Imagem da matéria: Putin diz que a Rússia tem "vantagens competitivas" na mineração de Bitcoin
Foto: Shutterstock

O polêmico presidente da Rússia, Vladimir Putin, finalmente se pronunciou sobre a possível proibição das criptomoedas proposta pelo Banco Central do país.

Em videoconferência nesta quarta-feira (26), Putin parece ter ficado do lado do setor cripto, defendendo o potencial de seu país explorar o ascendente mercado de mineração, segundo o jornal Vedomosti.

Publicidade

“Claro que também temos algumas vantagens competitivas aqui, principalmente na chamada mineração. Refiro-me ao excedente de energia elétrica e ao pessoal bem treinado disponível no país”, disse.

Ele afirmou que estava ciente das discussões que acontecem desde a última quinta-feira (20), quando o Banco Central da Rússia recomendou o banimento total das criptomoedas no país, incluindo a emissão, negociação e mineração de criptoativos.

No seu pronunciamento de hoje, Putin explicou que a autoridade monetária do país atua de forma independente, mas pressionou para que o Banco Central e as autoridades de seu governo cheguem a uma decisão em comum sobre a regulação de criptomoedas.

Ele reconheceu parte do discurso dos reguladores de que o mercado cripto envolve certos riscos, principalmente o impacto que a volatilidade pode ter no bem-estar financeiro dos cidadãos, mas instruiu que as agências não ignorem as vantagens que o país possui no setor. 

Publicidade

Putin já havia dado um aceno positivo para o mercado em outubro do ano passado, quando afirmou que as criptomoedas têm valor, mas se mostrou receoso na ocasião quanto ao seu uso no comércio de petróleo. 

Guerra da Rússia contra criptomoedas

O Banco Central da Rússia sinalizou na semana passada que pretende instaurar um banimento total a qualquer atividade relacionada às criptomoedas.

A diretora do Departamento de Estabilidade Financeira do Banco da Rússia, Elizaveta Danilova, criticou em um relatório a volatilidade de moedas como o Bitcoin e declarou que elas são usadas em atividades criminosas na maioria do tempo.

Ela também reclamou da facilidade de movimentar criptomoedas para qualquer lugar do mundo pois dificulta ao Estado implementar suas políticas monetárias. Na sua visão, a solução seria banir corretoras e plataformas P2P de operar no país.

Publicidade

Embora a Rússia seja atualmente o terceiro maior player do mundo na mineração de bitcoin, atrás apenas dos Estados Unidos e Cazaquistão, o Banco Central do país nunca foi um dos mais amigáveis com o mercado.

Em 2020, a Rússia aprovou uma lei que reconhece legalmente criptomoedas como o Bitcoin, mas que proíbe que elas sejam usadas para pagar por bens de serviços.

Em julho do ano passado, o governo da Rússia revelou que estava elaborando uma lei para permitir que os órgãos reguladores possam confiscar bitcoin e outras criptomoedas que se tornaram fontes de renda do crime.

VOCÊ PODE GOSTAR
Policial algemando suspeito durante a noite

Suspeito de roubar quase R$ 10 milhões da Pump.fun é preso em Londres

Jarett Dunn, ex-funcionário da plataforma Pump.fun, foi preso na Inglaterra acusado de golpe de quase R$ 10 milhões
Ilustração de uma lâmpada flamejando B de bitcoin

MB lança Fist, primeiro token de Renda Variável Digital no setor de energia elétrica

O investimento, disponível pela primeira vez para pessoa física, possui validade de 30 anos, com dividendos que variam de 0,9% a 1,2% ao mês
Imagem da matéria: CEO da Grayscale deixa cargo: "Momento certo para transição"

CEO da Grayscale deixa cargo: “Momento certo para transição”

A Grayscale, uma das maiores gestoras de criptomoedas do mundo, anunciou que Michael Sonnenshein está deixando o cargo de CEO
Moeda de Bitcoi sob mapa da América comd estaque para Venezuela

Venezuela quer desativar todas as fazendas de mineração de criptomoedas do país

O governador do estado de Carabobo afirmou que o governo está prestes a publicar um decreto que irá proibir a mineração de criptomoedas