Imagem da matéria: Polícia Federal indicia criador da GAS Consultoria e mais 21 por organização criminosa e crimes contra o sistema financeiro
Glaidson Acácio dos Santos, fundador da GAS Consultoria. (Foto: Reprodução/YouTube)

Glaidson Acácio dos Santos, o “Faraó do Bitcoin”, dono da GAS Consultoria, foi indiciado pela Polícia Federal por organização criminosa e crimes contra o sistema financeiro, conforme o Globo. Além do executivo, mais 21 pessoas também são agora formalmente acusadas pela PF de atividades ilícitas ao agir no mercado de criptomoedas. O Ministério Público Federal irá agora decidir se apresenta denúncia.

A venezuelana Mirelis Yoseline Diaz Zerpa, mulher de Glaidson e sócia da GAS Consultoria, é uma das indiciadas. Ela é considerada foragida pela Justiça, está na lista de procurador da Interpol. Enquanto isso, o “Faraó” está preso desde o dia 25 de agosto, após a realização da Operação Kryptos pela Polícia Federal.

Publicidade

A GAS Consultoria já parou de pagar seus clientes, alegando impossibilidade pelo fato de a Justiça ter ordenado o bloqueio de R$ 38 bilhões em ativos da empresa. No dia 15 de setembro, o Ministério Público Federal (MPF) anunciou que autorizou a venda de R$ 150 milhões em bitcoin apreendidos de Glaidson.

A Operação Kryptos foi deflagrada em decorrência de denúncias da CVM e Ministério Público. Em sua primeira batida, encontrou na casa de Glaidson várias malas de dinheiro, carros de luxo, joias e 591 bitcoins.

A pirâmide da GAS Consultoria

Glaidson começou a operar com criptomoedas em 2014, quando trabalhava como garçom. Em pouco tempo criou a empresa, alardeando o ‘fantástico investimento sem risco’. Prometia retorno de 10% ao mês, como uma caixa mágica na qual você apenas coloca o dinheiro, nunca perde e ainda ganha mensalmente.

A empresa formada por Glaidson foi registrada como G.A.S Consultoria e tem patrimônio de R$ 75 milhões, sendo registrada na Junta Comercial do Rio de Janeiro. Glaidosn possui 80% de participação e o restante é de sua mulher, a venezuelana Mirelis Yoseline Zerpa, que é considerada foragida pela Justiça.

Publicidade

Justiça confirma prisão

A Justiça já negou dois pedidos de Habeas Corpus feitos pela defea de Glaidson, sendo a última decisão tomada no Superior Tribunal de Justiça (STJ), última instância antes do Supremo Tribunal Federal. O desembargador Jesuíno Rissato, da quinta turma do STJ negou o HC apontando indícios de movimentações financeiras atípicas que chegariam a bilhões de reais, valores que estariam sendo remetidos ao exterior.

Conforme explica o STJ, isso é “uma possível forma de ocultar o patrimônio investigado”. O juiz também considerou o potencial risco de fuga dos investigados e a possibilidade de “lesão irreversível aos investidores”.

VOCÊ PODE GOSTAR
Sunny Pires surfando

Surfista brasileiro recebe patrocínio em criptomoedas de comunidade web3

Sunny Pires, de 18 anos, embarca neste mês em expedição à Nicarágua com apoio da comunidade web3 Nouns
Antônio Ais posa para foto ao lado de carro

Criador da Braiscompany, Antônio Neto Ais é solto na Argentina

O benefício de prisão domiciliar valerá até que o processo de extradição para Brasil seja resolvido
Antônio Neto Ais e Fabrícia Campos, casal que lidera a Braiscompany (Foto: Reprodução/Instagram)

MPF faz nova denúncia contra donos da Braiscompany e doleiro por lavagem de dinheiro

Antônio Neto e Fabrícia Farias realizaram operações financeiras de grande porte com características de lavagem de dinheiro em pleno colapso da pirâmide
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos