Imagem da matéria: PF prende casal que vendia falso robô trader de criptomoedas e roubou R$ 6 milhões de clientes
Foto: Shutterstock

A Polícia Federal desarticulou nesta segunda-feira (21) um esquema fraudulento de criptomoedas promovido por um casal do Paraná acusado de faturar R$ 6 milhões em meados de 2019 com um falso robô trader.

A empresa, cujo nome não foi divulgado, enganou mais de três mil clientes vendendo pacotes de investimentos em criptomoedas que prometiam rendimentos exorbitantes, supostamente gerados por um robô automatizado responsável pelas negociações.

Publicidade

De acordo com o comunicado da PF enviado à imprensa, os golpistas também prometiam maiores ganhos aos clientes que trouxessem mais investidores para o esquema, uma prática comum de marketing multinível adotado por pirâmides financeiras.

Durante a operação Bad Bots, deflagrada pela PF nesta manhã, 15 policiais federais cumpriram um mandado de prisão preventiva e um mandado de prisão temporária contra o líder do esquema e sua companheira.

Embora o esquema operasse em Curitiba, a dupla havia se mudado para o oeste do Paraná, nas cidades de Medianeira e Missal. Durante as operações que aconteceram nessas duas cidades, as autoridades também cumpriram três mandados de busca e apreensão.

Os possíveis golpistas podem responder agora pelas práticas de crimes contra a economia popular e o sistema financeiro nacional, estelionato, lavagem de capitais e quadrilha ou bando.

Publicidade

Problemas do robô trader

De acordo com a investigação da Polícia Federal, o grupo aplicava o golpe por meio de um site da empresa que mostrava aos investidores os supostos rendimentos gerados pelo robô trader.

Após o vencimento do contrato estabelecido com os clientes, eles deveriam renovar o serviço ou solicitar o saque do valor investido e dos ganhos. 

No entanto, os clientes eram incentivados a continuar colocando dinheiro na empresa que, entre as estratégias para atrair investidores, estava a oferta de prêmios como viagens, itens e bens de luxo.

Os clientes só se deram conta que foram vítimas de um golpe quando os saques foram bloqueados.

“Diante da inexistência da liquidação dos pedidos dos saques, os investigados, que recebiam demandas e reclamações das vítimas para apresentação de soluções da ausência da devolução dos valores, ofereciam as mais diversas justificativas, atribuindo os problemas a terceiros”, descreve a nota da PF.

Publicidade

Sem conseguir pagar os clientes, o casal fechou a empresa em Curitiba e se mudou para o interior do estado. Nas cidades de Medianeira e Missal, a dupla abriu estabelecimentos comerciais que, na visão das autoridades, possivelmente foram usados para a lavagem de dinheiro.

Durante as investigações, a PF descobriu que o líder do esquema usava o nome de outra pessoa para abrir as novas empresas e movimentar o dinheiro fruto do golpe, como forma de tentar se ocultar das autoridades. 

O acusado também ostentava carros de luxo nas redes sociais depois de dar o calote nos clientes. 

A estimativa é que mais de 3 mil pessoas em todo Brasil foram alvos do golpe e perderam cerca de R$ 6 milhões de reais acreditando nas falsas promessas de lucro.

A PF afirma que as ordens judiciais cumpridas no âmbito da operação Bad Bots serviram não apenas para dar fim às atividades criminosas do casal, mas também para obter mais detalhes sobre a participação de todos os investigados no esquema e, se possível, a apreensão de bens para ressarcimentos das vítimas. 

Portal do Bitcoin Summit

O primeiro evento do Portal do Bitcoin será gratuito e online! Jogos NFT, movimentações em Brasília, como receber investimentos na sua startup de criptomoedas e muito mais. Inscreva-se aqui: https://portaldobitcoin.uol.com.br/summit/

Publicidade
VOCÊ PODE GOSTAR
moeda de bitcoin sob nota de dinehiro da nigéria

Tensão entre Binance e Nigéria escala após CEO acusar governo de suborno de R$ 770 mi

Funcionário do governo nigeriano disse que alegações são infundadas e que disputa contra Binance deve ser resolvida na Justiça
Moeda prateada da Chainlink com reflexo em um fundo roxo

Chainlink sobe 18% ao lançar projeto piloto em Wall Street com JP Morgan, BNY Mellon e DTCC

A DTCC anunciou que acaba de concluir um projeto piloto de tokenização com gigantes de Wall Street, como JP Morgan e BNY Mellon, aproveitando o CCIP da Chainlink
Imagem da matéria: Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ex-diretor da FTX deve pegar até 7 anos de prisão, pedem promotores dos EUA

Ryan Salame foi um dos executivos da FTX que coordenaram a doação de milhões para campanhas políticas usando dinheiro dos clientes
Imagem da matéria: Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

Manhã Cripto: CVM aplica multa de R$ 55,8 milhões a Atlas Quantum e dono foragido

A CVM multou a pirâmide financeira Atlas Quantum após identificar indícios “robustos e consistentes” de que tudo não passava de uma operação fraudulenta