Imagem da matéria: Justiça condenou trader de forex Marcelo Ferreira a devolver dinheiro a clientes
Trader Marcelo Ferreira (Foto: Reprodução/Instagram)

O trader de forex Marcelo Ferreira já foi condenado pela Justiça a devolver dinheiro dos clientes em pelo menos três processos e, em um caso, foi sentenciado a pagar danos morais por não ter entregado o que prometeu.

Recentemente a Comissão de Valores Mobiliários (CVM) emitiu um alerta informando que Ferreira não tinha permissão para captar clientes no mercado brasileiro. 

Publicidade

Em maio de 2021, o juiz Cristiano de Castro Jarreta Coelho, da comarca de São José do Rio Preto (SP), entendeu que Marcelo Ferreira cometeu um dano moral ao cliente na medida em que fez a pessoa gastar tempo e energia. Trata-se do Procedimento do Juizado Especial Cível 0004131-07.2021.8.26.0576 (TJ-SP).

“Restaram caracterizados os danos morais sofridos, na medida em que os documentos trazidos aos autos e a presunção decorrente da revelia aqui reconhecida demonstraram que o autor sofreu considerável desvio em seu tempo produtivo em razão do comportamento desidioso do réu, além da evidente quebra de confiança”, disse o juiz Jarreta Coelho na decisão.

O mesmo magistrado, mas em outro caso (Procedimento do Juizado Especial Cível 0008876-30.2021.8.26.0576), condenou Marcelo Ferreira em março de 2018 a devolver o dinheiro de um cliente que aderiu ao Fundo Fimathe.

O Portal do Bitcoinpublicou reportagem sobre o Fundo na qual mostra que o trader prometia ganhos maiores do que os possíveis com investimento em renda fixa e operações diárias. Tudo funcionaria por uma conta “copytrade”, na qual Marcelo operaria e as ações seriam replicadas automaticamente nas contas dos participantes do fundo.

Publicidade

Conforme os clientes, contudo, Marcelo não operou quase nunca na conta copytrade, não retornou pedidos de esclarecimento dos clientes e chegou a ameaçar com processos judiciais quem o questionou.

No caso de São José do Rio Preto, o magistrado disse que a empresa de Marcelo “não está prestando informações sobre as negociações e especificidades dos serviços, mesmo após diversas reclamações” e o condenou a devolver a quantia de R$ 1.997,00, que era o valor para fazer parte do fundo.

Condenado à revelia

A juíza Cláudia Thome Toni, da 1ª Vara do Juizado Especial Cível da comarca de São Paulo, condenou, em março de 2018, Marcelo Ferreira a devolver R$ 1.600 por descumprir acordo firmado com o cliente (Procedimento do Juizado Especial Cível 0005492-47.2017.8.26.0011).

Um mês antes, em fevereiro de 2018, a juíza Ana Claudia dos Santos Sillas, da Vara do Juizado Especial Cível do Foro de Santo André, condenou o trader a devolver o dinheiro de um cliente e disse na decisão que ele não entregou o que prometeu (Procedimento do Juizado Especial Cível 0014254-72.2017.8.26.0554).

Publicidade

“Incontroversa a afirmação da parte autora de que o produto adquirido não se prestou ao seu uso, de rigor o desfazimento do negócio com a devolução da quantia paga, conforme disposto na legislação consumerista”, disse a juíza.

Em três dos quatro casos, Marcelo Ferreira sequer respondeu ao processo, sendo condenado à revelia (quando o réu não se faz presente. Nesse caso a legislação brasileira entende que os argumentos do autor da ação são verdadeiros).

A reportagem tentou entrar em contato com o trader pelo Instagram, mas ele bloqueou a conta do Portal do Bitcoin.

Ameaça contra quem reclama

Parte das vítimas do Fundo Fimathe, hoje reunidas em um grupo no WhatsApp, conta que suas contas foram abandonadas e que a propaganda era enganosa.

Uma busca feita agora no site de Marcelo Ferreira e em seu Instagram mostra que não há menções do fundo. E não custa ressaltar: Marcelo Ferreira não tem permissão para atuar como gestor de fundos pela CVM.

Publicidade

No dia 21 de fevereiro de 2020, um cliente foi cobrar Marcelo pela falta de lucros do fundo. Foi então que o trader se irritou e diz que caso o cliente fizesse mais uma publicação sobre o tema, seria processado.

Trader de forex Marcelo Ferreira

Em sua página na internet, Marcelo Ferreira se apresenta como “trader profissional há mais de 21 anos que formou mais de 80 mil alunos”. No Instagram, o trader possui 230 mil seguidores. No Youtube, onde transmite vídeos como influencer de finanças, Ferreira também tem muitos assinantes no canal.

Seus vídeos e produtos são baseados em uma técnica que ele diz ter inventado chamada ‘Fimathe’ que, segundo ele, simplifica a leitura de gráficos. Essa “técnica” é vendida como curso ou mentoria.

A stop order da CVM parece não ter mudado os planos de Marcelo. O trader continua postando vídeos no seu Instagram recomendando que os seguidores baixem um PDF para aprender as práticas do forex.

A reportagem usou a ferramenta Juit Rimor para encontrar as decisões judiciais que foram relatadas nesta reportagem.

VOCÊ PODE GOSTAR
Policial algemando suspeito durante a noite

Médico perde R$ 500 mil em criptomoedas após encontro por aplicativo e sequestro; suspeitos são presos

Os sequestradores que aplicaram o famoso ‘golpe do amor’ foram presos rapidamente pela PM de SP; Polícia Civil investiga o paradeiro dos ativos
logo do bitcoin em cima de livro

Goiânia recebe lançamento do livro “101 Perguntas Sobre Bitcoin”

A obra da Editora Portal do Bitcoin escrita pelo engenheiro Breno Brito serve como um guia para compreensão da criptomoeda mais popular do mundo; veja como participar
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte
Fotos dos equipementos de mineração de criptomoedas operados com furto de eletricidade em Canela, RS

Polícia Civil do RS fecha fazenda de mineração de criptomoedas que lucrava R$ 400 mil por mês

Além de crime de furto de energia, casal preso responderá por porte ilegal de arma e lavagem de dinheiro