Imagem da matéria: Executivo da Binance que fugiu da Nigéria volta a ser preso no Quênia, diz jornal
Gerente regional da Binance para África, Nadeem Anjarwalla (Imagem: Binance)

Nadeem Anjarwalla, gerente regional da Binance para África que recentemente fugiu da custódia na Nigéria, foi supostamente preso no Quênia e enfrenta extradição nos próximos dias.

De acordo com fontes governamentais não identificadas da Nigéria citadas pela publicação local Punch, Anjarwalla “foi preso no Quênia e será extraditado para a Nigéria esta semana”.

Publicidade

A Comissão de Crimes Econômicos e Financeiros da Nigéria (EFCC), a Polícia Internacional Criminal, a Força Policial da Nigéria e o Serviço de Polícia do Quênia estão supostamente em negociações sobre a questão da extradição de Anjarwalla para a Nigéria.

Anjarwalla, um britânico-queniano, escapou da custódia na Nigéria em março, usando um passaporte oculto para fugir do país. Ele e seu colega, o Chefe de Conformidade com Crimes Financeiros da Binance, Tigran Gambaryan, foram detidos na Nigéria em fevereiro, após viajarem ao país para se reunir com autoridades governamentais como parte de uma investigação sobre exchange de criptomoedas.

Como parte da investigação, a Nigéria exigiu que a Binance fornecesse informações sobre seus principais usuários no país, bem como seu histórico de transações recentes.

Leia também: Como a Binance entrou em pé de guerra com o governo da Nigéria

Anjarwalla e Gambaryan foram detidos pela EFCC sob ordem judicial por 14 dias, sem que fossem apresentadas acusações. Posteriormente, autoridades nigerianas votaram para prorrogar o período de detenção deles.

Publicidade

Em 22 de março, Anjarwalla escapou da custódia, supostamente após ser autorizado a visitar uma mesquita local para orações sob escolta. O Serviço de Receitas Federais da Nigéria (FIRS) apresentou acusações de evasão fiscal contra os executivos da Binance no mesmo dia; uma semana depois, a EFCC acusou a Binance, Anjarwalla e Gambaryan de lavagem de dinheiro no valor de US$ 34 milhões.

Gambaryan, um cidadão americano, permanece na Nigéria, onde foi preso antes de seu julgamento em maio. Ele processou o governo nigeriano por detenção ilegal, enquanto sua esposa, Yuki, argumentou que ele está sendo “mantido como chantagem”.

Em comunicado, a Binance disse que as discussões entre a exchange e as autoridades nigerianas estão “em andamento”, acrescentando que Gambaryan não violou a lei nigeriana e que ele não tem “poder de decisão na empresa”.

* Traduzido e editado com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Bob Burnquist

Bob Burnquist e sua cruzada para empoderar os artistas por meio da Web3

O skatista é membro ativo de duas DAOs e participou do Ethereum Rio para falar sobre como as comunidades estão se tornando um novo meio de conexão para os artistas
Imagem da matéria: Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Hacker da Gala Games devolve Ethereum após exploração de US$ 240 milhões

Depois que 5 bilhões de tokens GALA foram cunhados e roubados na segunda-feira, a Gala Games recuperou parte dos fundos em ETH – e ainda está descobrindo o resto
Imagem da matéria: Caso Sbaraini: advogado tenta acordo, mas vítimas podem demorar 5 anos para recuperar investimentos

Caso Sbaraini: advogado tenta acordo, mas vítimas podem demorar 5 anos para recuperar investimentos

A Sbaraini, que operava criptomoedas, parou de pagar seus clientes após uma operação da Polícia Federal apontar para um esquema de lavagem de dinheiro dentro da empresa
ilustração mostra logo da pepecoin PEPE subindo ao céu

PEPE e BONK valorizam mais de 30% nas últimas 24 horas

Memecoin PEPE bateu sua máxima histórica nesta terça-feira (21), em momento de forte aquecimento do mercado cripto