Imagem da matéria: O que é o Arrow Glacier, a mais nova atualização da rede Ethereum
Foto: Shutterstock

Há alguns meses, desenvolvedores da Ethereum estavam pedindo para que usuários atualizassem seus nós (os dispositivos que executam o software da rede e geralmente armazenam o registro imutável de transações).

Estão fazendo esse pedido novamente para, desta vez, adiar a chamada “bomba de dificuldade” (uma tarefa periódica que se tornará obsoleta após a Ethereum 2.0 entrar em vigor e a rede migrar para um modelo de consenso proof of stake que se afasta da mineração cripto).

Publicidade

Diferentemente da bifurcação (ou “hard fork”) London, que mudou a estrutura de taxas da Ethereum e apresentou uma pressão deflacionária à rede, a atualização Arrow Glacer, prevista para esta semana, não é tão drástica.

Na verdade, não é tão cheia de aventuras como Altair, a atualização de outubro que preparou o Beacon Chain (o ponto de partida para a migração da Ethereum ao proof of stake).

O único papel da Arrow Glacier é impedir que a bomba seja ativada e dá aos desenvolvedores mais tempo para migrar a rede para a Ethereum 2.0. Sem a atualização, a rede, da forma como está, pode se tornar menos utilizável.

A bomba está acionada desde 2015, quando desenvolvedores começaram a criar a rede Ethereum.

Rede Ethereum e a bomba da dificuldade

Os criadores da rede esperam ir além do mecanismo de consenso proof of work (PoW) do protocolo Bitcoin, que incentiva que pessoas contribuam poder computacional para operar e assegurar a rede ao conceder moedas recém-emitidas.

Publicidade

PoW cria uma corrida armamentista para ainda mais poder computacional que não é bom para o meio ambiente nem para a tralha na garagem das pessoas, que é o porquê de a rede Ethereum estar migrando para o proof of stake (PoS).

Nesse design, detentores da moeda podem bloquear seus ethers à rede para assegurar o blockchain. Em troca, recebem ethers recém-emitidos em proporção à sua contribuição, mesmo se não tiverem o hardware mais avançado.

Inicialmente sabendo que queriam afastar a Ethereum do PoW, desenvolvedores codificaram um incentivo dentro do blockchain para garantir que fariam a migração.

Essa codificação, conhecida como bomba de dificuldade, dificulta que pessoas minerem ether e desacelera a rede enquanto esta ainda depende do PoW.

Publicidade

Apesar de a bifurcação London, em agosto, ter adiado a detonação até dezembro (assim como as atualizações anteriores), desenvolvedores voltaram para adiá-la novamente.

A esperança é que, em breve, essas atualizações sejam desnecessárias.

Na semana passada, Tim Beiko, que coordena os principais desenvolvedores da rede, afirmou: “Esperamos que esta seja a última vez que a bomba de dificuldade é adiada antes da transição da Ethereum para o proof of stake!”.

*Traduzido e editado por Daniela Pereira do Nascimento com autorização do Decrypt.co.

VOCÊ PODE GOSTAR
Imagem da matéria: O que é o Notcoin? Conheça o jogo baseado em Telegram, o token NOT e os planos futuros

O que é o Notcoin? Conheça o jogo baseado em Telegram, o token NOT e os planos futuros

Notcoin é um jogo baseado no Telegram que nos últimos meses acumulou um total de 35 milhões de jogadores
Gustavo Scarpa em um campo de futebol usando o uniforme do Atlético Mineiro

Scarpa x Bigode: Pedras preciosas não valem como garantia em processo contra pirâmide cripto, diz PF

Um laudo das pedras de alexandrita apreendidas da suposta pirâmide Xland foi avaliado por um juiz, que determinou que elas não têm valor significativo
Imagem da matéria: Reguladores afirmam que Coinbase não pode obrigá-los a criar regras “do zero” para setor de criptomoedas

Reguladores afirmam que Coinbase não pode obrigá-los a criar regras “do zero” para setor de criptomoedas

Em um processo judicial, a SEC argumentou que a Coinbase não pode exigir que o regulador escreva novas regras para o setor cripto
Celular com o logo da CVM e notebook aberto no site da Comissãod e Valores Mobiliários

CVM reconhece ativo de blockchain como token de pagamento

Dynasty Global AG recebeu na última semana a classificação do D¥N como um token de pagamento pela Comissão de Valores Mobiliários (CVM).