Imagem da matéria: O que são stablecoins e como usar essa classe de criptomoedas
Stablecoins ganham mercado como passo mais seguro no mundo cripto (Foto: Shutterstock)

Desde sua criação, as criptomoedas têm sido consideradas instrumentos de investimento particularmente voláteis quando se trata de seu preço. Isso levou a saltos e quedas de preços, impedindo que fossem utilizadas para bens e serviços do dia a dia em alguns casos, devido aos riscos para fornecedores e comerciantes.

Aqui é onde entram as stablecoins. A teoria é a seguinte: se você criar uma moeda que está ‘atrelada’ ou ligada a uma moeda fiduciária regular, como o dólar americano ou algo mais com um preço relativamente estável, isso evitará oscilações de preço.

Publicidade

Nós exploramos isso mais abaixo.

O que é uma stablecoin?

Stablecoins são criptomoedas que afirmam serem lastreadas por moedas fiduciárias – dólares, reais, libras, shekels, rublos, etc.

A ideia é que, ao contrário de criptomoedas como o Bitcoin, os preços das stablecoins permanecem estáveis, de acordo com a moeda fiduciária que as respalda.

As stablecoins são usadas como reservas de valor ou unidades de conta, bem como em outros casos de uso onde criptomoedas voláteis podem ser menos desejáveis. Diferentes stablecoins utilizam diferentes estratégias para alcançar a estabilidade de preço; algumas são centralizadas, outras são descentralizadas.

Quais são alguns exemplos de stablecoins?

Stablecoins centralizadas

Tether (USDT)

Tether é uma das primeiras stablecoins e a mais famosa. Alega ter lastro por uma reserva de dólares reais – “colateral” – que está “off-chain”, ou seja, em um local do mundo real controlado por uma terceira parte centralizada.

Com esse tesouro de forma segura guardado no cofre de um banco, os investidores poderiam ter confiança de que seus tethers realmente valem um dólar cada, mantendo o preço estável.

Publicidade

Há apenas um problema: a Tether Ltd, que emite os tokens Tether, nunca provou de forma conclusiva que a moeda realmente é totalmente lastreada, alimentando dúvidas entre os investidores. (Mais sobre isso abaixo)

Gemini Dollar (GUSD)/Paxos Dollar (PAX)/USDC

Desenvolvidas pelos investidores de risco, os gêmeos Winklevoss, a startup blockchain Paxos e a exchange de criptomoedas Coinbase (em conjunto com a plataforma de pagamento Circle), respectivamente, essas stablecoins estão conquistando a confiança dos investidores institucionais – todas foram minuciosamente auditadas por empresas de Wall Street e estão em conformidade com os regimes regulatórios locais. À medida que a confiança na Tether diminui, esses tokens se tornam ainda mais populares.

Filecoin (oneFIL)

Desenvolvida pela ICHI, um protocolo para criar “autoridades monetárias descentralizadas”, oneFIL é a stablecoin para a rede Filecoin. É lastreada por USDC e pela moeda nativa do Filecoin, FIL. Sua finalidade é fornecer uma stablecoin para o amplo desenvolvimento da rede Filecoin, além de oferecer incentivos e descontos para compradores e fornecedores de armazenamento Filecoin.

Stablecoins lastreadas em ouro

Enquanto a grande maioria das stablecoins é respaldada por dólares americanos guardados em um cofre bancário, a diminuição da confiança na moeda dos EUA e às moedas fiduciárias em geral levou à criação de stablecoins lastreadas em outros ativos. Isso inclui várias criptomoedas lastreadas em ouro. Estas diferem consideravelmente entre si em sua forma e usabilidade, mas todas são respaldadas por ouro.

Publicidade

gold (CACHE)

Está entre as mais populares dessas. Cada CACHE é respaldado por 1g de ouro puro mantido em cofres ao redor do mundo. Enviar tokens CACHE é o equivalente a enviar 1g de ouro por token, já que eles podem ser facilmente trocados por ouro físico a qualquer momento.

