antonio neto e fabricia campos braiscompany
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

Agentes da Polícia Federal deflagraram na manhã desta quinta-feira (18) a operação Select II para dar continuidade às investigações contra a Braiscompany, empresa paraibana acusada de montar um esquema bilionário de pirâmide financeira com criptomoedas.

Em nota ao Portal do Bitcoin, a PF disse que a operação de hoje, realizada em conjunto com o Ministério Público Federal, foca em “combater a lavagem de dinheiro decorrente dos crimes contra o sistema financeiro e contra o mercado de capitais, em tese, cometidos por sócios e colaboradores de empresa especializada em criptoativos”.

Publicidade

A empresa investigada é a Braiscompany, já que a operação de hoje é um desdobramento da Operação Halving, que derrubou o esquema e expediu mandados de prisão contra Fabrícia Campos e Antônio Neto Ais, o casal por trás da empresa que segue foragido.

A Polícia Federal cumpriu hoje um mandado de busca e apreensão em São Paulo (SP), mas ainda não deu detalhes sobre quem foi o alvo da ação.

Segundo as autoridades, os envolvidos no esquema da Braiscompany movimentaram valores equivalentes a R$ 2 bilhões em criptoativos e, uma vez detidos, responderão pelos crimes previstos nos arts. 7º e 16 da Lei nº 7492/86, art. 1º da Lei nº 9.613/98 e art. 27-E da Lei nº 6.385/76.

Na casa do alvo da operação de hoje, a PF encontrou um cofre e confiscou duas chaves de carros de luxo, conforme mostram as imagens abaixo:

Publicidade

As operações contra a Brais

A operação de hoje, Select II, já é a terceira deflagrada esse ano pela Polícia Federal contra a Braiscompany. Há exatamente um mês, no dia 18 de abril, a PF lançou a operação Select, na qual cumpriu seis mandados de busca e apreensão nas cidades de Campina Grande e Assunção, na Paraíba, além de São Paulo.

O objetivo da PF na ação era “apreender evidências de organização criminosa voltada para prática de crimes contra o sistema financeiro e contra o mercado de capitais, em tese cometidos por sócios e colaboradores de empresa especializada em criptoativos”.

O nome Select, escolhido para a operação, é uma alusão à denominação do grupo de gerentes que mais captavam recursos para a empresa através dos clientes.

Antes disso, em fevereiro deste ano, a PF deflagrou a operação Halving, a primeira contra a empresa acusada de funcionar como uma pirâmide financeira através de um serviço de “aluguel de criptomoedas” e que havia parado de pagar os clientes em dezembro do ano passado. 

Quer fazer uma denúncia? Envie um e-mail para [email protected]

VOCÊ PODE GOSTAR
Homem preso com as mãos algemadas nas costas

Polícia do Rio prende suspeitos de integrar quadrilha especializada em golpes com criptomoedas

Operação ‘Investimento de Araque’ foi deflagrada nos estados do Rio, Amazonas e Pará; suspeitos movimentaram mais de R$ 15 milhões em dois anos
Ilustração de moeda NOT dourada com logotipo do jogo Notcoin do Telegram

Manhã Cripto: Bitcoin entra em compasso de espera, mas Notcoin dispara 5%

Notcoin, um jogo Play-to-Earn no Telegram, anunciou que sua base total de jogadores agora é de 40 milhões
Logotipo OKX ao fundo tela trading

OKX diz que contas de usuário foram drenadas com roubo de identidade

A exchange OKX disse que está colaborando com as autoridades e que o roubo não tem relação com o uso do Google Authenticator ou verificação por SMS
Letras que formam a sigla ETF próximas a uma moeda dourada de Bitcoin (BTC)

ETFs de Bitcoin têm novo dia de saídas com fluxo de US$ 226 milhões liderado pela Fidelity

O único ETF de Bitcoin a ter entrada líquida na quinta foi o IBIT da BlackRock, o maior em valor patrimonial líquido, com fluxo positivo de US$ 18 milhões