Imagem da matéria: Corretora brasileira de criptomoedas CoinX não libera saques e pede novo prazo
(Foto: Shutterstock)

A corretora brasileira de criptomoedas CoinX ainda não pagou seus clientes e vem alterando continuamente o prazo da liberação dos saques seja em reais, seja em Bitcoin.

Para o desespero dos traders, a empresa repete que é a implementação de novas criptomoedas que está causando o problema.

Publicidade

Em um grupo do Whatsapp formado por pessoas prejudicadas pela empresa, calcula-se um prejuízo de no mínimo R$ 1 milhão.

Na semana passada, o gerente administrativo André Gardenal afirmou ao Portal do Bitcoin que o problema havia sido provocado pela inclusão de duas novas criptomoedas no sistema, ambas pouco conhecidas. Além disso, afirmou que os pagamentos seriam feitos na segunda-feira (27), o que não ocorreu.

Além dos que já foram prejudicados, a CoinX se mantém indiferente aos que serão prejudicados — a corretora segue aceitando depósitos em criptomoedas sem que haja uma previsão segura para a liberação.

A empresa, que tem sede em Curitiba, tem poucos funcionários. A sede fica na casa de um dos sócios minoritários, Myungsun Jung. Por mais estranho que pareça, segundo relatos de alguns clientes, o local está aberto. Embora Jung não fale português, ele tem recebido as pessoas desde que elas tirem os sapatos e coloquem pantufas para entrar no ambiente.

Publicidade

É uma das poucas coisas que passa algum tipo de sentimento de segurança a quem está com dinheiro preso na corretora — não há indícios de uma tentativa de fuga.

Isso não significa que os pagamentos serão feitos. Novas datas vêm sentido prometidas a todo momento sempre com o mesmo argumento: “Nossos servidores estarão passando por atualizações e reparos técnicos e a inclusão de 05 novos coins (Buckle, Zeus Coin, Tron, Stella, Ripple)”.

A última data repassada é do dia 11 e 25 de setembro para pagamentos parciais, embora diferentes clientes recebam diferentes informações.

No site da Coinx, não há nenhuma referência sobre quem são os responsáveis pela empresa. O domínio da empresa, porém, está registrado em nome de Myungsun Jung, que possui outros empreendimentos em Curitiba como Moda Tiara Vestuário, Amigo Frango Lanchonete e escola de estética Golden Nail.

Publicidade

Documentos obtidos no Serasa mostram que a empresa tem mais três sócios. Os já citados Gardenal tem 5%, Myungsun Jung tem 19%. Os demais sócios são Yang Lim Chang Suh e Paula Yun Joo Chang, com 53% e 23% respectivamente.

VOCÊ PODE GOSTAR
Celular com logotipo da Receita Federal sobre notas de reais

Tokenização de ativos enfrenta área cinzenta na declaração de Imposto de Renda |Opinião

Para o autor, a declaração de tokens que representam recebíveis, e outros ativos do mundo real, devem mudar nos próximos anos
Homem aponta controle para TV que emerge imagens em 3D

‘TV 3.0’ que chegará ao Brasil em 2025 vai precisar de internet ou conversor? Entenda

Novo sistema de transmissão para TVs promete enviar som e imagem com qualidades maiores, além de maior interatividade com o espectador
Imagem da matéria: Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”

O jogador do Atlético Mineiro está desde o ano passado atrás dos valores investidos na WLJC Gestão Financeira através de Bigode
Tela de celular mostra logo da Comissão de Valores Mobiliários do Brasil CVM

CVM ganhou R$ 832 milhões com multas aplicadas em 2023, um aumento de 1.791%

A autarquia também registrou o maior número de casos julgados desde 2019