Imagem da matéria: "Tiramos a Binance da nossa tabela de acionistas", diz dono da FTX
Sam Bankman-Fried, fundador da FTX. (Foto: Divulgação)

A Binance, maior exchange de criptomoedas do mundo em volume, foi uma das primeiras investidoras da corretora FTX, que Sam Bankman-Fried, de 29 anos, fundou em 2019. Esta semana, a relação de investimento terminou repentinamente. Em uma extensa entrevista com o Decrypt, Bankman-Fried explicou por que a parceria chegou ao fim.

“Recentemente, recompramos ações da Binance e tiramos a empresa de nossa tabela de acionistas”, disse Bankman-Fried. “Acho que faz sentido, dado o papel que nossos negócios estão desempenhando no mercado. Também pode nos dar mais flexibilidade no futuro. ”

Publicidade

Na terça-feira (13), a FTX anunciou um aumento de US$ 900 milhões de 60 investidores de alto perfil, incluindo nomes como Sequoia, Paradigm, Softbank, Paul Tudor Jones, o quarterback da NFL Tom Brady e a supermodelo brasileira Gisele Bündchen. Foi a maior rodada de financiamento já feita para uma exchange de criptomoedas, avaliando a FTX em US$ 18 bilhões.

A Binance, por sua vez, vem enfrentando advertências de reguladores de todo o mundo, que proibiram ou restringiram sua atividade.

Questionado sobre sua opinião sobre as questões regulatórias da Binance, Bankman-Fried disse: “Não estou envolvido nas conversas entre eles e os reguladores, então tudo que posso fazer é especular, mas algo que direi é que tentamos muito ser o mais cooperativo possível com os reguladores… Eu acho que quando você não faz isso, e quando você parece menos flexível ou responsivo, é mais provável que os reguladores possam sentir que não têm escolha a não ser repreender”.

Suas implicações são claras. Mas, para ter certeza, o CEO da Binance, Changpeng “CZ” Zhao, afirmou (assim como Bankman-Fried) que sua empresa obedece alegremente aos reguladores. “Todo mundo pensa que a Binance não quer cumprir as regulamentações dos EUA, ou quaisquer regulamentações”, disse CZ ao Decrypt em maio. “Mas isso está totalmente errado. A Binance é na verdade a organização mais de acordo com as regras do mundo, eu acho, no mercado de criptomoedas. ”

Publicidade

Bankman-Fried diz que ele e CZ “tiveram uma conversa cordial” sobre a separação, e que ambos “esperavam que a relação iria nessa direção há algum tempo, e agora parece um momento decente para ir em frente e fazer isso. E obviamente eles se saíram muito bem com o investimento, então certamente acho que foi uma vitória para eles”.

O investimento inicial e o valor de saída não foram divulgados. Mas a FTX valia apenas US $ 1,2 bilhão há apenas um ano e agora tem valor de US$ 18 bilhões — um aumento de 1.400%.

A Binance não respondeu imediatamente a um pedido de comentário. No entanto, o CZ disse à Forbes nesta semana o seguinte: “Temos visto um tremendo crescimento deles, estamos muito felizes com isso, mas saímos completamente”.

Uma “enxurrada” de pressão regulatória

A Binance tem sido o foco de atenção dos reguladores no Reino Unido, Itália e Japão nas últimas semanas.

Em junho, a Autoridade de Conduta Financeira do Reino Unido (FCA, na sigla em inglês) emitiu um aviso ao consumidor sobre a Binance Markets Limited, uma entidade do Reino Unido adquirida pela Binance para operar uma exchange sob medida para clientes do Reino Unido. Nos dias subsequentes, os principais bancos do país anunciaram que as transferências para a Binance haviam sido suspensas.

Publicidade

Em declarações ao Decrypt, um porta-voz da FCA disse que o regulador tem “preocupações” com a abordagem da corretora com a lavagem de dinheiro (AML) e um “grande problema” com a aparente falta de sede da empresa.

Mas isso foi apenas o começo dos problemas recentes da Binance. Este mês, o regulador da Tailândia entrou com uma ação criminal contra a empresa por supostamente operar sem licença. E a Autoridade Monetária das Ilhas Cayman (CIMA) disse que a Binance e suas entidades não foram registradas, licenciadas, regulamentadas ou autorizadas na jurisdição.

Embora o CZ tenha respondido às críticas pedindo mais clareza nos regulamentos do mercado, a exchange ainda não esclareceu exatamente onde está localizada ou como opera em certas jurisdições.

“Diferenças entre a forma como conduzimos nossos negócios”

Bankman-Fried, cujas riquezas são estimadas em US$ 16,2 bilhões pela Forbes, é agora o cripto bilionário mais rico que se conhece. Ele tem 58% das ações da FTX.

Acredita-se que a riqueza de CZ seja de cerca de US$ 1,9 bilhão, e quase tudo é investido em criptomoeda. Sua exchange tem um volume de negócios 24 horas de US$ 13,6 bilhões, de acordo com dados da Nomics.

Publicidade

E apesar das críticas implícitas de Bankman-Fried aos problemas regulatórios da Binance, ele credita a CZ o crescimento “fenomenal” que a Binance alcançou. “Uma das coisas mais impressionantes sobre eles, eu acho, é que começaram com um volume tão alto há um ano, e depois cresceram muito com isso”, diz. “Eles são, de longe, a maior exchange do mundo hoje. E isso tem sido realmente impressionante de assistir.

Ainda assim, Bankman-Fried conclui: “Acho que existem algumas diferenças entre a forma como administramos nossos negócios. Acho que há maneiras pelas quais eu teria reagido, respondido e conduzido as coisas de maneira diferente. E temos feito as coisas de maneira diferente. ”

*Traduzido e republicado com autorização da Decrypt.co

VOCÊ PODE GOSTAR
Moeda de Tether (USDT) sob superfície lisa

Tether anuncia reorganização para ir além de sua stablecoin e cria quatro divisões

Mudança em sua estrutura visa ampliar o fornecimento de soluções de infraestrutura focadas na inclusão
Imagem da matéria: Manhã Cripto: Bitcoin sobe 5% e supera US$ 64 mil antes do halving; Ethereum e altcoins acompanham o rali

Manhã Cripto: Bitcoin sobe 5% e supera US$ 64 mil antes do halving; Ethereum e altcoins acompanham o rali

Após mais um dia de forte volatilidade, Bitcoin e outras criptomoedas voltam a subir faltando poucas horas para o halving
o que é mineração de bitcoin

Nunca tantas pessoas pesquisaram sobre halving no Google quanto agora

Não só o halving, mas termos técnicos relacionados ao Bitcoin estão entrando na consciência pública mais do que nunca
Imagem da matéria: Banco do Brasil e BTG estão entre os maiores detentores do ETF de Bitcoin da BlackRock

Banco do Brasil e BTG estão entre os maiores detentores do ETF de Bitcoin da BlackRock

Segundo Eric Balchunas, da Bloomberg, as 30 instituições são responsáveis por apenas 0,2% de tudo que o ETF da BlackRock tem