Imagem da matéria: Justiça dos EUA distribui US$ 568 milhões a milhares de vítimas de pirâmide financeira
Foto: Shuttestock

O Departamento de Justiça dos Estados Unidos (DoJ) anunciou na quinta-feira (16) que 31.000 vítimas do esquema de pirâmide financeira aplicado pelo americano Bernard Madoff vão receber um adicional de US$ 568 milhões confiscado pelo governo. O golpe, descoberto em 2008, arrecadou bilhões de dólares de investidores de diversos países. Madoff, que foi condenado a 150 anos de prisão em 2009, morreu em uma penitenciária federal dos EUA em abril deste ano.

De acordo com o DoJ, esta é a sétima distribuição de fundos recuperados do golpe de todas as pessoas e empresas que estavam em conexão com a Bernard L. Madoff Investment Securities LLC (BLMIS). Até o momento, disse o órgão, o Fundo das Vítimas de Madoff (MVF) — que recebeu 65.000 petições de vítimas em 136 países — já ressarciu  81% dos prejuízos das vítimas que entraram com recurso. 

Publicidade

“Os esforços contínuos do Departamento para garantir justiça às vítimas deste crime são demonstrados neste processo de reparação do caso Madoff em andamento e dos bilhões devolvidos a vítimas inocentes em todo o mundo”, disse o procurador-geral em exercício, Kenneth A. Polite Jr.

A procuradora Audrey Strauss, que atua na corte de Nova York, ressaltou que o crime de Madoff ainda traz sofrimento às vítimas, mas que as autoridades atuam incansavelmente para reparar os danos causados pelo que ela chamou de “o maior esquema Ponzi da história”.

Ressarcimento de US$ 4 bilhões

Ainda de acordo com o DoJ, dos cerca de US$ 4,05 bilhões que foram disponibilizados para ressarcir as vítimas, aproximadamente US$ 2,2 bilhões vieram do confisco do espólio de Jeffry Picower, um investidor aliado de Madoff, que morreu em 2009. Outros US$ 1,7 bilhão vieram de um processo cujo uma das partes foi o banco JPMorgan.

“Os fundos restantes foram coletados por meio de uma ação civil de confisco contra o investidor Carl Shapiro e sua família e de ações civis e criminais de confisco contra Bernard L. Madoff, Peter B. Madoff e seus co-conspiradores”, ressalta o DoJ.

Publicidade

Pirâmide de Madoff

Bernard Madoff entrou para a história das pirâmides financeiras com um esquema que remunerava investidores com porcentagens acima da realidade do mercado, o que teria durado cerca de 20 anos.

Documentos judiciais mostram que que Bernard Madoff usou sua posição como presidente da BLMIS, a empresa de consultoria de investimentos que fundou em 1960, para roubar bilhões de seus clientes.

Em 12 de março de 2009, ressalta o DoJ, Madoff se declarou culpado de 11 crimes federais, admitindo que transformou a BLML no maior esquema Ponzi do mundo, beneficiando a si mesmo, sua família e amigos.próprio.

Com o esquema ponzi disfarçado de fundos de investimentos, o novaiorquino acabou levando à falência metade da elite de Palm Beach, bairro nobre na Flórida.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda de Tether (USDT) sob superfície lisa

Tether anuncia reorganização para ir além de sua stablecoin e cria quatro divisões

Mudança em sua estrutura visa ampliar o fornecimento de soluções de infraestrutura focadas na inclusão
silhueta de executivo triste em frente a computador

Trader que lucrou milhões com manipulação de preços vai a julgamento; caso pode impactar setor DeFi

Trader que lucrou US$ 100 milhões manipulando preços na exchange descentralizada Mango Markets começa a ser julgado hoje nos EUA
moeda de bitcoin envolta a luzes piscantes coloridas

CriptoTwitter: Veja reações ao halving do Bitcoin

O 4º halving chega com aplausos e grandes esperanças para uma nova era com o protocolo Runes online
Paolo Ong, da SEC Filipinas

Termina prazo para saída da Binance das Filipinas e reguladores avisam: “Não há como sacar fundos após bloqueio”

“Não podemos endossar nenhum método de como retirar seu dinheiro agora que a ordem de bloqueio foi emitida”, disse o regulador filipino