Imagem da matéria: Operação da Receita Federal fica com máquinas de mineração de bitcoin de casal vindo do Paraguai
Resultado da operação Escudo (Foto: Divulgação/Receita Federal)

Um casal de brasileiros teve quatro máquinas de mineração de bitcoin apreendidas durante uma operação da Receita Federal na Ponte Internacional da Amizade, a principal fronteira do Brasil com o Paraguai, de acordo com um comunicado oficial do órgão.

A nota não especifica o modelo das mineradoras confiscadas, mas as autoridades avaliam que o preço de cada uma ultrapassa R$ 12 mil, totalizando uma perda de R$ 48 mil para o casal.

Publicidade

De acordo com a Receita, a dupla, natural de Caxias (RS), foi parada pela polícia no sábado (17) em Foz do Iguaçu (PR), onde as máquinas foram encontradas. Eles disseram que os equipamentos eram computadores usados que haviam sido levados para fazer manutenção no país vizinho.

Durante o interrogatório, a dupla acabou “caindo em contradição” e admitiu que os equipamentos na verdade eram máquinas usadas de mineração de criptomoedas, que seriam levadas de volta para o Rio Grande do Sul.

A apreensão aconteceu no âmbito da Operação Escudo, deflagrada pela Receita Federal com o objetivo de combater o contrabando de mercadorias que entram ilegalmente no país pelo Paraguai. 

A ação na Ponte da Amizade já dura mais de duas semanas e, neste período, os 70 servidores mobilizados já impediram a entrada no Brasil de cerca de R$ 10,2 milhões em mercadorias não declaradas à Receita Federal.

Publicidade

Apreensões de mineradoras de bitcoin

A apreensão de mineradoras no Brasil não é tão comum e quando acontece, está geralmente ligada a ações da Receita Federal que tentam impedir a entrada no país de equipamentos com finalidade comercial não declarados e que, portanto, tentam burlar os impostos.

No ano passado, por exemplo, um brasileiro lutou na Justiça — sem êxito — para a liberação de 123 máquinas de mineração de Litecoin (LTC) apreendidas no Aeroporto Internacional de Guarulhos que ele tentava trazer de Miami (EUA) para o Brasil sem a devida declaração. 

Já em países vizinhos como a Venezuela, que possui uma lei específica para regular a mineração de criptoativos em seu território, esse tipo de apreensão é muito mais frequente.

Na última quarta (14), a Guarda Nacional da Venezuela prendeu seis pessoas que mineravam bitcoin em suas casas sem possuir a licença obrigatória do governo. No mês passado, as autoridades do país já haviam confiscado 411 ASICs em duas operações especiais.

Publicidade

O caso que ganhou mais destaque nos últimos tempos, no entanto, foi o da polícia da Malásia que usou um rolo compressor para destruir mais de mil mineradoras de bitcoin, avaliadas em US$ 1,25 milhão.

VOCÊ PODE GOSTAR
Pizza em uma mão moeda de bitcoin na outra

Bitcoin Pizza Day: Corretoras comemoram data histórica do Bitcoin com promoções; confira

Semana tem pizza grátis, cashback, joguinho e descontos em comemoração à primeira transação comercial com o Bitcoin realizada há 14 anos
moeda de bitcoin dentro de armadilha selvagem

CVM faz pegadinha e descobre que metade das pessoas cairia em golpe com criptomoedas

Junto com a Anbima, a entidade criou um site de uma empresa fictícia que simulava a oferta de investimentos com lucros altos irreais
Moedas de Bitcoin sobre mesa espelhada

Estudo mostra que 61% dos investidores brasileiros não pretendem vender Bitcoin

Pesquisa realizada pela Bitget releva otimismo pós-halving do Bitcoin
Celular com logo do Pix sob bandeira do Brasil

Pix: Um catalisador para o futuro das finanças descentralizadas no Brasil? | Opinião

Para o autor, o Pix, combinado com os princípios das finanças descentralizadas e conceitos de dinheiro programável, poderia abrir caminho para uma nova era de inovação financeira