Imagem da matéria: Após maior queda diária em dólar, Bitcoin recupera força e fica a 5% do topo
Foto: Shutterstock

O preço do Bitcoin (BTC) voltou a ser negociado acima dos US$ 40.000 nesta tarde de quinta-feira (14), depois de uma queda diária histórica de quase 25% em 11 de janeiro. No Brasil, o preço já supera os R$ 210 mil e se aproxima da máxima histórica de R$ 223 mil

A criptomoeda uma volatilidade enorme nos últimos sete dias. Por volta de 8 de janeiro, o Bitcoin atingiu seu ponto mais alto, chegando a US$ 42.000. No entanto, o crescimento explosivo do BTC foi interrompido na segunda-feira quando seu preço despencou para cerca de US$ 32.000, marcando a maior queda diária da história.

Publicidade

Apesar de tudo, a criptomoeda segue com valorização acumulada de 38% nos primeiros dias de 2021 e de 103% nos últimos trinta dias.

O que explica a forte valorização do bitcoin

2020 foi um ano movido pelo capital institucional entrando no mercado de bitcoin. O bonde foi puxado pela MicroStrategy, empresa de bussiness inteligence listada na bolsa de valores americana. Em setembro, o CEO da empresa, Michael Saylor, anunciou a compra de US$ 425 milhões em BTC. Nos meses seguintes, ele seguiu comprando e já acumula mais de US$ 1,1 bilhão (que atualmente viraram US$ 1,8 bi).

A seguradora americana MassMutual foi outra que investiu US$ 100 milhões em bitcoin. O CEO do Twitter também comprou US$ 50 milhões em bitcoin através da Square, empresa de pagamentos na qual é cofundador.

Essa tendência está sendo seguida por diversos grandes players do mercado tradicional, que estão vendo o bitcoin como uma reserva de valor e hedge contra o dinheiro fiduciário.

Publicidade

A entrada dos investidores institucionais é sem dúvida o principal motivo para a disparada do bitcoin. No bull run anterior, em 2017, a valorização da criptomoeda foi sustentada pelo varejo, sobretudo por pequenos investidores da Ásia.

Além disso, a Tether também superou a marca de US$ 20 bilhões em valor de mercado, o que é visto como uma métrica de novo dinheiro fiduciário entrando no mercado de criptomoedas.

Movimento agora é de popularização até mesmo de serviços — em novembro a gigante PayPal passou a permitir que seus clientes negociassem bitcoin.

Além do Bitcoin

Acompanhando o movimento do bitcoin, as principais criptomoedas do mercado também operam em forte alta. Ethereum dispara 16,7% e é negociada a US$ 1238, Litecoin sobe 13,6% negociado a US$ 155. Chanlink, Bitcoin Cash e Cardano também valorizam mais de 10% no dia.

Publicidade

O destaque principal, no entanto, é para a Polkadot (DOT), que opera em alta de 31% no dia, negociada a US$ 12,72, ocupando a posição de quinta maior criptomoeda em valor de mercado.

VOCÊ PODE GOSTAR
CEO da Galaxy Digital, Mike Novogratz, em entrevista ao BNN Bloomberg no YouTube

O Bitcoin precisa de uma nova narrativa para voltar a subir, segundo CEO da Galaxy Digital

Mike Novogratz também acredita que o preço do BTC flutue entre US$ 55 mil e US$ 75 mil até que novos eventos ocorram
Anic de Almeida Peixoto Herdy é casada com herdeiro da Unigranrio

Herdeira é sequestrada em Petrópolis e criminosos exigem resgate em Bitcoin

Técnico de informática amigo do casal conversou com sequestradores por entender de criptomoedas e foi preso por suspeita de envolvimento
Imagem da matéria: Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

Questões sociais são desafio para debate do Bitcoin, diz autor de livro da Editora Portal do Bitcoin

“Parte técnica você descreve como funciona e acabou. Nas vacas sagradas leva um bom tanto de desconstrução de conceitos”, diz Breno Brito
Sob um banco de madeira três criptomoedas ao lado de um celular com logo do Nubank

Nubank libera envio e recebimento de criptomoedas de carteiras externas

Já estão disponíveis para essas transações Bitcoin, Ethereum e Solana; outras moedas e redes serão adicionadas em breve