Imagem da matéria: Voyager ganha sinal verde dos EUA para vender US$ 1 bilhão em ativos para a Binance
(Foto: Shutterstock)

A quebrada corretora de criptomoedas Voyager chegou a um acordo com o governo federal dos EUA para prosseguir com o plano de US$ 1 bilhão para vender seus ativos ao braço americano da Binance.

A notícia foi compartilhada pelo comitê oficial de credores da Voyager (UCC) na noite de quarta-feira (19). “A Voyager, a UCC e o governo chegaram a uma resolução que permitirá que o plano avance e entre em vigor em breve”, disse a UCC em uma thread no Twitter.

Publicidade

De acordo com o Comitê, “a resolução está incorporada em uma estipulação conjunta que prevê que os recursos continuarão com relação à disposição de exculpação do plano”, com o governo concordando que a aquisição dos ativos da Voyager por parte da Binance.US “pode avançar sem tal provisão e não estará sujeita à permanência.”

O Comitê acrescentou que, juntamente com a Voyager, está procurando ajudar a Binance.US “a avançar o mais rapidamente possível assim que esta estipulação for aprovada pelo Tribunal Distrital.” 

O árduo caminho da Voyager para reembolsar os investidores

A aprovação vem três semanas após o Tribunal Distrital dos EUA de Nova York suspender temporariamente o acordo alcançado anteriormente para assumir os criptoativos depositados pelos clientes da empresa.

A Voyager entrou com um pedido de recuperação judicial em julho passado, depois de divulgar uma exposição significativa ao fundo de hedge cripto falido Three Arrows Capital.

Publicidade

Desde então, ela tem trabalhado em um plano para redistribuir fundos para seus credores desde então.

A empresa chegou a um acordo com a FTX para que a bolsa comprasse seus ativos em dificuldades em setembro de 2022. No entanto, o negócio foi cancelado após a FTX também entrar com um pedido de recuperação judicial , e seu fundador, Sam Bankman-Fried, ter sido acusado de vários crimes financeiros.

Em dezembro de 2022, depois que o acordo com a FTX fracassou, a Voyager revelou que a Binance.US tinha feito a melhor oferta para esses ativos em questão, com o valor aproximado do negócio de US$ 1,022 bilhões.

Um processo judicial de fevereiro mostrou que 97% dos 61.300 titulares de contas da Voyager apoiaram o acordo com a Binance.US. No entanto, reguladores, incluindo a Comissão de Valores Mobiliários (SEC) dos EUA e a Federal Trade Commission (FTC), levantaram preocupações sobre o acordo.

A SEC lançou uma investigação para descobrir se a Voyager violou as leis federais de Valores Mobiliários e não conseguiu explicar adequadamente como protegerá os ativos dos clientes após a transferência para a Binance.US.

Publicidade

Enquanto isso, a FTC alegou que o acordo protegeria ilegalmente a Voyager da responsabilidade por “fraude real, má conduta intencional ou negligência grave.”

Em um documento separado, o Departamento de Serviços Financeiros de Nova York (NYFDS) disse que a Voyager alocou clientes no estado de Nova York e “operou ilegalmente um negócio de criptomoedas no estado sem licença.”

Além do acima exposto, a própria Binance.US está enfrentando obstáculos regulamentares que podem afetar a capacidade da exchange de finalizar esse negócio.

*Traduzido por Gustavo Martins com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

GameStop e AMC desabam com fim da euforia do retorno de Roaring Kitty

As ações memes da GameStop e AMC caíram drasticamente após a abertura dos mercados dos EUA na quinta-feira, recuando pelo menos 15%
Imagem da matéria: Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do "Rei do Bitcoin"

Propina paga a Eduardo Requião foi usada para investir na pirâmide financeira do “Rei do Bitcoin”

Nova operação da Polícia Federal visando fraudes no portos do Paraná revelou uma curiosa ligação entre o irmão do Roberto Requião e um dos maiores piramideiros do Brasil
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin têm entrada de US$ 303 mi, impulsionados por Fidelity e Grayscale

Os fluxos de entrada de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA atingiram uma alta de US$ 303 milhões em duas semanas, já que o preço do Bitcoin ultrapassou US$ 66 mil
Joe Biden posa para foto

Biden expulsa mineradora cripto chinesa de área próxima a base militar: “Risco de espionagem”

O governo afirma que a MineOne possui equipamentos especializados de origem estrangeira potencialmente capazes de facilitar atividades de vigilância e espionagem