Imagem da matéria: Presidente da SEC se ofereceu para atuar como consultor da Binance em 2019, afirma corretora
Presidente da SEC, Gary Gensler (Foto: Third Way Think Tank/Flickr)

O presidente da SEC, Gary Gensler, ofereceu seus serviços como consultor da Binance em 2019, de acordo com os advogados da exchange. Eles alegam que Gensler teve várias conversas com os executivos da Binance e o fundador Changpeng Zhao antes de assumir seu cargo na SEC e se encontrou com Zhao no Japão para almoçar.

O relatório dos encontros anteriores de Gensler e Zhao ocorre em meio a uma batalha judicial em andamento entre a SEC e a Binance sobre supostas violações de valores mobiliários dos EUA.

Publicidade

Surgiu depois que a SEC apresentou documentos, nesta quarta-feira (7), nos quais advogados da Gibson Dunn e Latham & Watkins – dois dos escritórios de advocacia da Binance – alegaram que Gensler se ofereceu para atuar como consultor da corretora de criptomoedas.

Quando Gensler fez a suposta oferta em março de 2019, ele trabalhava como professor de Prática de Economia e Gestão Global na Sloan School of Management do Instituto de Tecnologia de Massachusetts.

SEC x Binance

Desde a nomeação de Gensler em 2021 como presidente da SEC pelo presidente Biden, o regulador reprimiu a indústria de criptomoedas – com a SEC buscando processos judiciais contra as exchanges de criptomoedas Coinbase, Bittrex e Kraken.

Apenas alguns dias atrás, Gensler disse que “não precisamos de mais moeda digital”, alegando que o modelo de negócios de cripto é construído sem compliance.

Publicidade

Os documentos arquivados recentemente sugerem que Zhao manteve contato com Gensler após seu encontro em março de 2019, com o fundador da Binance gravando uma entrevista com Gensler como parte do curso de criptomoeda do MIT que ele estava ministrando na época.

Mais tarde naquele ano, em julho de 2019, Gensler testemunhou perante o Comitê de Serviços Financeiros da Câmara sobre a proposta de criptomoeda e carteira do Facebook, ambas canceladas posteriormente. Antes da audiência, dizia a carta, Gensler enviou a Zhao uma cópia de seu depoimento no qual ele disse: “Não aconselho nenhuma empresa financeira, de tecnologia, blockchain ou outras, nem possuo nenhuma criptomoeda”.

Seu sentimento naquela audiência não parece diferir substancialmente de sua posição atual sobre criptomoeda. “Devemos nos proteger contra atividades ilícitas, como evasão fiscal, lavagem de dinheiro, financiamento do terrorismo e evitar sanções”, disse ele aos legisladores. “Devemos proteger a privacidade dos indivíduos”.

Ele também afirmou que as regras devem ser implementadas “para proteger contra o uso da Calibra [carteira cripto do Facebook] ou potencial abuso de tais fundos de clientes”.

Publicidade

Os advogados da Binance solicitaram que o presidente da SEC se abstenha de ações relacionadas à empresa, citando seus supostos laços com Zhao, e afirmam que a SEC ainda não reconheceu seu pedido. A SEC, por sua vez, afirmou em comunicado que Gensler está “muito familiarizado e em total conformidade com suas obrigações éticas, incluindo quaisquer obrigações de recusa”.

*Traduzido com autorização do Decrypt.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: Empresário "vende" Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

Empresário “vende” Bitcoin durante discurso para formandos nos EUA e recebe onda de vaias

O discurso de formatura da Ohio State University incluiu defesa do Bitcoin e cantorias que chocaram o público
Logo da ftx, dólares e bitcoin

Analistas preveem alta no mercado cripto com ressarcimento bilionário a clientes da FTX

A FTX deve cerca de US$ 11 bilhões a credores, mas a massa falida conseguiu levantar mais de US$ 14 bilhões
Vitalik Buterin na ETH Taipei 2024. Foto: Rug Radio

Como o fundador do Ethereum, Vitalik Buterin, mantém suas criptomoedas seguras

“Descentralize sua própria segurança”, diz Buterin – mas ele não usa uma cold wallet para suas próprias criptomoedas
Costas de um policial de Hong Kong

Empresário e filho se entregam à polícia após sequestrarem investidora de criptomoedas

A dupla teria tentado acertar as contas com a mulher de 55 anos que teria intermediado um investimento de cerca de R$ 10 milhões em criptomoedas