pietra verdi
Pietra Verdi prometia pagar 1,2% ao dia sobre o Bitcoin do investidor em esquema de esmeraldas (Foto: Reprodução/Instragram)

A Polícia Federal deflagrou nesta terça-feira (5) a operação Lanterna Verde para derrubar uma organização criminosa que captava Bitcoin de investidores com a promessa de entregar altos lucros por meio de um falso esquema de extração de esmeraldas. O prejuízo deixado pelo esquema é estimado em cerca de R$ 500 milhões.

A apuração do Portal do Bitcoin indica que a empresa alvo da PF foi a Pietra Verdi, que prometia entregar um lucro de 1,2% ao dia sobre o Bitcoin do investidor por meio da extração e comercialização de esmeraldas.

Publicidade

Em imagens divulgadas pela PF dos bens apreendidos na operação de hoje, é possível ver que as joias estavam em sacos que traziam o logo da Bellaver Joias, uma empresa aberta em Itapema/SC em setembro de 2018 por Maicon Bellaver.

Esmeraldas da Bellaver Joias apreendidas na operação da PF (Fonte: Polícia Federal)

O empresário era um dos líderes da Pietra Verdi e atuava na empresa como COO, junto de Márcio Guindani (CEO) e Laydi Laura, presidente da empresa, conforme mostram vídeos de divulgação do esquema no YouTube.

Prejuízo de R$ 500 milhões

A quadrilha baseada em Balneário Camboriú/SC captava investimentos em vários países através de depósitos em Bitcoin, mas nunca entregou os lucros prometidos.

Durante a operação desta manhã, os agentes federais cumpriram três mandados de prisão preventiva. Outras cinco pessoas também foram indiciadas por associação criminosa, lavagem de dinheiro, estelionato e crimes contra o sistema financeiro nacional e a economia popular. A condenação por esses crimes pode chegar à pena máxima de 30 anos.

Publicidade

A PF também cumpriu 11 mandados de busca e apreensão nos municípios de Balneário Camboriú, Itajaí, Itapema, Ilhota em Santa Catarina, bem como nas cidades de Farroupilha/RS e Paraíso do Tocantins/TO. A operação também envolveu o bloqueio e o sequestro de bens dos investigados.

Imagens da operação da PF mostram que entre os bens apreendidos estavam pedras preciosas, barras de ouro, carros de luxo incluindo Ferrari, bem como uma aeronave.

Imagens de bens apreendidos na operação Lanterna Verde (Fonte: Polícia Federal)

Como funcionava o esquema

A Polícia Federal descobriu durante a investigação que os golpistas utilizavam vídeos para mostrar as falsas funcionalidades da empresa, que incluía bancos digitais próprios. 

“Para promover uma maior credibilidade ao falso investimento, a Orcrim [organização criminosa] convidava pessoas em destaque na mídia para viajarem ao Brasil, onde participavam de eventos, recebiam valiosos prêmios e lhes eram apresentadas supostas áreas de mineração e lapidação de pedras preciosas”, diz o comunicado.

Publicidade

Na estimativa das autoridades, o esquema fez cerca de 2,5 mil vítimas diretas em pelo menos 18 países, principalmente das Américas do Sul e Central, incluindo o Brasil. No total, a estimativa é que cerca de 25 mil pessoas tenham sido lesadas pelo esquema fraudulento.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: As maneiras mais loucas que os jogadores estão usando para ganhar mais no Hamster Kombat

As maneiras mais loucas que os jogadores estão usando para ganhar mais no Hamster Kombat

De pistolas de massagem a máquinas de costura, os jogadores estão pensando em maneiras malucas e criativas de otimizar seus toques no Hamster Kombat
Imagem da matéria: Projeto da Solana vai dar bônus de 100% em airdrop de novo token

Projeto da Solana vai dar bônus de 100% em airdrop de novo token

Sanctum, projeto de staking na blockchain Solana, irá dar bônus de 100% para quem esperar seis meses para acessar os tokens
Pai Rico Pai Pobre Robert Kiyosaki posa para foto

Pai Rico faz previsão de quanto o Bitcoin vai valer daqui um ano; veja

As previsões de Robert Kiyosaki consideram que em 2025 o presidente dos EUA seja Donald Trump
Imagem da matéria: Guilherme Haddad Nazar se torna vice-presidente da Binance na América Latina

Guilherme Haddad Nazar se torna vice-presidente da Binance na América Latina

Com mudança, Guilherme Nazar, sobrinho do ministro Fernando Haddad, passa a acumular a função de diretor geral da Binance no Brasil