Fachada da Braiscompany em Campina Grande PB- Portal do Bitcoin
Fachada da sede da Braiscompany em Campina Grande, na Paraiba (Foto: Portal do Bitcoin)

O número de queixas contra a Braiscompany aumentou consideravelmente nos últimos dias no Reclame Aqui, desde que o perfil da empresa no Instagram proibiu comentários dos usuários em uma semana tensa com clientes. Nos últimos sete dias, foram feitos mais de 70 registros na plataforma de defesa do consumidor, que reclamam, em sua maioria, do atraso no repasse de rendimentos de criptomoedas.

O assunto ganhou mais destaque neste início de ano, mas a Braiscompany, cuja sede fica em Campina Grande (PB), voltou atrasar o pagamento aos clientes do serviço de “locação de criptoativos” ainda no mês de dezembro.

Publicidade

Uma das últimas queixas no Reclame Aqui vem de um cliente de Brasília (DF): “Tenho 2 contratos com pagamentos atrasados, não pagam e quando solicito a devolução não respondem, o suporte já não funciona, tá ficando perigoso para os líderes da empresa, e para os brokers também. Mexeu com o bolso das pessoas, aí ficou feio pra eles. Quem avisa amigo é”, escreveu

Em uma live na segunda-feira (9), o criador da empresa, Antonio Neto Ais, culpou a corretora Binance pelos atrasos e afirmou que não abriria mão de multa dos investidores que quisessem deixar o negócio.

Mas nem essa opção de distrato — ou rescisão de contrato  — parece estar dando certo para alguns clientes, conforme revela uma outra denúncia na plataforma, registrada na sexta-feira (13).

“Não recebi até hoje o pagamento do dia 30/12/2022. Solicitei há dois dias o cancelamento do contrato, informaram que iriam me enviar o distrato, porém até agora nada. Gostaria que me enviassem com urgência os distratos dos dois contratos que tenho com a empresa, já reclamei no canal de Whatsapp, porém ainda sem sucesso”.

Publicidade

Um cliente da Braiscompany de São Paulo disse que não pensa em distrato, mas pede cumprimento do contrato. Ele escreveu:

“Meu pagamento era pra cair dia 10/01/23 e até o presente momento não foi feito o mesmo conforme consta em contrato. Não penso em rescindir o contrato, quero apenas receber o que foi combinado e assinado em contrato”.

Na última terça-feira (10), um cliente de Joinville se queixa de não ter recebido os pagamentos tanto do dia 30 de dezembro quanto de 10 de janeiro. “Muito receio do que possa estar acontecendo. Informações oficiais precárias e inconsistentes, sem falar de nenhuma garantia de que seremos pagos. Já estou mais de 10 dias amargando prejuízos financeiros e morais por conta dessa inadimplência”, relata.

Investidor pode ter caído em golpe

Conforme levantamento feito pelo Portal do Bitcoin, no período mencionado, apenas um registro no Reclame Aqui recebeu resposta da empresa, onde o suporte o alertou sobre um possível golpe.

Publicidade

O usuário, cujo registro no Reclame Aqui consta da cidade de Erechim (RS), alega ter adquirido um plano de investimento e depositado R$ 200, mas mesmo assim não conseguiu fechar o negócio, pois lhe pediram mais R$ 380 para poder começar a valer o aporte. “Tentei por email e telegram nada resolve por isso estou abrindo reclamação aqui”, escreveu.

O suporte disse que após consulta no sistema não foi encontrado contrato no nome do reclamante e que as informações fornecidas por ele não estavam de acordo com o que é aplicado pela empresa.

“Todos esses fatores indicam que o senhor tenha feito negócios com empresa falsa, já que, inclusive, a imagem anexada a esta reclamação não foi produzida pela Braiscompany”, disse o suporte.

Série de atrasos de pagamento

Conforme diversos relatos de supostos clientes no perfil da Braiscompany no Instagram, que no momento se encontra com comentários desativados, desde o dia 21 de dezembro pode ter havido atrasos no repasse dos rendimentos.

Na ocasião, a desculpa dada era que haviam problemas com um novo aplicativo, justificada pela empresa através de um email aos clientes, acerca de uma suposta integração e atualizações no sistema. 

Publicidade

Depois, no dia 30 de dezembro, mais uma leva de atrasos. Um investidor que tem R$ 15 mil presos na Braiscompany e que pediu para não ter seu nome divulgado, mostrou ao Portal do Bitcoin o e-mail em que a empresa justifica o atraso citando “inconsistências nos endereços de algumas carteiras”.

Braiscompany denunciada na CVM

Na última quinta-feira (12), a Braiscompany foi denunciada na Comissão de Valores Mobiliários (CVM), onde os autores pedem a suspensão dos negócios da empresa, sob o argumento que a empresa faz oferta irregular de valores mobiliários nas ofertas de contrato de investimento coletivo, tal como Rental Coins e Atlas Quantum.

Acerca da denúncia, o Portal do Bitcoin procurou a Braiscompany para obter um posicionamento da empresa, mas, na ocasião, não teve retorno.

Já pensou em inserir o seu negócio na nova economia digital? Se você tem um projeto, você pode tokenizar. Clique aqui, inscreva-se no programa Tokenize Sua Ideia e entre para o universo da Web 3.0!

VOCÊ PODE GOSTAR
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Fundos cripto do Brasil captam mais R$ 1,5 mi e chegam a 21ª semana consecutiva de entradas

Vindo de uma grande sequência de captação, fundos de criptomoedas do Brasil estão em 3º lugar no ranking global, atrás apenas dos EUA e Hong Kong
Imagem por detrás de uma pessoa algemada

Interpol prende hacker que roubou R$ 260 mil da Polícia de Buenos Aires e lavou fundos com USDT

Liderado por um venezuelano, preso nos EUA, o grupo roubou R$ 8 milhões de entidades argentinas através de um malware de origem brasileira
Celular com logotipo da BInance

Binance anuncia fim do suporte a uma stablecoin que afetará pares com Bitcoin e Ethereum

A exchange também anunciou a listagem de novos pares de negociação com Lira turca
Ilustração de bandeira do Brasil dentro moeda de Bitcoin

Novo estudo do LAPIN apresenta melhores práticas para regulação de criptomoedas no Brasil

White paper feito pelo LAPIN com apoio da Ripple traz diversos pontos e dados para ajudar na regulação do setor de criptomoedas brasileiro