Imagem da matéria: Ministro russo quer criptomoedas para pagamentos internacionais mas sob controle do governo
Foto: Shutterstock

Menos de um mês depois do uso de criptomoedas em pagamentos ter sido proibido na Rússia, o Banco Central e o Ministério das Finanças do país parecem ter voltado atrás na repressão que vinham mostrando até então ao mercado cripto.

Segundo a agência de notícias russa TASS, o vice-ministro das Finanças, Alexei Moiseev, disse ser necessário legalizar, em um futuro próximo, os acordos transfronteiriços firmados com o uso de criptomoedas.  

Publicidade

Em entrevista ao canal de TV Russia-24 nesta segunda-feira (5), ele disse que tanto o Ministério das Finanças quanto o Banco Central concordam que, nas condições atuais, “é impossível prescindir de acordos transfronteiriços em criptomoeda”.

“A infraestrutura que planejamos criar é muito rígida para o uso de criptomoedas em acordos transfronteiriços, que, claro, devemos antes de tudo legalizar de alguma forma. Por um lado, dar às pessoas a oportunidade de fazer isso, o coloca sob controle para que não haja lavagem, pagamento de drogas e assim por diante”, disse Moiseev na entrevista.

O ministro reforçou na ocasião que o Banco Central da Rússia também repensou a abordagem adotada ao setor cripto, levando em consideração o fato de que a situação do país mudou. 

Embora aponte ser necessário legalizar o uso de criptomoedas em pagamentos internacionais, Moiseev defende que isso seja feito sob controle do governo russo: 

Publicidade

“Agora as pessoas abrem carteiras de criptomoedas fora da Federação Russa. É necessário que isso possa ser feito na Rússia, que isso seja feito por entidades supervisionadas pelo Banco Central, que são obrigadas a cumprir os requisitos da legislação contra a lavagem de dinheiro e, antes de tudo, é claro, Conheça seu Cliente [KYC].”

A aproximação ao setor das criptomoedas também já foi visto por outros países que, assim como a Rússia, sofre uma série de sanções internacionais que dificultam seu avanço econômico. O Irã, por exemplo, fez a primeira importação com pagamento em criptomoedas no início de agosto.

Rússia e criptomoedas

No dia 15 de agosto, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, assinou uma lei que proíbe criptomoedas, como o bitcoin, de serem usadas como meios de pagamentos dentro do país.

Com a lei em vigor, as instituições financeiras que atuam na região são obrigadas a recusar transações onde seja possível utilizar ativos digitais como “substituto monetário”.

Publicidade

A proibição chegou no mês posterior ao Parlamento da Rússia aprovar em primeira votação o projeto de lei que estabelecia as novas obrigações.

A movimentação para criar barreiras para o avanço das criptomoedas na Rússia começou no início deste ano, quando o Ministério das Finanças enviou ao governo uma proposta de regulamentação do setor. Na época, o Banco Central do país defendeu a proibição da mineração de bitcoin e transações com ativos digitais.

Putin, no entanto, afirmou que a Rússia tinha “certas vantagens competitivas” na mineração de criptomoedas por conta do “superávit de eletricidade e equipes treinadas disponíveis no país”.

Mesmo assim, o presidente sancionou a lei que impede que ativos digitais sejam usados por russos para adquirir bens e serviços no país. Apesar disso, a lei não proíbe o uso de criptoativos como instrumentos de investimento.  

Quer negociar mais de 200 ativos digitais na maior exchange da América Latina? Conheça o Mercado Bitcoin! Com 3,8 milhões de clientes, a plataforma do MB já movimentou mais de R$ 50 bilhões em trade in. Crie sua conta grátis! 

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 64 mil; CEO da Binance clama para que “colega querido” seja libertado da prisão

Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 64 mil; CEO da Binance clama para que “colega querido” seja libertado da prisão

Richard Teng fez uma publicação para pedir que as autoridades da Nigéria libertem Tigran Gambaryan
Moedas de bitcoin sob mesa escura com sigal ETF

ETFs de Bitcoin têm entrada de US$ 303 mi, impulsionados por Fidelity e Grayscale

Os fluxos de entrada de ETFs de Bitcoin à vista nos EUA atingiram uma alta de US$ 303 milhões em duas semanas, já que o preço do Bitcoin ultrapassou US$ 66 mil
Imagem da matéria: Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

Drenador de carteiras de criptomoedas encerra negócio após roubar mais de US$ 85 milhões

“Alcançamos nosso objetivo e agora, de acordo com o planejado, é hora de nos aposentarmos”, disseram os desenvolvedores do drenador de carteiras cripto
Imagem da matéria: Fundos cripto do Brasil e Hong Kong são os únicos com fluxo positivo na última semana

Fundos cripto do Brasil e Hong Kong são os únicos com fluxo positivo na última semana

Fundos cripto tiveram a quarta semana seguida de saídas, mas o Brasil segue com tendência positiva ao lado de Hong Kong, que se destaca com a estreia de ETFs