Imagem da matéria: Justiça encontra saldo negativo em contas de empresa que compartilha CNPJ com MSK Invest
Msk Invest

O juiz Luiz Antonio Carrer identificou que o CNPJ da MSK Invest, empresa que supostamente vendia serviços de investimento em criptomoedas e parou de pagar os clientes, é o mesmo de uma empresa chamada SOMI.

O magistrado determinou bloqueio de contas da SOMI e a ação mostrou que o saldo nas contas é negativo.

Publicidade

A assessoria de imprensa da MSK Invest disse ao Portal do Bitcoin que a SOMI é uma empresa criada pelo sócio Glaidson Rosa, que passou por um processo de readequação societária, com a entrada do segundo sócio, e teve seu nome trocado de SOMI para MSK.

“A SOMI deixou de existir. Houve uma mudança no quadro societário e a empresa, que era uma Eireli, foi transformada em uma sociedade LTDA, passando a ter dois sócios. Sendo assim, não faz sentido existir uma conta com saldo no nome de uma empresa que não existe mais. Foi descontinuada. Atualmente, é a nova empresa, a MSK, que responde por tudo”, disse a companhia.

Segundo a empresa, por isso faria sentido não haver um centavo sequer nas contas da SOMI, já que ela não existe mais, sendo agora a MSK.

A empresa não quis revelar quanto deve ao todo para seus clientes, mas disse que em “criptoativos possui saldo o suficiente para honrar com todos os seus compromissos e fazer as devoluções de aportes. Em moeda fiat, as contas bancárias estão passando por bloqueios judiciais, que impedem a sua movimentação. O valor disponível nessas contas está coberto por sigilo bancário”.

O CNPJ da MSK Invest é 23.206.780/0001-26.

Relação com a GAS Consultoria

Em um áudio para uma cliente que o Portal do Bitcoin teve acesso, um dos donos da MSK Invest deu mais indícios de que a operação pode ser uma pirâmide financeira. Carlos Eduardo de Lucas, conhecido como Cadu, afirma que a quebra da GAS Consultoria complicou sua operação.

Publicidade

Além disso, o empresário afirma que lidar com 100 milhões de saques de bitcoin nos últimos meses, o que teria inviabilizado a operação.

“O mercado de criptomoedas está uma bagunça. Não está fácil. A gente não consegue operar como operávamos no ano passado. Tive problemas nos saques de bitcoin nos últimos meses. Eu tive 100 milhões de saques. E a quebra da GAS prejudicou muito a gente. Muito”, disse Cadu.

A fala do dono da MSK dá a entender que o dinheiro dos seus clientes não estava alocado em investimentos que poderiam ser liquidados a qualquer momento e ser devolvido – seja com lucro ou sem.

Ao contrário. A colocação de Cadu deixa a entender que quando um grande número de pessoas passou a sacar dinheiro por ter perdido a renda da GAS, a operação quebrou. Fica implícito que o repasse de dinheiro, conduta típica de pirâmide, era a prática feita.

Publicidade

Sobre qual a relação entre a quebra da GAS ter afetado a MSK Invest, a assessoria disse que “como especialistas em criptomoeda, nós acompanhamos os movimentos do mercado e os impactos. O caso da GAS citado não tem qualquer relação com a nossa empresa. No entanto, gerou uma grande crise de confiança nas empresas do setor, o que levou o investidor a ter receio sobre o futuro do seu capital aportado. Com isso, houve um aumento no fluxo de encerramento de contratos com a MSK Invest. Todos os valores solicitados foram honrados e devolvidos”.

Caso MSK Invest

A Justiça de São Paulo determinou no dia 20 de dezembro o bloqueio de R$ 100 mil da empresa MSK Invest. A decisão foi do juiz Fábio Henrique Falcone Garcia, que foi muito explícito ao falar sobre o anúncio da empresa de que um dos motivos de parar de pagar os clientes é por conta da insegurança jurídica diante do avanço do Projeto de Lei 2302/15 na Câmara dos Deputados.

O magistrado afirma que a postura da empresa é um indício de má-fé e de tentativa de não cumprir com os contratos.

“A missiva sobre o distrato, impondo condições dissociadas da negociação para ressarcimento do valor investido, aliada à falsa justificativa fundada em projeto de lei ainda não aprovado sugere engodo destinado a evitar cumprimento de obrigação e situação financeira complicada, a indicar risco de lesão grave à requerente”, disse o juiz.

O juiz Luiz Antonio Carrer disse que existem indícios de que a MSK Invest, empresa que dizia operar com cripotomoedas, seja uma pirâmide financeira e de que um mesmo uso de CNPJs é na verdade a prática de um golpe financeiro.

Publicidade

O magistrado também acolheu liminar de uma cliente e determinou o bloqueio de dinheiro na conta da empresa.

“Existem indícios de fraude no contrato celebrado entre as fraudes, que indica caso de “pirâmide”, a justificar a urgência da medida, pois a ré anunciou que deixará de atuar, sem a perspectiva de devolução da grande quantia investida pelo autor”, afirma o juiz.

Além disso, o juiz aponta que o mesmo CNPJ é utilizado pela MSK Invest e uma empresa chamada SOMPI Seguros, e que isso indica “golpe financeiro”.

Na quarta-feira (22), o Procon de São Paulo disse que iria acionar a MSK Invest e seus sócios no campo criminal e administrativo. A informação foi divulgada pelo presidente do órgão, o procurador Fernando Capez.

“A empresa [MSK] enganou diversos investidores prometendo juros de 2% a 5% em aplicação no Bitcoin. E adivinhe? Não pagou ninguém”, disse o procurador em vídeo.

Contraponto da empresa

“Informamos que a MSKInvest atua há seis anos no mercado de criptomoedas e sempre honrou com os compromissos previstos em seus contratos. Por uma decisão de negócios, a companhia descontinuou o produto semestral de criptomoeda. A empresa está providenciando a restituição dos valores para os clientes desse produto, cujo perfil indicado era de alto risco.”

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Reserva de Bitcoin de mineradores bate mínima em três anos com vendas antes do halving

Reserva de Bitcoin de mineradores bate mínima em três anos com vendas antes do halving

Diferente do que aconteceu antes do halving de 2020, desta vez os mineradores aproveitaram a recente disparada do Bitcoin para vender parte de suas reservas
Imagem robótica surge em sala escura de informática

IA de Elon Musk tem a segurança mais fraca, enquanto chat da Meta se destaca, diz pesquisa

Pesquisadores usaram uma abordagem de manipulação lógica linguística para perguntar ao Grok como seduzir uma criança
graficos vermelhos em queda

Investidores sacam R$ 1 bilhão de projeto DeFi da Solana após renúncia de CEO

O fundador da Marginfi anunciou sua renúncia em meio a um turbilhão de controvérsia e desentendimento operacional
Dedo indicador apoia bolo de dinheiro em forma digital

Mercado Bitcoin e Escala se juntam em tokenização inédita de R$ 29 milhões em operação na fintech Asaas

Operação viabilizou o acesso de clientes qualificados do MB a investimento na Asaas, antes restrito a grandes fundos de VCs