Imagem da matéria: Empresa do Primo Rico tem nova leva de demissões e já registra mais de 90 cortes em 2022
Primo Rico (Foto: Reprodução/Youtube)

O Grupo Primo passa pela segunda vez neste ano por uma leva de demissões, três meses após já ter cortado mais de 50 pessoas. Desta vez, o grupo de Thiago Nigro (Primo Rico) está dispensando 40 funcionários. As informações são do jornal Estadão, conforme publicação na noite da quinta-feira (08).

Liderado por Nigro, um dos principais influencers de finanças do Brasil, e pelo empresário Bruno Perini, o grupo perde desta vez colaboradores de diferentes áreas, como design, eventos e outras plataformas de negócio, segundo o Estadão.

Publicidade

Antes dos cortes, o grupo tinha cerca de 280 funcionários. Com as demissões, esse total foi reduzido em aproximadamente um terço, ou seja, 33%. Recentemente, o sócio Joel Jota também deixou de fazer parte do grupo por uma escolha pessoal, de acordo com a reportagem.

Procurado pelo Portal do Bitcoin para comentar o assunto, o Grupo Primo não retornou os contatos da reportagem até a conclusão deste texto.

Na primeira leva de demissões deste ano, o Grupo Primo afirmou que os cortes não eram uma questão de performance, mas sim de reestruturação. Disse também que a “desmobilização” era necessária para manter o “negócio saudável e forte para o longo prazo” e exaltou o crescimento de 34 para 280 pessoas no grupo “em pouco mais de um ano”.

Cenário negativo

As novas demissões seguem as várias providências já tomadas por fintechs corretoras de criptomoedas nos últimos meses, devido à piora do cenário da economia global que está atingindo com força vários setores.

Publicidade

Por sua vez, o mercado cripto não demonstra sinais claros de recuperação e, portanto, demissões ainda podem ocorrer como uma das formas de essas empresas enfrentarem a crise.

Em resumo, desde o começo do ano, grandes empresas do setor tiveram que reduzir o quadro de funcionários, como Coinbase, Blockchain .com, Bitso. Só a corretora de Brian Armstrong demitiu mais de mil pessoas neste ano.

No Brasil, a 2TM, grupo que controla a corretora de criptomoedas Mercado Bitcoin, demitiu 15% dos funcionários no último dia 01, o segundo corte em 2022. Em junho, a Crypto.com demitiu centenas de pessoas.

Esse é o melhor momento da história para investir em cripto! E agora, você pode ter acesso a um curso exclusivo com os maiores especialistas em cripto para aprender os fundamentos e as técnicas que te ajudam a navegar nas altas e baixas do mercado. Inscreva-se aqui

VOCÊ PODE GOSTAR
Glaidson Acácio dos Santos, o "Faraó do Bitcoin"

Livro sobre a ascensão e a queda do “Faraó do Bitcoin” chega às livrarias em maio

Os jornalistas Chico Otávio e Isabela Palmeira contam sobre o golpe de R$ 38 bilhões do Faraó do Bitcoin que usou criptomoedas como isca
Rafael Rodrigo , dono da, One Club, dando palestra

Clientes acusam empresa que operava opções binárias na Quotex de dar calote milionário; dono nega

Processos judiciais tentam bloquear R$ 700 mil ligados à One Club, empresa de Rafael Rodrigo
Imagem da matéria: Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos de criptomoedas do Brasil captam mais R$ 50 milhões na semana

Fundos cripto brasileiros ficam pela segunda semana consecutiva atrás apenas dos EUA em captação
Imagem da matéria: Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

O jogador do Atlético Mineiro está desde o ano passado atrás dos valores investidos na WLJC Gestão Financeira através de Bigode