Imagem da matéria: Sócio de exchange brasileira de criptomoedas tem imóvel de R$ 800 mil bloqueado pela Justiça
Foto: Shutterstock

A Justiça do Paraná decidiu bloquear um imóvel do coreano Myungsun Jung, sócio da corretora de criptomoedas Coinx, que foi adquirido por ele em março de 2017 por R$ 800 mil. A medida foi tomada para garantir o pagamento de saques atrasados de um dos clientes da exchange.

A decisão foi proferida pelo juiz Fabiano Jabur Cecy, da 18ª Vara Cível de Curitiba, após a tentativa frustrada de encontrar dinheiro nas contas da empresa e dos sócios, conforme é trazido no processo.

Publicidade

A exchange desde o dia 16 de agosto de 2018 vem segurando os fundos da maior parte de seus clientes.

Apesar de terem até divulgado um cronograma na época para se efetuar o pagamento dos clientes, a Coinx não conseguiu cumprir o prometido. Houve a estimativa de que os prejuízos pudessem chegar a mais de R$ 1 milhão.

Adriana Scaff, advogada e sócia do escritório Tannus e Scaff, disse ao Portal do Bitcoin que essa cautelar de arresto sobre o imóvel do sócio coreano Myungsun Jung é um marco.

Apesar de constar no registro do imóvel a palavra penhora, a advogada explica que o bem ainda não foi penhorado e o que se tem é uma medida cautelar para que o proprietário não possa se desfazer desse imóvel.

Publicidade

Garantia da Coinx

De acordo com Scaff, sem esse imóvel bloqueado pela Justiça não se teria coisa alguma para garantir a execução no processo de um de seus clientes:

“Com a cautelar de arresto se bloqueia o bem do devedor até que seja resolvido o processo. É uma garantia judicial. Isso faz com que o processo atinja sua finalidade e evita que o réu se desfaça do bem imóvel”.

Além de atuar nessa ação no Paraná, Scaff ainda tem outros três processos contra a Coinx. “Tenho três ações em Curitiba e uma no Campo Grande”, afirmou.

Proposta recusada

A medida tomada pelo juiz no Paraná forçou os sócios Adriano Gardenal e Myungsun Jung a comparecerem a audiência. “Numa outra audiência que ocorreu com um outro cliente no Campo Grande eles não apareceram”, disse a advogada.

Publicidade

A presença dos sócios na audiência, contudo, não foi proveitosa. O investidor Mauro Paiva, autor da ação que tramita no Paraná, disse que Jung apenas pedia desculpa pelo ocorrido, mas que por fim ofereceu cerca de 60% do valor que havia sido bloqueado.

O investidor não revela sobre o montante que a Coinx lhe deve. Contudo, a reportagem conseguiu averiguar que o valor ultrapassa R$ 10 mil.

Assim como a sua advogada, Paiva acredita que os sócios só compareceram à audiência por causa do bem:

“Eu não aceitei a proposta até mesmo para segurar o bem que pode servir de garantia também para outros processos de outros clientes. Se eu aceitasse os 60%, esse bem seria desbloqueado e eles iriam vender esse imóvel”.

De acordo com Paiva, não seria justo aceitar essa proposta pois ele teve de ficar solicitando o saque ao André Gardenal desde o final do ano passado. “Todas as informações foram passadas ao André e foi aquela enrolação. Nada de me dar retorno. Quando encontrou o bem a coisa mudou”.

Apesar de constar no Registro de Público do imóvel que ele foi adquirido por R$ 800 mil, esse valor já está defasado na visão de Paiva. O investidor acredita que “esse bem deva estar bem mais valorizado devido a sua boa localização em Curitiba”.

Publicidade

A advogada garante que os demais processos estão seguindo na mesma trilha que esse em que houve o deferimento da cautelar de arresto do imóvel de Jung.

Criptomoedas presas

O Portal do Bitcoin tem acompanhado esse caso de perto. E, apesar de ainda estar em atraso com os antigos clientes, o site da Coinx continua cadastrando novos investidores, embora os saques de criptomoedas estejam travados.

Quando os atrasos começaram, Gardenal havia dito que o problema havia sido provocado pela inclusão de duas novas criptomoedas no sistema, ambas pouco conhecidas.

A questão é que de agosto de 2018 até hoje, a corretora tem enfrentado problemas para cumprir o pagamento de seus clientes. Num dos casos, a liberação do dinheiro somente ocorreu após a necessidade de a investidora ter de usar o dinheiro para tratamento de saúde vir à tona por meio de uma matéria publicada pelo Portal do Bitcoin.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Usuários da 99Pay têm chaves PIX vazadas, alerta Banco Central

Também foram potencialmente expostos dados como nome do usuário, CPF com máscara, instituição de relacionamento, agência e número da conta
mão segura celular com logo do whatsapp

WhatsApp pirata pode estar minerando criptomoedas no seu celular sem você saber

Conhecidos como WhatsApp GB, Aero e Plus, as cópias não autorizadas do app oficial da Meta podem abrir portas para vazamento de mensagens, fotos e áudios, dizem especialistas