Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin (BTC) sobe 4,2% e mira US$ 37 mil com apostas de aprovação de ETFs
Foto: Shutterstock

As principais criptomoedas embarcam em um rali nesta quinta-feira (9), impulsionadas por dados mais concretos para a aprovação de um fundo de índice (ETF) de Bitcoin à vista no mercado americano. Nas bolsas internacionais, os contratos futuros dos EUA mostram estabilidade, embora o S&P 500 tenha registrado sua oitava alta seguida na quarta-feira. 

Acima do maior nível em 18 meses, o Bitcoin avança 4,2% em 24 horas, para US$ 36.840,27, segundo dados do Coingecko.    

Publicidade

Em reais, o BTC sobe 4,7%, negociado a R$ 181.410,33, de acordo com o Índice do Portal do Bitcoin (IPB).  

Ethereum (ETH) tem alta de 1,6%, cotado a US$ 1.914,96.  

As principais altcoins acompanham os ganhos, entre elas BNB (+1,6%), XRP (+0,6%), Cardano (+4,5%), Solana (+8,3%), Dogecoin (+1,8%), TRON (+2,2%), Toncoin (+1,5%), Polygon (+5,7%), Polkadot (+3,5%), Chainlink (+8,4%) e Shiba Inu (+3,6%).  

Bitcoin hoje 

A Comissão de Valores Mobiliários dos EUA (SEC) começou a conversar com a Grayscale Investments sobre os detalhes do pedido da gestora para converter seu “trust” GBTC, o maior fundo de Bitcoin do mundo, em um ETF de BTC à vista (spot), disse uma pessoa a par do assunto ao CoinDesk. 

A partir desta quinta (9), uma pequena janela se abre, durante a qual a SEC poderá aprovar 12 solicitações pendentes de ETFs de Bitcoin à vista. 

Diante da expectativa de um sinal verde do xerife de Wall Street, a maior criptomoeda atingiu o maior patamar desde 6 de maio de 2022 – pouco antes do colapso da stablecoin TerraUSD, mostram dados da Bloomberg. 

Publicidade

“Com o Bitcoin sendo negociado acima do nível quando a stablecoin Terra [UST] implodiu, traders de criptomoedas superaram oficialmente essas cicatrizes psicológicas”, disse à Bloomberg Markus Thielen, chefe de pesquisa da Matrixport. 

Aproveitando a onda, a Ark Invest, da gestora popstar Cathie Wood, e a 21Shares prometem um novo grupo de ETFs com exposição de ativos digitais. 

Reabertura da FTX 

Uma empresa sob o comando do ex-presidente da Bolsa de Valores de Nova York (NYSE), Tom Farley, está entre os três pretendentes que disputam a compra da massa falida da FTX, disseram pessoas a par dos planos ao Wall Street Journal. 

Bullish, a exchange de criptomoedas administrada por Farley, a startup de fintech Figure Technologies e a empresa de venture capital cripto Proof Group disputam a compra da FTX, que colapsou há exatamente um ano, de acordo com as fontes. O vencedor poderia reabrir a corretora após o término do processo de recuperação judicial, previsto para 2024. 

Publicidade

O CoinDesk havia relatado nesta semana o interesse da Proof, que faz parte do consórcio agora no comando da plataforma de crédito cripto Celsius. Não há garantias de que um acordo será fechado e outros investidores poderiam entrar na disputa, segundo o WSJ. 

Processo da SEC contra Binance 

Os esforços da Binance, maior exchange cripto do mundo, para anular um processo da SEC não estão respaldados pela lei, disse o regulador federal em documento na quarta-feira (8) compartilhado pelo CoinDek

A SEC rebateu a decisão da Binance e de sua filial nos EUA, a Binance.US, de rejeitar a ação movida em meados do ano, dizendo que o pedido se baseia em interpretações “distorcidas” e “torturadas” tanto da lei federal quanto de precedentes.  

A agência iniciou o processo contra a Binance em junho, um dia antes de processar a Coinbase, argumentando que ambas as corretoras cripto ofereceram valores mobiliários não registrados a investidores. 

