Imagem da matéria: Banco Central da China diz estar “muito preocupado” com as stablecoins
Sede do Banco Central chinês, em Pequim. (Foto: Shutterstock)

O governo chinês voltou a expressar sua desconfiança com as criptomoedas nesta quinta-feira (8) e o alvo da vez foram as stablecoins, ativos digitais pareados a uma moeda fiduciária. 

De acordo com a CNBC, o vice-governador do Banco Popular da China (PBoC), Fan Yifei, disse em uma conversa com repórteres que a entidade está “bastante preocupada” com os riscos que esse tipo de criptoativo apresenta ao sistema financeiro global.

Publicidade

“As chamadas stablecoins de algumas organizações comerciais, especialmente stablecoins globais, podem trazer riscos e desafios para o sistema monetário internacional e para o sistema de pagamentos e liquidação”.

A Tether (USDT) é a stablecoin pareada ao dólar americano mais utilizada no mundo e uma das principais facilitadoras da fuga de capitais da China. 

Um estudo da Chainalysis mostrou que US$ 50 bilhões em Tether saíram do leste asiático para outras regiões do mundo no ano passado, um dado que deve pesar na repressão chinesa ao mercado cripto.

Fan Yifei continuou dizendo que o Banco Central ainda está “muito preocupado” com esse problema, e que estão “tomando algumas medidas”.

Publicidade

Na terça-feira, por exemplo, os reguladores baniram do país a Beijing Qudao Cultural Development, uma empresa acusada de desenvolver softwares para a negociação de criptomoedas.

Algumas semanas atrás, o governo chinês já havia feito um apelo às empresas e demais instituições financeiras do país que restringissem o acesso da população aos ativos digitais, em respeito às leis que proíbem esses serviços na região desde 2017. 

Concorrência com CBDC

Um outro motivo que pesa na preocupação do governo chinês com as stablecoins é evitar a concorrência com a sua própria moeda digital de banco central (CBDC), que vem sendo testada a todo vapor no pais. Segundo a declaração do vice-governador do PBoC, o sistema do yuan digital somente para convidados já conta com mais de 10 milhões de usuários.

A preocupação com as stablecoins não se limita ao país asiático. Foi inclusive a ideia de que grandes corporações poderiam tomar o controle das moedas — como o Facebook com o projeto Diem — que a corrida dos governos para planejar a emissão de CBDCs ganhou força ao redor do mundo.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Pump.fun: site que permite criar memecoin por apenas R$ 15 bate recorde de atividade

Entre os 14.500 tokens lançados na Solana por meio do pump.fun, milhares eram baseados na GameStop
Imagem da matéria: Corretoras fazem ação para ajudar vítimas de enchentes no RS; 4 vão dobrar doações de usuários

Corretoras fazem ação para ajudar vítimas de enchentes no RS; 4 vão dobrar doações de usuários

Binance irá doar vouchers de tokens BNB para moradores do Rio Grande do Sul, enquanto Bitso, Foxbit, Bybit e OKX irão dobrar os valores doados por seus clientes
Imagem da matéria: 5 coisas para saber sobre o lançamento do token do Notcoin

5 coisas para saber sobre o lançamento do token do Notcoin

Quando o token NOT será lançado? Qual o futuro para a Notcoin? É melhor fazer stake dos tokens? Preparamos um resumo para você
Logo da ftx, dólares e bitcoin

Analistas preveem alta no mercado cripto com ressarcimento bilionário a clientes da FTX

A FTX deve cerca de US$ 11 bilhões a credores, mas a massa falida conseguiu levantar mais de US$ 14 bilhões