Imagem da matéria: Ataques de hackers a projetos DeFi e corretoras em blockchain – como se proteger
Foto: Shutterstock

As corretoras e aplicativos descentralizados (dApps e Dexes) são parte de uma tecnologia nova e de alto interesse financeiro, o que atrai olhos não somente de investidores, mas também de oportunistas desonestos. Somente em 2021, houveram mais de 20 ataques nos quais hackers tiraram mais de US$ 10 milhões de protocolos blockchain. Desses, seis roubaram quantias superiores a US$ 100 milhões.

A vulnerabilidade desses aplicativos é grande. Isso porque eles têm o código aberto exposto nas blockchains, podem ser criados e disponibilizados por quaisquer desenvolvedores e startups e fazem parte de uma categoria tecnológica nova, que ainda está amadurecendo e sendo testada. O valor total perdido para hackers, em 2021, está próximo dos US$ 11 bilhões.

Publicidade

Contudo, existem mecanismos de prevenção que todos nós podemos – e devemos – adotar, não sendo necessário abrirmos mão das oportunidades trazidas pelas blockchains. A seguir, veremos como esses ataques ocorrem e como se proteger.

Os maiores casos de roubos e ataques recentes

Os três casos mais recentes ocorreram em uma onda, no início de dezembro.

A startup de blockchain MonoX Finance sofreu, no início do mês, um ataque que resultou na perda de US$ 31 milhões. O hacker se aproveitou de um bug no software relacionado à liberação de contratos inteligentes.

A empresa é uma fintech que permite que os usuários façam câmbio de criptomoedas de forma mais dinâmica, através de seu dApp DeFi. Não é preciso se preocupar com algumas das obrigações tradicionalmente requeridas por corretoras descentralizadas, como capital e fornecimento de liquidez.

A falha explorada pelo hacker se baseava no uso do mesmo token como tokenIn e tokenOut, ou seja, o câmbio de uma moeda por ela mesma, algo que o algoritmo não previa. O protocolo MonoX atualiza o preço dos tokens, após cada transação, diminuindo a cotação do tokenIn e depois aumentando a do tokenOut. Nesse caso, a nova cotação do tokenOut estava sendo sobrescrita à do tokenIn após cada operação. Fazendo sucessivas iterações, o hacker conseguiu inflar absurdamente o valor do token MONO e trocar o que tinha por US$31 milhões, nas redes Ethereum e Polygon.

Publicidade

O código do programa MonoX havia passado por uma auditoria da Halborn e Perckshield, que identificou vários problemas, mas a falha explorada pelo hacker não havia sido identificada. Isso é, em parte, responsabilidade dos desenvolvedores, que não forneceram um código limpo e de fácil leitura e não executaram suficientes testes de funcionalidade.

Na mesma semana, a corretora de criptos BitMart anunciou que hackers haviam roubado US$ 196 milhões. Essa falha foi atribuída ao roubo de uma chave privada, o que comprometeu a segurança de duas carteiras “quentes” online da corretora.

Os hackers levaram mais de 20 tokens da rede Ethereum e BSC. Esses foram, então, trocados por ETH e misturados por Tornado Cash, um processo de lavagem de criptomoedas que torna mais difícil o rastreamento posterior

O terceiro caso de grande porte deste mês foi o da BadgerDAO, que perdeu US$ 120 milhões. Esse ataque fez com que o preço do token BADGER despencasse 21% em menos de 24 horas.

Publicidade

Outros casos recentes foram os da Liquid e Poly Network, em agosto. A Liquid, uma corretora japonesa, foi vítima do roubo de cerca de US$ 97 milhões, enquanto da Poly Network foram roubados US$ 600 milhões.

O caso da Poly Network, contudo, teve uma reviravolta curiosa. O hacker abriu uma negociação e devolveu praticamente todo o valor roubado. A empresa, por outro lado, ofereceu a ele o cargo de assessor chefe de segurança e uma recompensa de US$ 500 mil.

Como se proteger

A maioria dos roubos de maior porte é direcionada a grandes corretoras e protocolos, mas os usuários de pequeno porte saem quase sempre lesados. No caso da MonoX Finance, por exemplo, o hacker levou uma grande quantia em MONO, mas quem pagou o preço foram os provedores de liquidez. Esses usuários ficaram com tokens inúteis durante a troca de MONO superfaturada por Ether. Outros ataques são mais diretos: 6000 usuários da Coinbase tiveram tokens retirados de suas contas entre março e maio deste ano, através de e-mails, senhas e números de telefones roubados. Veja algumas atitudes simples que podem te ajudar a se proteger melhor desses ataques:

Pesquisa. Qualquer ativo digital de interesse deve, primeiramente, ser pesquisado e investigado a fundo pelo investidor. Mesmo projetos confiáveis podem vir a ser alvo de hackers, mas uma pesquisa inicial pode ser suficiente para se livrar de impostores disfarçados como DeFi. Verifique a equipe, o site e os relatórios de auditoria.

Sites de impostores. São comuns os sites falsos que imitam os verdadeiros e os e-mails de phishing que direcionam os usuários até eles. Na dúvida, vale a pena pedir ajuda a usuários mais experientes.

Publicidade

Aplicativos falsos para celular. Assim como os sites falsos, também existem apps falsos para celular. É preciso se atentar a detalhes como o nome do app, o logotipo e a página na plataforma de downloads.

Contratos inteligentes. Os contratos inteligentes são a espinha dorsal dos projetos DeFi. Esse aspecto é mais técnico, mas deve ser levado em conta e analisado pelos investidores que desejam apoiar um novo protocolo.

Proteção da carteira. Sua carteira é sua maior barreira contra fraudes. Mantenha suas chaves privadas protegidas e, sempre que possível, dê preferência às carteiras “frias”.

Sobre o autor

Fares Alkudmani é formado em Administração pela Universidade Tishreen, na Síria, com MBA pela Edinburgh Business School, da Escócia. Naturalizado Brasileiro. Atua como Business Development Manager Brasil na Kucoin.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Hamster Kombat: Veja o Daily Combo e Cipher Code desta segunda (15)

Hamster Kombat: Veja o Daily Combo e Cipher Code desta segunda (15)

Procurando o combo diário e o código cifrado de segunda-feira, 15 de julho? Aqui está o que você precisa para ganhar moedas no jogo Hamster Kombat do Telegram
Imagem da matéria: Divulgador da BitConnect é proibido de administrar empresas por 5 anos

Divulgador da BitConnect é proibido de administrar empresas por 5 anos

Bigatton foi condenado na sexta-feira (12) a três anos de reconhecimento de bom comportamento e desqualificado para administrar empresas por cinco anos
Vitalik Buterin

Criador do Ethereum pede que eleitores não apoiem políticos só porque eles se dizem pró-cripto

Em meio à crescente adesão de Trump às criptomoedas, a publicação de Vitalik Buterin provocou reações mistas na comunidade cripto
Imagem da matéria: Projeto da Solana vai dar bônus de 100% em airdrop de novo token

Projeto da Solana vai dar bônus de 100% em airdrop de novo token

Sanctum, projeto de staking na blockchain Solana, irá dar bônus de 100% para quem esperar seis meses para acessar os tokens