Imagem da matéria: UE planeja criar órgão para combater lavagem de dinheiro e novas regras para criptomoedas
Foto: Shutterstock

A União Europeia (UE) vai propor a criação de um novo órgão para o combate à lavagem de dinheiro e a constituição de novas regras de transparência para transferências de criptomoedas. Para a Comissão Europeia, entidade que representa globalmente os interesses da UE, o crime organizado e o financiamento ao terrorismo devem ser tratados de forma centralizada.

“A lavagem de dinheiro, o financiamento do terrorismo e o crime organizado continuam sendo problemas significativos que devem ser enfrentados no nível da União”, diz um trecho do relatório da Comissão que a Reuters teve acesso.

Publicidade

O novo órgão idealizado pela Comissão será composto por autoridades nacionais e deve ser batizado de ‘Anti-Money Laundering Authority’ (AMLA) — Autoridade Anti-Lavagem de Dinheiro, em tradução para o português. Segundo a agência, a entidade vai se dedicar em tornar-se a peça central de um sistema de supervisão integrado.

“Ao supervisionar diretamente e tomar decisões em relação a algumas das entidades de maior risco, a AMLA contribuirá diretamente para a prevenção de incidentes”, resume a Reuters outro trecho do documento, que também prevê um aumento na eficácia quando na aplicação de um conjunto de regras único; “A garantia de padrões de supervisão homogêneos e de alta qualidade, abordagens e metodologias de avaliação de risco”, acrescenta.

Novas regras para criptomoedas

No que tange às criptomoedas, há também uma proposta para que empresas do setor sejam obrigadas tanto a recolher quanto divulgar dados de originadores e beneficiários de transferências, o que atualmente está fora do âmbito das regras da UE para os serviços financeiros, comentou a publicação o Coindesk.

Até agora, acrescentou o site, a regulamentação contra o branqueamento de capitais tem sido da competência dos 27 Estados-Membros da UE. “A falta de tais regras deixa os detentores de criptoativos expostos à lavagem de dinheiro e ao financiamento do terrorismo, já que os fluxos de dinheiro ilícito podem ser feitos por meio de dessas transferências”, disse em mais um trecho a Comissão.

Publicidade

De acordo com o deputado do Greens/EFA, Sven Giegold, a Comissão Europeia elaborou um forte pacote contra a lavagem de dinheiro e que agora depende da avaliação do Parlamento e dos Estados-membros. E concluiu afirmando que a UE deve iniciar uma ação legal contra as jurisdições europeias que não estão aplicando as regras de Anti-Money Laundering (AML) adequadamente.

Não é de hoje que a Comissão Europeia visa buscar mais segurança para os investidores da região. Em setembro do ano passado, a entidade se reuniu com a European Blockchain Partnership (EBP) para debater uma nova sandbox regulatória focada em criptomoedas.

Isso porque, de acordo com o órgão, alguns ativos digitais já se enquadravam na legislação da UE, no entanto, essas regras “na maioria das vezes são anteriores ao surgimento dos criptoativos e blockchain”, disse a entidade na época, o que poderia resultar em vários obstáculos no caminho das inovações e dificultar a aplicação das estruturas existentes para blockchain e criptomoedas no setor financeiro.

VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de Bitcoin ao lado de letreiro com ETF

ETFs de Bitcoin estão de volta? Ganhos de R$ 1,9 bilhão marcam o melhor dia em mais de um mês

ETF da Grayscale teve mais entradas do que saídas pela primeira vez em semanas
Imagem da matéria: FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

FTX prometeu devolver 118% dos fundos dos clientes; o que acontece agora?

Segundo os balanços, a FTX deve cerca de US$ 11 bilhões, e conseguiu levantar entre US$ 14,5 e US$ 16,3 bilhões até agora
Fachada da GameStop em Tyler no Texas

Memecoin da rede Solana com tema GameStop sobe 1.900% e desperta febre do GME

A memecoin GME decolou na segunda-feira (13), entregando retornos consideráveis, superando os das ações da GameStop
Cauda de baleia sob um mar de moedas de bitcoin

Baleia acorda de sono de uma década para mover R$ 217 milhões em Bitcoin

Carteira recebeu a quantia de 687,33 BTC no dia 12 de janeiro de 2014, quando a cotação do Bitcoin estava em US$ 917