokens que os modelos Ledger Nano S e X por meio da Ledger Live, como:

– Bitcoin (BTC)

– Ether (ETH) e tokens ERC-20

– Dogecoin (DOGE)

XRP

– BNB Chain (BNB)

– Cardano (ADA)

– Polygon (MATIC)

– Litecoin (LTC)

– Tron (TRX)

– Bitcoin Cash (BCH)

– Algorand (ALGO)

– Stellar (XLM)

– Zcash (ZEC)

A Nano S original só conseguia armazenar até três aplicativos no dispositivo — o que era suficiente em 2016, quando o número de criptomoedas era limitado. Hoje em dia, com milhares de ativos disponíveis, isso não é viável.

Felizmente, a Nano S Plus fornece suporte a uma capacidade bem mais aceitável de armazenamento: 1,5 MB, permitindo que diversos aplicativos sejam armazenados no dispositivo de forma simultânea — apesar de apenas 1,28 MB estar disponível para os aplicativos.

É importante notar que a resenha do Decrypt não teve acesso aos elementos completos dos aplicativos por conta do firmware de pré-lançamento. Esses elementos incluem o aplicativo da cosmos (ATOM) e o aplicativo Fido U2F que permite que dispositivos da Ledger sejam usados como uma chave de hardware para a autenticação de dois fatores (ou 2FA).

Ledger Nano S Plus: Segurança

A Nano S Plus possui as mesmas credenciais de segurança que as outras carteiras da Ledger: Um elemento de segurança fisicamente isolado e com certificação CC EAL 5+.

Isso significa que receberam certificações por uma empresa externa no mesmo padrão que os elementos de segurança usados em cartões de crédito, passaportes e chips de celular; EAL 5+ é considerado como o nível mais alto de segurança contra testes de penetração.

A Nano S Plus e as outras carteiras da Ledger também são as únicas carteiras de hardware a receberem uma certificação CSPN (ou “Certificado de Segurança de Primeiro Nível”, em tradução livre) da Agência Nacional de Cibersegurança da França (ou ANSSI).

Dispositivos da Ledger usam um sistema operacional próprio chamado BOLOS, que exigem que usuários verifiquem transações na própria carteira de hardware enquanto mostra os detalhes da transação no dispositivo. Isso garante que, caso o computador seja comprometido, a Ledger ainda mostre os detalhes corretos da transação.

A empresa possui programas de caça a bugs para identificar vulnerabilidades em seus produtos e mantém um “laboratório de ataque” interno chamado Ledger Donjon.

Para usuários extremamente preocupados com a segurança, a Nano S Plus também exige uma conexão física com um computador ou dispositivo móvel, diferente do modelo premium Nano X.

Embora a Ledger alegue que a conexão Bluetooth da Nano X seja apenas usada para transportar dados públicos e que as chaves privadas da carteira e a frase seed continuam seguras no dispositivo, a conexão Bluetooth continua representando, para alguns usuários, uma possível vulnerabilidade.

Para esses usuários, a Nano S Plus oferece um meio-termo entre as atualizações de hardware da Nano S enquanto mantém a única conexão física com a Nano S.

Embora a segurança dos dispositivos Ledger seja bastante reforçada, a empresa sofreu alguns lapsos de segurança, principalmente em junho de 2020, quando mais de um milhão de registros de usuários foram vazados de uma base de dados de e-commerce.

Em seguida, a Ledger se comprometeu a mudar seus procedimentos ao lidar com dados de clientes, mas continua sendo uma mancha constrangedora no histórico da empresa.

Ledger Nano S Plus: Veredito

O principal modelo de carteira de hardware da Ledger estava precisando de uma repaginada. Com a Nano S Plus, atingiu um equilíbrio entre reformular componentes datados sem recorrer aos (possivelmente desnecessários) recursos do modelo premium Nano X.

A menos que você realmente queira a conveniência da conectividade Bluetooth ou a capacidade de usar sua Ledger com dispositivos iOS, a Nano S Plus é o único dispositivo que você precisa. Com sua tela aumentada e maior capacidade de armazenamento, deixa para trás sua antecessora, Nano S.

Para a maioria dos usuários, a Nano S Plus é uma solução ideal de armazenamento para o seu portfólio de criptoativos e está classificada entre as melhores carteiras de hardware do mercado.

Nota do Decrypt: 4.5/5

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
busto de homem engravatado simulando gesto de pare

CVM proíbe corretora de forex e criptomoedas de captar clientes no Brasil

O órgão determinou, sob multa, a imediata suspensão de qualquer oferta pública de valores mobiliários pela Kaarat
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Fundador da FTX recorre de sentença de 25 anos e Bitcoin (BTC) estaciona em US$ 70 mil

Manhã Cripto: Fundador da FTX recorre de sentença de 25 anos e Bitcoin (BTC) estaciona em US$ 70 mil

Mercado de criptomoedas opera sem tendência definida nesta sexta-feira (12), apesar do fluxo negativo de fundos com exposição direta ao Bitcoin
Receita Federal, greve, Imposto de Renda, IR 2022

Receita Federal fará consulta pública para atualizar regras de declaração de criptomoedas

Receita Federal quer alinhar a Instrução Normativa 1.888/2019 com o modelo internacional de declaração de ativos digitais
Foco em uma moeda dourada de Ethereum (ETH)

ETF de Ethereum tem 50% de chance de ser aprovado em maio, diz JP Morgan

O gigante bancário é o último a reduzir suas expectativas em relação à revisão das propostas da SEC para oferecer fundos vinculados ao preço do ETH