Imagem da matéria: Scarpa quer desfecho de ação contra Willian Bigode por golpe cripto: “Já passou da hora”
Gustavo Scarpa (Foto: Shutterstock)

Gustavo Scarpa, jogador de futebol do Atlético Mineiro, voltou a comentar sobre o processo que move contra Willian Bigode, que atualmente joga pelo Santos, e que virou alvo da justiça após um suposto golpe envolvendo investimento em criptomoedas ser revelado no ano passado.

Scarpa, que cobra R$ 6 milhões aplicados na WLJC Gestão Financeira através de Bigode, afirmou, segundo o Estadão, que “já passou da hora” para que haja um desfecho para o caso que corre na 10ª Vara Cível do Tribunal de Justiça de São Paulo.

Publicidade

“Poderia estar resolvido, já passou da hora. É um caso muito simples, está claro no processo a responsabilidade do Willian”, disse Gustavo Scarpa, que acabou de retornar da Europa e deve acompanhar o processo mais de perto.

“Tive que vir ao Brasil para provar tudo o que aconteceu, com áudios e prints. Está claro no processo. Espero que a Justiça acelere. Quero recuperar essa grana, tomara que dê certo”, comentou.

Scarpa também falou sobre o assunto durante entrevista na segunda-feira (8) à TNT Sports e disse que não tem mais relação nenhuma com Willian Bigode, e que “ele, como responsável por tudo o que aconteceu, tem que arcar com as consequências”.

Promessa de rendimentos de até 5% ao mês

O caso veio à tona em março de 2023 quando os jogadores Mayke e Gustavo Scarpa procuraram a Justiça de São Paulo para tentar reaver cerca de R$ 11 milhões em investimentos feitos em 2022 na Xland através da WLJC. 

Publicidade

A WLJC prometia rendimentos de 3,5% a 5% ao mês em supostos investimentos em criptomoedas. No entanto, quando os clientes tentaram resgatar seus fundos, entre agosto e outubro de 2022, não tiveram sucesso.

Willian “Bigode” foi apontado como um dos proprietários da WLJC e o responsável por convencer os colegas de Palmeiras a colocarem dinheiro na pirâmide. Na época, Bigode também disse ter sido vítima no negócio e que teria perdido cerca de R$ 16 milhões.

Fantástico mostrou envolvidos

Também no ano passado, o programa Fantástico da TV Globo fez uma reportagem sobre o assunto, expondo os supostos envolvidos e chegando aos nomes de Gabriel Nascimento, Jean Ribeiro e Marçal Siqueira.

O programa da TV Globo divulgou uma troca de mensagens entre os jogadores:

“Pelo respeito, amizade, consideração e amor que eu tenho por você, queria te dar um toque antes. Infelizmente vou ter que falar da sua empresa”, disse Scarpa a Willian, alertando sobre o processo que estava abrindo na Justiça. “É meu patrimônio quase todo. Eu não posso correr esse risco de perder”, ressaltou.

Publicidade

Antes, Willian já não tinha mais respostas: “Scarpinha, agora não tem nem mais questão de confiança, irmão. Questão que agora é orar. Fazer o que eu sei. Agora é esperar no senhor”, disse ele ao jogador.

Gabriel Nascimento, dono da Xland, falou com a reportagem e prometeu resolver o problema. Ele afirmou para seus clientes que a empresa mantinha R$ 2 bilhões em pedras preciosas, mas não comprovou ao Fantástico. 

Para o delegado Glaucius Vinicius Silva, que falou com a reportagem na ocasião, existem indícios de que houve o crime de estelionato.

Em abril do ano passado, o Tribunal de Justiça de São Paulo determinou o bloqueio de R$ 7,8 milhões das contas bancárias do jogador Willian “Bigode” bem como de suas sócias na WLJC Gestão Financeira, Loisy de Siqueira e Camila Moreira de Biasi. O bloqueio se deu no âmbito de um processo movido por Mayke.

VOCÊ PODE GOSTAR
Cachorro Shiba Inu que inspitou Dogecoin

Kabosu, a cachorrinha que inspirou a Dogecoin, falece aos 18 anos

Kabosu sofria de doença crônica e já era muito idosa; segundo sua dona, a cachorrinha “faleceu silenciosamente”
Imagem da matéria: CEO da Grayscale deixa cargo: "Momento certo para transição"

CEO da Grayscale deixa cargo: “Momento certo para transição”

A Grayscale, uma das maiores gestoras de criptomoedas do mundo, anunciou que Michael Sonnenshein está deixando o cargo de CEO
tornado cash 1

Desenvolvedor do Tornado Cash é condenado a 5 anos de prisão por lavagem de dinheiro

“O Tornado Cash, em sua natureza e funcionamento, é uma ferramenta destinada a criminosos”, disse um dos juízes ao condenar Alexey Pertsev
CEO do MB Reinlado Rabelo em evento da CVM na USP

“A Bolsa é sim lugar de startups”, diz CEO do Mercado Bitcoin em evento da CVM

Reinaldo Rabelo participou do evento do “Tecnologia e Democratização dos Mercados de Capitais no Brasil”