Imagem da matéria: Polícia Federal expõe Lamborghini do "Rei do Bitcoin" em museu de Curitiba
Carro de Claudio Oliveira foi apreendido pelo Polícia Federal (Foto: Polícia Federal/Divulgação)

Recentemente, a Polícia Federal (PF) do estado apreendeu uma Lamborghini do “Rei do Bitcoin”, como era conhecido o empresário Cláudio José de Oliveira, e a transformou em uma viatura. Talvez pelo fato de o carro não poder exercer seus 325 km/h de capacidade, acharam agora outra utilidade: peça de museu.

A exposição “PF em Ação no Paraná” na verdade começou em julho no espaço cultural do Aeroporto Internacional Afonso Pena.  Agora, ganha espaço mais nobre: o Museu Oscar Niemeyer (MON), que irá abrigar a coleção entre os dias 15 de setembro e 3 de outubro de 2021.

Publicidade

Segundo o comunicado da PF, a exposição “conta com quarenta imagens que ilustram as ações da Polícia Federal pelo estado, evidenciando as multifuncionalidades e a variedade das atividades policiais.” Mas a estrela do show é inegavelmente a Lamborghini do “Rei da Bitcoin” devidamente fardada e transformada em viatura da PF.

Em agosto, a Justiça Federal autorizou a PF do Paraná a transformar em viatura a Lamborghini modelo Gallardo LP 560-4, avaliada em R$ 800 mil. “Equipado com motor de 10 cilindros e potência de 560 cv, o veículo vai de zero a 100 km/h em 3,7 segundos, podendo alcançar a velocidade máxima de 325 km/h”, descreveu a PF em nota à imprensa na época.

No informe da PF sobre a exposição no MON, consta que “o esportivo de luxo foi plotado para ser utilizado em exposições, eventos e ações pedagógicas de repressão ao crime organizado”.

Para os interessados em cultura em Curitiba, além das fotos e do carro, uma outra atividade empolgante: demonstração de exercícios táticos, dos cães farejadores da instituição, exibição de material técnico e operacional.

Publicidade

A exposição é gratuita e fica aberta de terças-feiras a domingos, das 12h às 18h.

Exposição da PF no Museu Oscar Niemeyer em Curitiba (Foto: Polícia Federal/Divulgação)

“Rei dos Bitcoins”

No dia 24 de agosto, o juiz Paulo Sérgio Ribeiro da 23ª Vara da Justiça Federal de Curitiba, aceitou a denúncia do Ministério Público Federal (MPF) e Cláudio José de Oliveira virou oficialmente réu pelos crimes de estelionato, organização criminosa e crimes financeiros.

O braço direito do empresário, Johnny Pablo Santos, também se tornou réu por organização criminosa, estelionato e obtenção de ganhos ilícitos em processos fraudulentos. Já Lucinara da Silva Oliveira, esposa de Cláudio, além de ser acusada de organização criminosa, também vai responder por impedir a investigação das autoridades. Lucinara foi pega em contato com outros investigados na operação a mando de Cláudio Oliveira, voltando a ser presa oito dias após ter ganho a liberdade.

Ansiedade e hipertensão

Claudio Oliveira foi preso preventivamente e ficou sob a custódia da Polícia Federal do Paraná. De lá, foi transferido para a Cadeia Pública de Curitiba, local em que os presos precisam ficar enquanto aguardam uma vaga no sistema prisional do Estado. Oliveira, no entanto, não quer ir para a prisão comum.

O falso Rei do Bitcoin disse, em petição juntada ao processo que corre na Justiça Federal, que tem saúde debilitada, ansiedade e hipertensão. Por isso, falou, deveria ser enviado para o Complexo Médico Penal, penitenciária destinada a detentos que necessitam de tratamento médico e psiquiátrico. O local de seu desejo já abrigou outros milionários, como o correntista suíço e ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha.

VOCÊ PODE GOSTAR
piramide financeira criptomoedas

MP denuncia quatro envolvidos na pirâmide financeira do “Príncipe do Bitcoin” 

Por meio da A.C. Consultoria, os golpistas causaram prejuízo de R$ 234.600 a vários investidores de Campos dos Goytacazes
Ronaldinho Gaúcho em vídeo promovendo Olymp Trade

CVM aplica multa de R$ 680 mil em corretora promovida por Ronaldinho Gaúcho

Promovida pelo ex-craque da Seleção, Ronaldinho Gaúcho, a Olymp Trade prometia retornos de até 92%
Imagem da matéria: "Jogo do Tigrinho" deve ser liberado pelo governo do Brasil; veja regras

“Jogo do Tigrinho” deve ser liberado pelo governo do Brasil; veja regras

A liberação do “Jogo do Tigrinho” deve ser feita por meio de portaria que será emitida pelo Ministério da Fazenda
Imagem da matéria: Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Também foram potencialmente expostos dados como nome do usuário, CPF com máscara, instituição de relacionamento, agência e número da conta