Imagem da matéria: Qual é a diferença entre Pix e Drex? | Análise
Foto: Shutterstock

Para nós que estamos interessados no panorama financeiro em constante evolução, acredito que compreender as nuances entre diferentes formas de transações digitais é fundamental para tomar decisões informadas e aproveitar oportunidades emergentes. 

Hoje gostaria de compartilhar minhas reflexões sobre as principais diferenças entre o Pix e o Drex (Real Digital), com base nas valiosas colocações de Fábio Araújo, coordenador da iniciativa do Real Digital no Banco Central, que falou bastante sobre o tema na entrevista para o podcast da Liqi.

Publicidade

Reimaginando o dinheiro digital: Pix vs. Drex

Em um mundo onde a digitalização é a norma e a inovação é a chave para permanecer relevante, o Banco Central do Brasil se comprometeu a explorar as possibilidades oferecidas pelos ativos digitais. 

O Drex (ou Real Digital), ao contrário do que alguns possam pensar, não é uma criptomoeda, mas uma maneira de alinhar nossa moeda nacional com a tecnologia emergente dos criptoativos. 

Enquanto o Pix é uma plataforma eficiente para pagamentos digitais, o Real Digital vai além, transformando a maneira como concebemos as transações financeiras.

Leia também: Pix ou Drex? Vídeo do BC mostra quando usar cada um dos sistemas de pagamento; assista

A chave: Plataforma e Valor

Uma das distinções fundamentais entre o Pix e o Real Digital é a sua natureza de plataforma. 

Enquanto o Pix é focado exclusivamente em pagamentos, permitindo transferências instantâneas entre contas, o Real Digital serve como plataforma para liquidações inteligentes, o que significa que ele proporciona uma infraestrutura para uma variedade mais ampla de serviços financeiros. 

Publicidade

O Drex não é apenas uma maneira de representar o valor; é também a base para a programabilidade de serviços financeiros inovadores. Isso cria um ambiente propício para a evolução constante e a rápida introdução de novas soluções.

Casos de Uso Amplos e Descentralização Controlada

No episódio do Talkenização, Fábio Araújo destacou casos de uso impressionantes para o Real Digital na economia brasileira. 

A aplicação de contatos programáveis nos processos de “Delivery versus Payment” promete revolucionar transações complexas, como a compra de imóveis e automóveis. 

Através de contratos inteligentes, a confiança é garantida sem a necessidade de terceiros intermediários, simplificando processos e reduzindo custos. Além disso, o Real Digital abre as portas para as finanças descentralizadas (DeFi), permitindo que as fintechs inovem dentro de limites controlados, garantindo ao mesmo tempo a segurança e a acessibilidade.

Inclusão Financeira e Privacidade

O Banco Central também demonstra um compromisso claro com a inclusão financeira e a privacidade. 

A simplicidade do Pix já tornou os pagamentos digitais acessíveis a muitos, mas o Real Digital busca expandir essa acessibilidade. Ao proporcionar uma interface amigável, o Banco Central está tornando tecnologias complexas mais acessíveis ao público em geral. 

Publicidade

Quanto à privacidade, o Banco Central enfatiza que o Drex seguirá as leis existentes, com o objetivo de equilibrar a necessidade de funcionalidades de controle com a proteção dos dados individuais.

Preparando o caminho para o futuro financeiro

Ao olhar para o futuro, o Real Digital não é apenas uma inovação isolada, mas um passo em direção a uma revolução financeira mais ampla. 

A capacidade de tokenizar ativos e a flexibilidade do Real Digital oferecem oportunidades para redefinir como crédito e investimento são realizados. 

Isso poderia potencialmente transformar serviços de crédito e investimento em commodities, acessíveis através de uma variedade de provedores especializados. 

A descentralização controlada permitiria que as pessoas escolhessem os serviços que melhor atendem às suas necessidades, estimulando a concorrência saudável e a variedade no setor financeiro.

A necessidade de aprendizado contínuo

A jornada para compreender as nuances do Pix e do Real Digital é um lembrete de que, como investidores e empresários, nosso aprendizado nunca para. 

Publicidade

À medida que as tecnologias evoluem e as oportunidades emergem, é crucial mantermos nossos conhecimentos atualizados. O podcast Talkenização e as explanações de Fábio Araújo oferecem um vislumbre valioso das motivações, objetivos e visões por trás do Real Digital. 

O Drex e o Pix representam abordagens distintas para a digitalização das transações financeiras. Enquanto o Pix é uma ferramenta eficaz para pagamentos instantâneos, o Drex transcende a mera transferência de valor, servindo como uma plataforma para inovações em serviços financeiros. 

Através de casos de uso como “Delivery versus Payment” e o potencial para finanças descentralizadas, o Real Digital tem o poder de simplificar processos, aumentar a acessibilidade e promover a inclusão financeira. Como investidores e empresários, a compreensão dessas diferenças nos capacita a tomar decisões informadas e a aproveitar as oportunidades oferecidas pelo cenário financeiro em constante evolução.

Sobre o autor

Daniel Coquieri é CEO da empresa de tokenização de ativos Liqi Digital Assets. Empreendedor do ramo da tecnologia, foi fundador da BitcoinTrade, uma das maiores corretoras de criptomoedas do Brasil.

VOCÊ PODE GOSTAR
Silhueta de pessoa jogando videogame À frente de TV

Agência federal de fiscalização dos Estados Unidos começa a olhar para games cripto

Comprar vidas extras ou ganhar tokens em um jogo do tipo play-to-earn equivale a um “banco em games e mundos virtuais”, diz agência
Logotipo do token CorgiAI

Mercado Bitcoin lista token CorgiAI

O ativo é ligado a projeto que usa utiliza inteligência artificial para criar uma comunidade de entusiastas no ecossistema cripto
Imagem da matéria: Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Solana sofre congestionamento por operações desenfreadas de bots

Alto número de operações de spam estão fazendo com que a Solana fique mais lenta e que transações não sejam processadas
graficos vermelhos em queda

Investidores sacam R$ 1 bilhão de projeto DeFi da Solana após renúncia de CEO

O fundador da Marginfi anunciou sua renúncia em meio a um turbilhão de controvérsia e desentendimento operacional