Tela de smartphone mostra logo PicPay em verde
Foto: Shutterstock

Dias após a XP Investimentos fechar sua corretora de criptomoedas, foi a vez do PicPay anunciar o fim de suas operações voltadas ao mercado de ativos digitais.

O PicPay vai parar de vender criptomoedas no seu aplicativo devido as “indefinições regulatórias do setor”. Em nota à imprensa, o vice-presidente de Produtos e Tech do PicPay, Anderson Chamon, disse que após a empresa testar o mercado sob a regulação atual, decidiu por suspender as operações.

Publicidade

O executivo, no entanto, garantiu que está no plano do PicPay retornar ao mercado cripto “quando houver mais clareza sobre o tema”.

“Nada muda em relação à nossa crença na tecnologia como infraestrutura, e continuamos disponíveis para atuar, junto ao Banco Central, para impulsionar e popularizar esse mercado no Brasil”, disse Chamon.

Já a partir desta sexta-feira (20) não é mais possível comprar criptomoedas no aplicativo do PicPay.

Os usuários com saldo em criptomoedas no aplicativo poderão liquidar os tokens por reais até o dia 11 de dezembro, sem taxas. Quem preferir manter as reservas em criptomoedas, terão a opção de fazer a portabilidade para a corretora Foxbit até o dia 30 de outubro.

Serviço atingiu 1 milhão de usuários

Quando o PicPay lançou a venda de criptomoedas em agosto do ano passado, em apenas cinco meses o serviço já havia sido usado por um milhão de brasileiros.

Publicidade

O reforço de que o movimento se trata de uma “pausa estratégica” também veio de Daniel Mandil, executivo que até então era responsável pela operação cripto do aplicativo.

“Apesar dos avanços regulatórios recentes, a definição do arcabouço legal até o momento está em aberto. Observamos que uma incerteza similar também acontece em outros países, que ainda buscam modelos definitivos. Esse cenário nos levou a essa decisão”, contextualizou.

Mas nem todas as empresas têm a mesma interpretação do cenário cripto brasileiro. Em parceria com o Mercado Bitcoin, a Magalu começou ontem (19) a vender criptomoedas no seu aplicativo. A partir de R$ 1, os usuários do app podem comprar EthereumBitcoin e USDC.

VOCÊ PODE GOSTAR
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

Manhã Cripto: ETFs de Bitcoin chegam ao 9º dia consecutivo de entradas

Os ETFs de Bitcoin negociados nos EUA já captaram US$ 1,9 bilhão nos últimos nove dias
Mão segurando celular com logo da Toncoin e no fundo ícones do Telegram

Rede TON do Telegram vai se conectar ao Ethereum via blockchain de segunda camada

Em meio ao boom dos jogos do Telegram, The Open Network está pronta para lançar uma camada 2 compatível com Ethereum em colaboração com a Polygon
Ilustração de um hacker de Ethereum

Plataforma DeFi do Ethereum recupera R$ 42 milhões após atender exigências de hacker

Uma exploração que ocorreu na rede de segunda camada do Ethereum, Scroll, fez com que milhões fossem drenados da Rho Markets
Pessoa segura smartphone com logo BUSD com as mãos apoiado em uma mesa

SEC encerra investigação sobre stablecoin da Binance sem ações de penalidade

A SEC alegou que a stablecoin BUSD era um valor mobiliário em um processo movido contra a Binance no ano passado