Imagem da matéria: União Europeia aperta o cerco contra a Rússia e proíbe serviços para criptoativos de alto valor
(Foto: Shutterstock)

A União Europeia está tomando ainda mais medidas para sancionar a Rússia após a invasão à Ucrânia. Nesta sexta-feira (8), a União Europeia apresentou uma proibição ao “fornecimento de serviços para criptoativos de alto valor à Rússia”.

A proibição faz parte do quinto pacote de medidas restritivas anunciadas pela União Europeia desde a invasão da Ucrânia em 24 de fevereiro de 2022.

Publicidade

“A Comissão Europeia dá as boas-vindas ao acordo de hoje pelo Conselho em adotar um quinto pacote de medidas restritivas contra o regime de Putin, em resposta à sua agressão brutal contra a Ucrânia e sua população”, segundo um comunicado de imprensa do site da Comissão Europeia.

A nova proibição relacionada a cripto da União Europeia irá “contribuir no fechamento de possíveis brechas”, de acordo com o comunicado.

Outras restrições financeiras do pacote incluem “a proibição total a transações e o congelamento de ativos para quatro bancos russos que, agora, foram totalmente removidos do mercado”.

Também foi implementada uma proibição ao fornecimento de consultorias de investimento a russos ricos para dificultar o armazenamento de suas riquezas na União Europeia.

Publicidade

Criptomoedas e a evasão de sanções da Rússia

Por conta da invasão da Rússia à Ucrânia este ano, muitos expressaram preocupações sobre o possível uso de criptomoedas na evasão de sanções econômicas pela Rússia.

Isso pode ser feito de diversas formas, incluindo via ransomware — tipo de software malicioso que suspende um computador ou uma rede até o pagamento ser recebido em criptomoedas. Em 2021, a indústria de ransomware gerou mais lucros para criminosos afiliados à Rússia do que qualquer outro grupo.

Um relatório publicado pela Organização das Nações Unidas (ou ONU) também descobriu que a Coreia do Norte — provavelmente, o maior alvo de sanções do que qualquer outro país no mundo — financiou parcialmente seus programas nucleares e de mísseis balísticos usando criptomoedas.

Crane Hassold, ex-agente do Departamento Federal de Investigações (ou FBI) e atual diretor de inteligência contra ameaças na Abnormal Security, havia dito ao Decrypt que criptomoedas são o “principal elemento” na atual indústria de ransomware.

Publicidade

Outros métodos incluem a mineração de bitcoin (BTC) — uma indústria que agrada o presidente russo Vladimir Putin — e o uso de corretoras cripto não registradas, cuja estratégia já foi utilizada anteriormente.

Em setembro de 2021, a corretora cripto SUEX foi sancionada pelo Gabinete de Controle de Ativos Estrangeiros (ou OFAC) do Tesouro Americano como a entidade responsável por (ou envolvida em) ciberatividades contra os interesses dos Estados Unidos.

*Traduzido por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
solana, criptomoedas,

Solana perde US$ 3 bilhões de valor de mercado conforme SOL desaba

Solana caiu 5% e perdeu bilhões de capitalização de mercado em meio a uma turbulência mais ampla no mercado, enquanto os analistas preveem mais problemas
Imagem da matéria: Escritório de advocacia Mattos Filho ingressa na ABcripto

Escritório de advocacia Mattos Filho ingressa na ABcripto

“Um dos principais desafios é a criação de um arcabouço regulatório que estabeleça segurança jurídica para a indústria”, afirma escritório
Imagem da matéria: Twitter de 50 Cent é hackeado para promover memecoin da Solana

Twitter de 50 Cent é hackeado para promover memecoin da Solana

O token GUNIT, promovido na conta invadida do rapper, chegou a valorizar 8.000%
Imagem da matéria: Com gestão de R$ 350 milhões, BLP Crypto traz novo sócio e passa a se chamar B2V Crypto

Com gestão de R$ 350 milhões, BLP Crypto traz novo sócio e passa a se chamar B2V Crypto

A B2V Crypto registra mais de 5 mil cotistas em seus fundos de investimento