Imagem da matéria: CPI das Pirâmides Financeiras quer convocar chefe da Grow Up para explicar calote em clientes
Gleidson Costa (centro) em montagem ao lado de Messi e Cristiano Ronaldo (Foto: Reprodução/Instagram)

O deputado Caio Vianna (PSD/RJ) entrou com um pedido na última sexta-feira (1º) para que a Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) que trata das Pirâmides Financeiras convoque, como testemunha, o presidente da Grow Up Club, Gleidson da Costa Gonçalves.

A Grow Up é uma empresa que captava dinheiro dos investidores com a promessa de entregar rendimentos acima do normal com o suposto trade de criptomoedas, assim como a maioria das companhias envolvidas na CPI das Pirâmides.

Publicidade

No caso do negócio de Gleidson, um grupo de cerca de 300 clientes passaram a acusar a Grow Up de ter aplicado um golpe ao deixar de pagar os rendimentos prometidos aos investidores desde janeiro.

Leia também: Grow Up: Investidores denunciam calote de empresa de criptomoedas e dono pode ser convocado para CPI das Pirâmides

Grow Up

Criada em 2019, a empresa operava com foco em Campos dos Goytacazes (RJ), região que ganhou o apelido de “Novo Egito” pelo grande número de pirâmides financeiras que se proliferaram na área, sendo a GAS Consultoria, do “Faraó do Bitcoin”, a mais famosa delas.

No requerimento para convocação de Gleidson para a CPI, o deputado Vianna afirma que “desde dezembro de 2022, a empresa tem atrasado o pagamento dos seus clientes”. “Sob a alegação de problemas operacionais, o presidente da empresa, Gleidson Costa, tem sido incapaz de cumprir com as obrigações financeiras assumidas com os investidores, causando prejuízos significativos”, diz o pedido.

Publicidade

“Gleidson Costa atribui a falta de uma conta bancária e a suposta necessidade de uma conta no exterior como razões para os atrasos nos pagamentos”, continua o texto.

Em julho, um grupo de 14 investidores que, juntos, perderam R$ 1,5 milhão investindo com Gleidson, fez um boletim de ocorrência coletivo acusando o executivo de estelionato — crime que desde que entrou em vigor a Lei de Criptomoedas (Lei 14.478/22) resulta em punição ainda maior caso envolva ativos digitais. 

Um desses investidores é Maicon Moreira, que relatou ao Portal do Bitcoin ter perdido R$ 130 mil no esquema. Segundo ele, o dinheiro “faz muita falta para toda família”, já que além dele, sua irmã e pai também investiram com Gleidson por sua influência.

Leia também: Brasileiro que perdeu R$ 150 mil na Grow Up diz que pastor o levou a investir na pirâmide: “Só falavam em Deus”

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Jogador que traiu Iza perdeu R$ 50 mil na pirâmide Braiscompany

Jogador que traiu Iza perdeu R$ 50 mil na pirâmide Braiscompany

Yuri Lima entrou na Justiça alegando ter aplicado R$ 50 mil na Braiscompany, pirâmide financeira que ruiu em dezembro de 2022
donald trump

Semana cripto: Trump alimenta mania de memecoins enquanto Bitcoin recupera força

Os mercados de criptomoedas estão em alta, e a política dos EUA pode levar muito crédito por isso
Imagem da matéria: As maneiras mais loucas que os jogadores estão usando para ganhar mais no Hamster Kombat

As maneiras mais loucas que os jogadores estão usando para ganhar mais no Hamster Kombat

De pistolas de massagem a máquinas de costura, os jogadores estão pensando em maneiras malucas e criativas de otimizar seus toques no Hamster Kombat
Smartphone mostra logotipo da Binance à frente de tela de negociação

Binance vai excluir seis pares de negociação com Bitcoin, BNB e stablecoins; confira

As remoção das listagens ocorrem entre esta semana e a próxima; veja as datas e horários