Stratum pede documento registrado em cartório para saques e atrasa pagamentos

Empresa diz que problema foi causado pela implementação de um novo processo de compliance chamado KYP

Stratum atrasa pagamentos e pede documento registrado em cartório para saques
Foto: Shutterstock


A plataforma de criptomoedas Coinbr/Stratum HK vem recebendo um número grande de críticas por atrasos de pagamentos em grupos de WhatsApp, Reclame Aqui e redes sociais. A empresa confirma o problema e diz se tratar de uma questão de compliance.

Questionada pelo Portal do Bitcoin, a Stratum disse em nota que o problema foi causado pela implementação de um novo processo chamado de “Know Your Privacy” (KYP) ou “Keep Your Privacy”.

Pelo novo sistema, para conseguir fazer os saques, todo cliente terá de assinar um formulário de validação de cadastro com reconhecimento de firma por autenticidade em cartório.

A empresa, que é do conhecido empresário do mercado de criptomoeda Rocelo Lopes, explicou que todos os documentos serão enviados para Hong Kong, onde está localizado o setor de compliance do negócio. Como o processo leva tempo acabou causando nos atrasos que a Stratum classificou como pontuais. 

Conforme a empresa, no dia 3 de junho, todos os clientes foram avisados por email sobre o novo sistema.

Reclamação e solução

Mesmo com o aviso, diversos usuários vêm se sentindo prejudicados. A reportagem conversou com três dos clientes que preferiram não se identificar.

Todos disseram que o saque acabou sendo realizado, apesar da grande demora. Um deles, que reclamou nas redes sociais da empresa, contou que o problema foi resolvido após denúncia no Reclame Aqui.



Na página do Reclame Aqui da CoinBR, há um aumento significativo no último mês. Apesar de todas terem sido respondidas pela empresa, muitas ainda não tiveram seu problema resolvido. Grande parte delas tratam de mesmo assunto: problemas no saques.

RA da Stratum

No Reclame Aqui e nas redes sociais, porém, há relatos anteriores a nova política de compliance. Sobre essas denúncias, a empresa mencionou que algumas são de “usuários que sequer possuem contas na Stratum e só querem fazer tumulto”.

Há também outras de clientes reais, segundo disse a Stratum. Mas esses, “não enviaram o formulário de KYP ou estão parados no compliance por questões relacionadas a origem de seus recursos”. A empresa disse que algumas situações já foram resolvidas.

De acordo com a empresa, “em muitos casos os clientes querem retorno imediato, o que infelizmente não é possível”. A Stratum afirmou ter um prazo de resposta de até 3 dias úteis e muitos clientes não aguardam isso e já vão ao Reclame Aqui. 

O que é KYP

De acordo com a Stratum, o novo procedimento adotado serve para “evitar fraudes e atender regras claras de compliance e ao identificar esta necessidade cada vez mais latente, a Stratum adequou a plataforma a esta solução”.

Todas essas informações, segundo a Stratum, devem ser reportadas às autoridades de Hong Kong e que o nível de exigência tanto organizacional bem como fiscal é muito maior do que no Brasil.

Essa nova medida servirá como “prevenção de vazamento de dados e de documentos dos clientes, onde quem valida  as informações de cadastro será um Cartório de Notas (ou similar)” . 

Situação na CVM

Os atrasos nada teriam a ver com a proibição da Comissão de Valores Mobiliários (CVM) de a empresa ofertar publicamente contrato de investimento coletivo em dezembro do ano passado.

“O alerta de oferta pública irregular emitido pela CVM no final do ano passado foi referente ao StratumBlue, um produto da Stratum e, tal qual, também com sede em Hong Kong”.

A empresa declarou que o processo administrativo foi arquivado. No documento da CVM consta que o arquivamento se deu “tendo em vista a interrupção da oferta irregular”. 

A autarquia, no entanto, alertou a empresa “para a necessidade, em ocasiões futuras, de se observar a legislação vigente, a fim de evitar a instauração de eventual procedimento de natureza sancionadora e/ou a suspensão da oferta”.