Imagem da matéria: Youtuber com 500 mil seguidores retoma controle de canal que foi hackeado pela 2ª vez em dois meses
Leonardo Almeida não estava conseguindo contato com plataforma do Google. Canal foi retomado nesta quarta-feira (1º) (Foto: Twitter/Fogo Queimado)

Pelo menos por enquanto, o youtuber Leonardo Almeida conseguiu acordar de um novo pesadelo. Dias depois de perder o acesso ao seu canal, o Fogo Queimado, e depois de muita mobilização, ele conseguiu na manhã de quarta-feira (1º) recuperar o acesso.

“Obrigado a todo mundo que ajudou a compartilhar o que aconteceu comigo, a meus amigos que vieram perguntar, e as pessoas que mesmo sem me conhecer, me ajudaram” disse o youtuber por meio do Twitter, entre outras mensagens de agradecimento.

Publicidade

O canal possui 530 mil seguidores e é focado no game Minecraft, além de outras manifestações pessoais de Almeida.

No último sábado (27), Almeida soube por um amigo que os vídeos do canal haviam sido ocultados, além de haver uma live falsa sendo veiculada. Enquanto acionava o YouTube para relatar o ocorrido, perdeu totalmente o acesso ao Fogo Queimado.

Uma hipótese é que o canal tenha sido usado para o golpe das lives falsas, que já ocorria em outras redes sociais e que agora atormenta os youtubers.

Usando nomes de celebridades, hackers publicam vídeos falsos em canais para pedir doações ou outras ações envolvendo recursos financeiros. Algumas dessas transmissões tentam captar bitcoins e outras criptomoedas por meio de uma falsa promessa de distribuição dos criptoativos.

Ao longo da saga para recuperar o canal, Almeida se queixou diversas vezes da falta de suporte adequado do YouTube. Procurada pela reportagem, a plataforma não havia se pronunciado sobre o problema.

Publicidade

Problema recorrente

Essa não foi a primeira vez que o Fogo Queimado e seus seguidores se viram diante de um ataque hacker. Em maio passado o youtuber notou problema semelhante, que só foi resolvido 11 dias depois — e também após muita insistência de Almeida e dos seguidores.

O Fogo Queimado não está sozinho nesse problema. Na última semana, outros canais sofreram algum tipo de interferência ou mesmo acabaram deletados da plataforma de vídeos sem qualquer explicação.

Foram os casos dos canais de Eduarda Hippler (Doarda, com 1,7 milhão de seguidores) e de Cesar Soares (CSR, com 408 mil inscritos). Enquanto a primeira teve mais sorte e recuperou o controle horas depois, o segundo segue com canal fora do ar.


BitcoinTrade: Negocie criptomoedas com segurança e agilidade!

Cadastre-se agora! Eleita a melhor corretora do Brasil. 95% dos depósitos aprovados em menos de 1 hora! Acesse: bitcointrade.com.br

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem de Glaidson Acácio dos Santos, mais conhecido como Faraó do Bitcoin

Gilmar Mendes mantém prisão de Glaidson Acácio dos Santos, criador da GAS Consultoria

A defesa do ‘Faraó do Bitcoin’ alegou problemas psiquiátricos e uso de medicamento controlado, além de questionar a jurisdição acerca da competência para os processos
Fotos dos equipementos de mineração de criptomoedas operados com furto de eletricidade em Canela, RS

Polícia Civil do RS fecha fazenda de mineração de criptomoedas que lucrava R$ 400 mil por mês

Além de crime de furto de energia, casal preso responderá por porte ilegal de arma e lavagem de dinheiro
Banco Central se reunirá hoje com Facebook para debater proibição do WhatsApp Pay

“Inserimos com o Drex o conceito de tokenização nos sistemas dos bancos”, diz Campos Neto

O presidente do BC participa do Emerging Tech Summit, evento do Valor Capital Group em São Paulo
moeda e notas pendurada em um varal

Operação contra maior milícia do RJ revela que suspeitos compravam Bitcoin para lavar dinheiro

Fonte do dinheiro movimentado pelos suspeitos seria oriundo de grilagem de terras, extorsão contra comerciantes e exploração do transporte