Tether Gold (XAUt) e a PAX Gold (PAXG)

Operam de maneira semelhante à CACHE, mas são atreladas a uma onça troy de ouro. Elas também têm um valor mínimo de resgate mais alto do que a CACHE.

Stablecoins algorítmicas

Ampleforth (AMPL)

Utiliza um processo chamado “rebase” para ajustar automaticamente a oferta circulante da criptomoeda em resposta a mudanças na oferta e demanda. Se o preço do AMPL estiver mais de 5% acima ou abaixo do preço de referência em USD, ele aumentará ou diminuirá a oferta circulante na tentativa de trazer o preço de volta para $1. Como esse rebase é proporcional em todas as carteiras, os detentores de AMPL sempre mantêm sua parcela na rede AMPL como um todo.

Dai (DAI)

Criado pela MakerDAO, é um token ERC20 cujo valor é atrelado ao dólar americano e pode ser usado para transferências entre carteiras Ethereum.

Uma lista abrangente de stablecoins populares

Atreladas ao dólar:

  • Tether (USDT)
  • True USD (TUSD)
  • Gemini Dollar (GUSD)
  • USD Coin (USDC)
  • Paxos Standard (PAX)
  • Binance USD (BUSD)
  • DAI
  • HUSD
  • sUSD (SUSD)
  • mStable USD (MUSD)
  • Ampleforth (AMPL) (algorítmica)

Atreladas à libra esterlina:

  • Binance GBP Stable Coin (BGBP)

Atreladas ao euro:

  • Stasis Euro (EURS)

Atreladas à lira turca:

  • BiLira (TRYB)

Atreladas ao won sul-coreano:

  • Binance KRW (BKRW)

Lastreadas em ouro:

  • CACHE Gold (CACHE)
  • Tether Gold (XAUt)
  • Paxos Gold (PAXG)

Outras:

  • Petro (PTR) (lastreada em petróleo)
  • Libra (lastreada em cesta de ativos)

Como as stablecoins são usadas?

Assim como a maioria dos ativos digitais, as stablecoins são principalmente utilizadas como reserva de valor e meio de troca. Elas proporcionam aos traders um alívio temporário da volatilidade quando o mercado está em queda, e também podem ser usadas no mundo em rápido crescimento das finanças descentralizadas (DeFi) para atividades como plataformas de rendimento, empréstimos e fornecimento de liquidez.

Publicidade

A maioria dos traders e investidores adquire exposição às stablecoins comprando-as em plataformas de câmbio, mas também é frequentemente possível criar novas stablecoins depositando o colateral necessário junto à empresa emissora, como dólares americanos com a Tether ou ouro físico com a CACHE Gold.

Por que as stablecoins se tornaram tão populares?

As stablecoins se tornaram extremamente populares: Tether, por exemplo, é a segunda criptomoeda mais negociada depois do Bitcoin, com um volume de negociação de mais de $70 bilhões em um período de 24 horas (no momento da redação deste texto).

Por que as pessoas escolhem stablecoins em vez de criptomoedas como o Bitcoin

Elas são (relativamente) estáveis. Por serem supostamente lastreadas por moeda fiduciária, os investidores podem ter confiança de que seus tokens sempre serão vendidos por um dólar cada. Isso supostamente significa que os preços não cairão: os preços das moedas são impulsionados pela crença, então se os investidores acreditam que suas stablecoins valem um dólar e são respaldadas por um dólar cada, o preço deve refletir isso.

Elas são um refúgio seguro para investidores preocupados. Muitas exchanges não permitem que os traders comprem moeda fiduciária, apenas que comprem e vendam criptomoedas. Isso significa que muitas vezes é difícil para os investidores converter rapidamente suas criptomoedas quando a situação fica difícil. Para fazer isso, eles podem ter que transferir entre várias exchanges, ou até mesmo esperar vários dias.