No Brasil, a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) das Pirâmides Financeiras pediu o indiciamento da Binance, citando supostas irregularidades nas operações no país, como no pagamento de impostos, por exemplo. 

Publicidade

A Binance argumenta que faz transferências internacionais de recursos por meio de instituições financeiras autorizadas, com o pagamento dos impostos cabíveis na operação. 

O presidente da CPI, o deputado Aureo Ribeiro (Solidariedade-RJ), disse ao Valor que conversa com o presidente da Câmara, Arthur Lira (PP-AL), para aprovar novos projetos de lei sobre criptoativos ainda este ano. 

Outros destaques das criptomoedas 

A Jump Crypto, uma divisão com foco em web3 do grupo Jump Trading, também entrou na mira da SEC, que investiga um suposto acordo da empresa com o ex-CEO da Terraform Labs, Do Kwon, de acordo com o portal Unchained Crypto. No mês passado, os advogados da SEC questionaram o presidente da Jump Crypto, Kanav Kariya, para saber se a empresa havia concordado em restabelecer a paridade da Terra USD (UST) ao dólar, comprando grandes quantidades da stablecoin algorítmica em maio de 2021.  

Trechos do depoimento, compartilhados no X pelo pesquisador que se identifica como FatMan, mostram que Kariya se recusou a responder invocando a Quinta Emenda da Constituição dos EUA. 

Na Espanha, o regulador do mercado acionário disse na quarta-feira (8) que abriu a primeira ação relacionada a uma possível violação das regras que regem campanhas publicitárias em massa para criptoativos, informou a Reuters. A CNMV iniciou um processo disciplinar contra a provedora de tecnologia espanhola Miolos sobre campanhas da empresa para promover ativo digitais.   

Enquanto isso, a União Europeia propôs regras para que emissores de stablecoins tenham fundos suficientes para reembolsar investidores em momentos de estresse dos mercados. 

Publicidade

A Yuga Labs, empresa por trás da coleção de arte digital Bored Apeconfirmou que luzes ultravioleta UV-A instaladas no Ape Fest, em Hong Kong, foram “provavelmente a causa” de uma série de emergências médicas entre os participantes, que relataram visão turva e ardor nos olhos após participarem do evento no fim de semana passado. A Yuga informou que iniciou uma investigação detalhada do incidente, mas o CEO da Artfi, Asif Kamal, ameaça entrar com uma ação legal contra a plataforma, alegando falha de segurança no evento, segundo o Decrypt. 

VOCÊ PODE GOSTAR
Pai Rico Pai Pobre Robert Kiyosaki posa para foto

Autor de “Pai Rico, Pai Pobre” explica por que não vai comprar ETF de Bitcoin

Robert Kiyosaki defende há anos Bitcoin, ouro e prata como as maiores reservas de valor
Moedas douradas de Bitcoin (BTC) em frente a um gráfico de preço de alta

Manhã Cripto: Bitcoin e Ethereum ensaiam alta; BC fala em atraso do Drex e lei para stablecoins pode avançar nos EUA

O clima ainda é de cautela para as criptomoedas depois de comentários do presidente do Fed sobre manter os juros elevados e o risco de retaliação de Israel ao recente ataque do Irã
Imagem da matéria: Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Os NFTs ficaram para trás com boom do Bitcoin – mas a Animoca ainda acredita nos tokens

Na Paris Blockchain Week, o presidente da Animoca Brands, Yat Siu, discutiu a regulamentação da SEC, o ressurgimento do mercado de NFT e as finanças de sua empresa
Imagem da matéria: Banco do Brasil e BTG estão entre os maiores detentores do ETF de Bitcoin da BlackRock

Banco do Brasil e BTG estão entre os maiores detentores do ETF de Bitcoin da BlackRock

Segundo Eric Balchunas, da Bloomberg, as 30 instituições são responsáveis por apenas 0,2% de tudo que o ETF da BlackRock tem