Aqui é onde as stablecoins entram. Por serem criptomoedas, estão presentes na maioria das exchanges. No entanto, por se vincularem ao valor de uma única moeda fiduciária, atuam como um tipo de refúgio temporário para investidores que buscam proteger seus fundos durante um mercado de baixa. Dessa forma, as stablecoins são como versões habilitadas para blockchain do dólar. Isso se elas mantiverem seu valor.

Desvantagens das stablecoins

Os investidores precisam de provas de que as moedas são lastreadas por reservas. No caso da Tether, isso nunca foi fornecido de forma conclusiva, gerando rumores de que a moeda não era respaldada e, na verdade, era criada do nada.

Publicidade

As stablecoins não são necessariamente estáveis. O Gemini Dollar aumentou alguns centavos várias vezes no último ano, à medida que os traders investiam nele. Ironicamente, muitos desses fundos dos investidores vieram da Tether, que já chegou a valer apenas $0,51 em algumas exchanges. Portanto, as stablecoins podem ser consideradas ‘relativamente’ estáveis, em vez de absolutamente estáveis, especialmente quando comparadas a ativos voláteis como o Bitcoin.

A Tether afirmou consistentemente que é, de fato, 100% respaldada pelo dólar americano, mas quando a Tether divulgou uma divisão de suas reservas em maio — pela primeira vez em sete anos —, ficou claro que menos de 3% dos Tethers eram realmente respaldados em dinheiro.

Os legisladores dos EUA também não são fãs das stablecoins em geral. Em um relatório de política monetária ao Congresso, o presidente do Federal Reserve, Jerome Powell, afirmou que as stablecoins precisam de regulamentações mais rígidas.

“Se elas vão ser uma parte significativa do universo de pagamentos, o que não acreditamos que os ativos cripto serão, mas as stablecoins podem ser, então precisamos de um quadro regulatório apropriado, que, francamente, não temos”, disse ele.

Em julho de 2021, a secretária do Tesouro do presidente Biden, Janet Yellen, se reuniu com reguladores de alto escalão para “discutir o trabalho interagências” em torno das stablecoins, instando os reguladores a “agir rapidamente para garantir que haja um quadro regulatório adequado nos Estados Unidos”.

No mesmo mês, o banco central da China, o Banco Popular da China (PBoC), soou o alarme sobre as stablecoins, com o vice-governador do PBoC, Fan Yifei, afirmando que as stablecoins globais de organizações comerciais “podem trazer riscos e desafios ao sistema monetário internacional e ao sistema de pagamentos e compensações”. Yifei acrescentou que as autoridades chinesas estão “bastante preocupadas com essa questão” e tomaram medidas não especificadas.

O futuro das stablecoins

Os investidores estão cada vez mais buscando as stablecoins como uma maneira mais segura de experimentar a tecnologia cripto. À medida que mais players respeitáveis entram nesse cenário, a ideia de um dólar digital, uma moeda paralela que leva a moeda fiduciária para o blockchain sem arriscar seu valor, torna-se cada vez mais tentadora.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 61 mil enquanto GameStop agita mercado e faz memecoin subir 363% 

Manhã Cripto: Bitcoin recua para US$ 61 mil enquanto GameStop agita mercado e faz memecoin subir 363% 

A volta do hype da GameStop desencadeou a criação de milhares de memecoins – uma delas saltou 1.900% na tarde passada
Imagem da matéria: Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

Como um trader cripto ganhou mais de US$ 100 mil com apenas dois tuítes

“Somente em criptomoeda.” A memecoin Pacmoon recompensou um usuário com um grande airdrop – que foi maior do que o esperado graças ao erro de um amigo
Policial algemando suspeito durante a noite

Suspeito de roubar quase R$ 10 milhões da Pump.fun é preso em Londres

Jarett Dunn, ex-funcionário da plataforma Pump.fun, foi preso na Inglaterra acusado de golpe de quase R$ 10 milhões